sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Ranger Revisado em D&D 5 (Oficial e Atualizado)

Saudações, nobres guardiões!

Já é assunto extremamente discutido aqui o fato do Ranger de D&D 5ª edição ser uma classe que tem muitos problemas, que começam a aparecer por volta do 8º nível e tornam a classe insustentável a partir do 15º nível. Na pesquisa de opinião oficial conduzida pela Wizards entre o segundo semestre de 2015 e o final do primeiro semestre de 2016, a classe foi apontada disparada pelos jogadores como a pior classe de todo o jogo, e a que mais carecia de uma atenção urgente.

Agora, por meio da série Unhearted Arcana, a Wizards of the Coast decidiu tomar uma atitude em relação a isto, e reparar, ao menos em parte, os problemas da classe. O novo ranger oficial segue uma estrutura praticamente idêntica à daquele presente no Livro do Jogador, mas traz algumas pequenas e importantíssimas modificações que tornam a classe muito melhor, mesmo não resolvendo todos os problemas:


EXPLORADOR NATURAL
Com a remoção dos Terrenos Favoritos, esta habilidade agora funciona em qualquer tipo de ambiente, mesmo os urbanos. Além disso, confere os seguintes bônus adicionais:

- O ranger recebe Vantagem em testes de Iniciativa.

- Terreno difícil não o afeta.

- Na primeira rodada do combate, o ranger recebe Vantagem nas jogadas de ataque contra oponentes que não tenham agido ainda.

A reconfiguração desta habilidade foi algo extremamente bem vindo, porque ampliou muito a capacidade de rastreamento e exploração do ranger de modo geral. E como um benefício adicional, conferiu habilidades interessantes que podem ser usadas em combate.

PRONTIDÃO PRIMEVA
Esta habilidade agora permite o ranger a se comunicar com criaturas selvagens, o que contribui ainda mais para melhorar a eficiência da classe em áreas selvagens.

INIMIGO FAVORITO
A mais óbvia de todas as mudanças está precisamente no inimigo favorito do ranger. Agora, como antigamente, a habilidade confere um bônus de +2 nas jogadas de dano contra as criaturas escolhidas, que agora abrangem os seguintes grupos: Humanóides, Fadas, Mortos-Vivos e Monstruosidades. Evidentemente, o mestre pode liberar outras opções como Dragões e Gigantes.

No 6º nível, o bônus de dano recebido pelo ranger em suas jogadas de dano contra estas criaturas aumenta para +4, e ele ainda recebe Vantagem em testes de resistência contra magias e habilidades usadas pelo inimigo favorito.

Esta habilidade, sem dúvida alguma, tornou-se algo extremamente relevante para ao ranger, como deveria ter sido desde o começo. Contudo, estranhamente, a habilidade de 20º nível Foe Slayer (Destruidor do Inimigo), continua praticamente a mesma, oferecendo apenas o bônus de sabedoria do ranger como bônus de acerto ou dano em um único ataque; a diferença é que agora ela pode ser usada contra qualquer alvo. Isto significa que a habilidade escala muito bem até o nível 06, mas depois disso, não muda em praticamente nada que seja digno de nota, mantendo o sério problema da classe em apresentar habilidades que não escalam devidamente, e fazendo com que em níveis elevados, guerreiros, bárbaros, paladinos e monges consigam causar mais dano ao inimigo favorito do ranger do que ele próprio.

FLEET OF FOOT (algo como “Movimento dos Pés”)
No 8º nível, o ranger adquire esta habilidade, que permite que ele use a ação Corrida como uma Ação Bônus. Isto é muito útil para táticas de guerrilha estilos de combate que usem o movimento como forma de evitar golpes de adversários. Principalmente, permite que rangers arqueiros possam manter a distância de seus adversários indefinidamente.

CONCLAVE DOS RANGERS
Este é o nome usado aos Arquétipos do ranger, que agora, são três: O Conclave das Feras, Conclave do Caçador, o Conclave do Caçador das Profundezas (Arquétipo anteriormente apresentado em outra edição de Unearthed Arcana). Enquanto os dois últimos, que funcionavam bem dentro de seus contextos se mantiveram inalterados, o Conclave das Feras (antigo Mestre das Feras), considerado por jogadores o pior e “mais cômico” arquétipo do novo D&D, foi refeito do zero.

