terça-feira, 6 de setembro de 2016

Xamãs para D&D 5 (Atualizado)

Saudações, sábios guardiões dos espíritos!

Trago-vos aqui mais uma opção caseira de novos arquétipos para D&D 5. Desta vez, discutiremos sobre os xamãs, sacerdotes tribais que comungam com os espíritos e oferecem a suas tribos sabedoria, cura e direção, baseados nos conhecimentos de seus ancestrais
.
Ao contrário dos clérigos convencionais, que seguem um Deus e normalmente passam Seus preceitos a outras pessoas, os xamãs seguem entidades universais de grande poder, geralmente conhecidas pura e simplesmente como “espíritos”, e agem muito mais como mensageiros do que como doutrinadores.

Dependendo da cultura do xamã, ele pode seguir um conjunto de espíritos de diferentes tendências (como a entidade Loa dos xamãs africanos) ou um espírito maior e benevolente (como o Grande Espírito nas tribos norte-americanas). Alternativamente, eles podem seguir os desígnios de um pequeno panteão de divindades locais (como ocorria com os xamãs nórdicos).

De qualquer forma, estes indivíduos são capazes de curar feridos, expulsar mortos-vivos e dominar poderes sagrados de forma muito semelhante aos clérigos de sociedades mais civilizadas. E assim como os druidas, os xamãs nutrem um enorme respeito pela natureza, mas diferente destes, não extraem dela sua força ou sabedoria.

Xamãs são bastante comuns entre bárbaros humanos e tribos de centauros e meio-orcs. Entre outras raças como elfos e anões, são extremamente raros, para não dizer inexistentes.

OBS: As atualizações estão em AZUL.

Magias Adicionais
Nível 1: Benção, Identificação; 
Nível 3: Augúrio, Arma Espiritual; 
Nível 5: Conjurar Animais*, Falar com os Mortos; 
Nível 7: Conjurar Fadas*, Proteção Contra a Morte; 
Nível 9: Conhecimento da Lenda, Conjurar Elemental.

* Criaturas conjuradas por estas magias possuem uma aparência translucida e sobrenatural, como espíritos.

Habilidades do arquétipo

Nível 1- Proficiência Bônus: Armas Marciais (preferencialmente, comuns na tribo)

Nível 1 – Sexto Sentido: Os espíritos estão sempre com você, avisando-o de perigos eminentes. Você recebe proficiência e Vantagem nos testes de Percepção e Sentir Motivação (Insight).

Nível 2 – Conhecimentos Ancestrais: Com uma ação e 1 uso de Canalizar Divindade, o xamã pode usar qualquer magia (Míssil Mágico, Escudo Arcano...) ou habilidade (Surto de Ação, Destruição Sagrada...) de outra classe contanto que tenha o nível mínimo normalmente requerido para isto. Conhecimentos Ancestrais só pode ser usado simulando magias e habilidades especiais de efeito imediato; ela não pode simular efeitos ou magias prolongados (como a Fúria Bárbara ou magias que requerem concentração).

Nível 6 – Visão e Sussurro dos Espíritos: Uma vez por descanso curto, o xamã pode usar a magia Clarividência. Além disso, ele recebe permanentemente a habilidade de ver criaturas invisíveis.


Nível 8 - Ataque Divino: Uma vez por rodada um ataque que atinja o alvo causa +1d8 psíquico. A partir do nível 14 esse dano aumenta +2d8. Alternativamente, no nível 08 o xamã pode escolher um elemento (fogo, gelo, raio...) e causar dano adicional deste tipo, refletindo um espírito elemental com o qual tenha mais afinidade.

Nível 17 – Uno com os Espíritos: O xamã pode usar Conhecimentos Ancestrais para simular habilidades especiais e magias de efeito prolongado. Estas, contudo, duram no máximo um número de rodadas igual ao modificador de sabedoria do xamã.

9 comentários:

  1. Cara, genial! Exatamente o que eu queria para 5d&d!! Parabens

    ResponderExcluir
  2. Grato, nobre irmão! Fico feliz que tenhas gostado!

    ResponderExcluir
  3. Zorog du Oio Podrão9 de setembro de 2016 08:11

    Mim zer xamãu timbêm! Zer du melhor di maiz du baum naz arti da macumbaria, i vu usar uz craniu dus guirreru daqui praz minhaz magiaz preta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza de que os espíritos urram de indignação a serem chamados por ti...

      Excluir
  4. Gronark, o Senhor da Dor13 de setembro de 2016 18:56

    Ficou bem legal a adaptação, Odin. Seria interessante colocar alguns poderes elementais e de convocação de espíritos para diferenciar um pouco do clérigo.

    Quanto as raças, realmente os anões das montanhas teriam muito poucos xamãs, mas anões nômades já teriam mais membros dessa classe. Quanto aos elfos, já seria mais peculiar. Eles teriam xamãs, mas os elfos membros dessa classe não seriam parecidos com os xamãs de sociedades mais primitivas. Os elfos tratariam a comunhão com os espíritos de forma mais natural e sendo parte do dia a dia. O exemplo clássico de xamã elfo é a Deedlit de Lodoss, que toda hora invocava os elementos pra ajudar os companheiros.

    Continue a torturar os espíritos, Zorog. Teremos os poderosos seres espirituais subjugados quando atacarmos os reinos do caolho, HAHAHAHAHAHAHAHA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zorog é uma vergonha para todos os xamãs, mas concordo plenamente com tua ideia de "xamã élfico", Gronark; a elfa Deedlit de Lodoss é um excelente exemplo disso, assim como Leaf e outros elementalistas deste interessante cenário.

      Poderes elementais e de convocação são ideias interessantes, que prometo trabalhar na atualização futura que pretendo fazer neste pergaminho.

      Excluir
  5. Zorog du Oio Podrão16 de setembro de 2016 08:12

    Mim num zer virgunha! Mim ser xamãu zuprimu da zuprimacia zupirior daz arti da macumbaria izpirituar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apenas confirmastes meu ponto, cão! E espero que um dia os espíritos que convocas se voltem contra ti e o façam pagar por usar estes poderes de forma tão vil...

      Excluir
  6. Algum download ?? Não entendi como criar um personagem xamã

    ResponderExcluir