As principais modificações do Conclave das Feras são:

- No 3º nível, o ranger escolhe um animal de companhia que pode ser um urso negro, pantera, lobo, javali, doninha gigante ou qualquer outro animal de tamanho médio que o mestre permitir. Caso o animal tenha a habilidade multi-ataque, ele a perde, desferindo apenas um ataque por rodada.

- O ranger não precisa mais perder um ataque para que seu animal ataque; o animal ataca independentemente, e continua recebendo o bônus de proficiência do ranger em jogadas de ataque, dano, CA, perícias e resistência.

- Os pontos de vida do animal agora sobem em 1 dado de vida + modificador de Con/nível de ranger após o 3º nível. Isto significa que o animal que anteriormente chegava a míseros 80 PV no 20º nível de seu mestre, agora pode atingir a margem de 150 PV, o que o torna uma presença respeitável no campo de batalha.

- No 5º nível, o ranger recebe a habilidade Ataque Coordenado, que permite ao animal desferir um ataque adicional como uma reação. Contudo, o ranger deste arquétipo não recebe mais o Ataque Adicional regular no 5º nível. Isto significa que, junto de seu animal, um ranger que não lute com duas armas pode desferir 3 ataques regulares por rodada (um seu e dois do animal). Sozinho, ele desfere apenas um único ataque. Um restrição pesadíssima, e desnecessária, especialmente porque mesmo que pudesse desferir quatro ataques regulares por rodada, o ranger continuaria atrás de bárbaros, paladinos, monges e guerreiros de mesmo nível a partir do 10º nível, mesmo que lutando contra inimigos favoritos.

- No 7º nível, o ranger recebe a habilidade Defesa da Fera, na qual seu animal recebe Vantagem em todos os seus testes de resistência quando puder ver seu mestre.

- No 11º nível, o ranger recebe a habilidade Tempestade de Garras e Presas, que permite a seu animal desferir um ataque individual contra cada alvo que esteja a até 1,5 metros de distância.

- No 15º nível, o ranger recebe a habilidade Defesa da Fera Superior, que permite ao animal usar uma reação para reduzir pela metade o dano que tomaria de um oponente que pode ver.

Em suma, este Conclave oferece um companheiro animal poderosíssimo e muito interessante de ser usado. Contudo, o animal, no fim, é consideravelmente superior a seu mestre, e o ranger deste Conclave é altamente dependente de seu companheiro para ser realmente eficiente.

PENSAMENTOS FINAIS

De modo geral, este novo ranger está muito superior ao debilitado ranger apresentado no Livro do Jogador. As mudanças na habilidade Inimigo Favorito são muito bem vindas e absolutamente necessárias, enquanto a habilidade Fleet of Foot fornece opções táticas valiosas ao ranger. O ranger agora está muito mais eficiente como rastreador e explorador, já que suas habilidades agora podem ser usadas em qualquer tipo de ambiente selvagem. Por fim, o Conclave das Feras é interessante e infinitamente superior ao famigerado Mestre das Feras, mesmo relegando o ranger a um papel secundário em relação a seu animal.

Contudo, um problema mais sério da classe persiste: As habilidades de causar dano continuam sem escalar, ao contrário do que ocorre com todas as outras classes orientadas para o combate. Como a Habilidade Foe Slayer continua sendo pouco significativa, o ranger de 20º nível continua causando basicamente o mesmo dano de um ranger de 6º se não recorrer a magias que façam uso do arco.

Concluindo, em minha opinião, a Wizards desta vez fez um bom trabalho com o ranger. Ainda há ajustes que precisam ser feitos, mas o antigo arquétipo inviável (Mestre das Feras) foi totalmente reformulado e as habilidades de combate e exploração da classe foram notoriamente melhoradas de forma geral. Agora, falta apenas melhorar a habilidade Foe Slayer para que ela faça jus ao nome e o ranger possa, voltar a ser um combatente realmente implacável.

Para checar integralmente o trabalho feito, entrai neste PORTAL.

SUGESTÕES PARA RESOLVER OS PROBLEMAS MENCIONADOS

As sugestões abaixo são regras da casa que aplicarei em minha mesa para contornar os problemas que mencionei anteriormente.

FOE SLAYER: A habilidade permite que o ranger utilize seu modificador de sabedoria em suas jogadas de acerto ou dano em todos os seus ataques regulares. Contudo, o ranger precisa de foco para utilizar esta habilidade, e por isso, não pode utilizá-la enquanto estiver sob efeito de magias de ação mental, assustado ou enquanto estiver se concentrando para manter uma magia. Além disso, o bônus de dano causado contra seu inimigo favorito aumenta para +6. 

CONCLAVE DAS FERAS: No 5o nível, o ranger não recebe a habilidade Ataque Coordenado. Ao invés disso, recebe um ataque adicional regular, como ocorre com os outros conclaves. Isto ajuda a distribuir melhor o poder de combate entre o ranger e seu animal de companhia de forma bastante simples.

Com estas duas pequenas modificações, creio que o novo ranger, que já está bem trabalhado, fique realmente equilibrado e no mesmo nível de outras classes de combate. Para finalizar, sugiro também que por questões de verossimilhança, a habilidade EXPLORADOR NATURAL não possa ser usada em ambientes urbanos.

12 comentários:

  1. Olá caro guerreiro, boa noite.

    Uma pequena nota: A habilidade de Explorador Natural concede os bônus mesmo estando em ambientes urbanos. Essa pergunta já foi direcionada ao Mike Mearls (Staff da Wizards) e a resposta é positiva. Sendo que essa habilidade está sempre "ligada".
    Nota 2: A habilidade de camuflagem ficou muito melhor do que a original e uma nova habilidade concede ao Ranger a chance de se esconder como ação bônus, o que também é muito interessante.
    Nota 3: Não achei a habilidade de Foe Slayer tão ruim assim, bom...pelo menos ela não é limitada em usos por dia com o MOD de SAB. Claro que poderia ser usado em todos os ataques da ação de ataque...mas já é BEM melhor do que antes.
    No mais, ótima resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, nobre irmão!

      Muito obrigado pelos esclarecimentos! Eu não sabia que Explorador Natural funcionava em ambientes urbanos, e, lendo melhor, realmente Foe Slayer pode agora ser usado contra qualquer alvo, o que inegavelmente melhora um pouco a habilidade. Creio que a habilidade Vanish no original era usada como Ação Bônus, mas fizestes bem em lembrar dela, pois é extremamente útil usada com outras habilidades.

      Já fiz as atualizações no pergaminho, e agradeço-te por tua grande contribuição!

      Excluir
  2. Gronark, o Senhor da Dor25 de setembro de 2016 22:10

    Agora os rangers estão melhores do que antes, mas ainda poderia melhorar um pouco. Espero que todas essas mudanças não tenham com a finalidade de lançar um D&D 4.5.

    As Nornes conseguiram vislumbrar parte do plano dos antigos, isso mostra que essas bruxas velhas sabem alguma coisa sobre seu oficio. Não importa, sei o qual é o meu destino, e acredite, irei adorar as terríveis consequências que minha "morte" irá causar aos seus reinos, Caolho! Meu objetivo é meramente abrir caminho para meu mestre, o "Senhor dos Fim dos Dias", HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    Preciso impedir o encontro entre Vardalon e Tristan! Irá atrapalhar nossos planos se o maldito algoz mouro passar o o poder de "Campeão da Ordem" pro imundo paladino do dragãozinho capacho. Irei encontrar o guerreiro de Hextor antes dos tolos cavaleiros estúpidos e o destruirei nesse momento em que está vulnerável, acabando com suas tolas esperanças, Odin, HAHAHAHAHAHAHA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os rangers melhoraram mesmo, mas ainda há o que fazer. Creio que a classe não será transformada no "escolta" de D&D 4, pois a filosofia da classe nas duas edições felizmente é bem diferente.

      Sou obrigado a congratula-lo por tua resignação diante da morte e tua compreensão de que es um mero ponto no fluxo do tempo. Ao menos isto, temos em comum. Todavia, as Nornes avisaram-se da importância de Vardalon nas batalhas que hão de ocorrer e já enviei mensageiros a ele.

      Outro fato interessante que mencionaram é que o paladino Aldaron há de desempenhar um importante papel nesta contenda, e que seu espírito retornará em breve. Não puro como antes da queda, mas livre da corrupção que o dominou.

      Veremos o que acontece...

      Excluir
  3. Acheron, O Senhor do Fim dos Dias26 de setembro de 2016 16:01

    Então as videntes da árvore do mundo puderam deslumbrar partes dos meus objetivos. Todo esse esforço para se salvarem é inútil de sua perdição é inútil! Os meus planos não podem ser impedidos!

    Meus exércitos irão esmagar todos os que se opuserem a mim! Me vingarei de todos aqueles que me traíram no passado, e irei queimar Elgalor nas chamas ardentes do meu ódio!

    Gronark, continue a fazer suas atrocidades. Pode até mesmo desmembrar o infeliz do Vardalon ou Tristan, esses dois são não significam nada para mim! Mas eu o proíbo, assim como qualquer outro lacaio meu, de encostar um dedo em Selwyna e sua família! Quero me vingar deles pessoalmente!

    Pode ter certeza do retorno de Aldharon, traiçoeiro Odin! Mas saiba que ele não é mais o tolo cego a quem todos manipulavam no passado! Sou o novo Campeão do Caos e o Senhor do Fim dos Dias! Destruirei todos vocês quando chegar a hora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por hora, a única coisa que tens são palavras, demônio. Nada mais.

      Eu não estava contando com a ajuda de Aldharon, pois nem mesmo as Nornes definiram qual o seu papel no confronto vindouro. Tu crês que trará o Ragnarok, mas duvido muito. No fim, tu serás apenas mais uma grande sombra que cairás perante heróis valorosos.

      Excluir
  4. Com certeza é uma das classe que acho mais interessante!

    ResponderExcluir
  5. Gronark, o Senhor da Dor26 de setembro de 2016 23:00

    MESTRE! É muito cedo para se revelar, meu glorioso senhor da devastação. Acreditei que sua fúria estivesse sob controle, mas vejo que ainda se irrita com a menção do nome do paladino caído. Deves usar as lembranças de tua vida passada como combustível para o fogo abissal que arde dentro de tua alma, magnifico senhor da destruição.

    Irei repassar seus comandos aos outros, mestre. Graças a sua grande força e carisma, eu posso controlar a selvageria e ambição de nossos aliados.

    Fico infinitamente agraciado sabendo que poderei transformar o leão de Hextor e o representante de Bahamut em brinquedos para meus festins profanos. A sua busca por vingança tem o objetivo de reforçar seu valor perante a visão dos grandiosos antigos, poderoso Acheron. Eles sabem que a perdição dos reinos de Odin virá por tua impiedosa mão, o escolhido dos escolhidos.

    Trema de medo, Caolho. Acheron se revelou, e ele é o grandioso "Senhor do Fim dos Dias" que há muito tempo foi profetizado pelos sacerdotes de Heirouneos e Hextor! É aquele que me libertou para arrancar de mim o título de "Campeão do Chaos" a força. O homem mortal que já foi um escolhido dos deuses do bem e da ordem agora teve sua alma libertada ao se banhar na santidade da anarquia e do CHAOS, HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabia que o nome Acheron me era muito familiar... ele infelizmente tem sido usado em muitos locais atualmente, mas lembro-me de uma suposta profecia sobre ele. Ao fim disso tudo, este maldito traidor terá o que realmente merece, assim como tu, fomentador da desordem e da corrupção!

      Excluir
  6. Elladan, filho de Elrond28 de setembro de 2016 00:27

    Saudações, Odin

    Parece que finalmente a Wizards resolveu vestir o manto da humildade e ouvir seus jogadores. Fiquei particularmente feliz ao ver que aquele projeto absurdo do "ranger totêmico" foi deixado de lado. Esta nova versão está muito mais equilibrada e eficiente, e resolve quase todos os problemas existentes; na parte da exploração, está excelente, e na do combate, boa, apesar de ainda inferior aos outros homens de armas. Mas agora, ao menos, o personagem é jogável em níveis elevados especialmente por causa da habilidade fleet of foot, que permite um estilo de combate tático mortal baseado na movimentação rápida, especialmente eficiente para rangers arqueiros e lanceiros.

    Concordo com suas observações e, na minha opinião, suas sugestões conseguiram resolver os problemas que ficaram, especialmente no Conclave das Feras, lapidando perfeitamente um arquétipo que estava quase perfeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, nobre irmão!

      Concordo com tuas observações, e de fato, é um alívio que o ranger totêmico tenha sido deixado de lado como via de regra. A ideia poderia ser aproveitada, mas como um arquétipo, não como essência de classe.

      Em breve aplicarei estas sugestões em campanha, apesar de estar certo de que não verei "na prática" a habilidade Foe Slayer ser utilizada. Já com o Conclave das Feras, a situação é diferente, e creio que teremos um bom resultado.

      Excluir