domingo, 28 de agosto de 2016

A verdadeira Arte da Forja e da Guerra

Saudações, implacáveis guerreiros!

Em obras de fantasia medieval, é muito comum vermos a presença dos taciturnos e valentes anões, guerreiros honrados que dominam tanto a arte da guerra quanto a arte da forja. Contudo, é muito raro conseguirmos ter uma visão mais aprofundada sobre o que é, para um anão, ser um verdadeiro guerreiro e um verdadeiro mestre da forja.

Nesta nobre e muito bem feita obra europeia, podemos ver a história do anão Redwin, filho do nobre Ulrog, um ferreiro e guerreiro sem igual, mas que misteriosamente se aposentou e decidiu nunca mais forjar armas ou lutar.

É impressionante como a arte da forja anã é descrita e explicada, de modo que, independente do cenário, conseguimos entender porque suas armas e armaduras são valorizadas até pelos maiores e mais arrogantes artífices elfos. Por meio dos erros de Redwin e sua busca por redenção, vemos o que é ser não apenas um verdadeiro guerreiro ou ferreiro, mas um verdadeiro homem e anão.

Para ler a obra, basta entrar neste PORTAL. Caso não tenhais o pequeno mas eficiente programa de leitura de HQs, basta entrar AQUI para obtê-lo. Agradecimentos especiais ao irmão Thales, que encontrou e compartilhou tal tesouro.

Que os deuses da honra e da forja estejam convosco!

5 comentários:

  1. Gronark, o Senhor da Dor28 de agosto de 2016 20:21

    Essa série dos "Anões" é sem sombra de duvidas uma verdadeira obra de arte! Eu já conhecia essa série há algum tempo graças aos sites "ndrangheta" e "HQ Arte", que traduzem quadrinhos europeus. Só esse livro mostra uma superioridade absurda, tanto em arte quanto em roteiro, em comparação hqs americanas e mangas japoneses. Os quadrinhos europeus não se limitam em apenas um tema, há fantasia, terror, romance, guerra, eventos históricos, ficção científica. É triste a gente saber que obras desse calibre nunca sairão em impressos na nossa língua, mas ainda bem que há sites que fazem traduções, HAHAHAHAHAHAHA

    Uma coisa muito legal feita pela editora Solei é que as séries "Anões" e "Elfos" são ambientadas no mesmo mundo, inclusive mostrando o mapa do cenário com os locais onde ocorrem as histórias. Não me recordo se o nome do Mundo já foi citado, mas os quadrinhos dessas séries mostram esse cenário em uma espécie de "Era das Trevas". Com os anões não tendo um governo unificado, sendo que há vários reis competindo pela supremacia. Os elfos com suas terras sendo tomadas e seus números diminuindo a cada geração. Os lutando contra outras as outras raças pelo controle do mundo, inclusive havendo um império com uma doutrina muito similar ao clero de "Zarus", que exterminam mestiços meio-humanos e escravizam raças-não humanas. Sem contar numa invasão de mortos-vivos com o objetivo clássico de matar todo mundo.

    Os anões nesse mundo criaram quatro ordens, que tem o papel de salva-guardar a cultura, história e conhecimentos do povo robusto, mas a verdade é que elas controlam o povo e os reis;
    A Ordem da Forja é constituída pelos pelos maiores artesãos da raça, sendo talvez a ordem com maior influencia devido ao fato de também serem mestres em julgamentos de combate. Possui como protagonista o Redwin, e ele aparece no 2° ou 3° arco dos elfos.
    A Ordem da Garra é a mais temida das ordens, pois ela é praticamente uma sociedade dos assassinos anões, que tem a missão de remover ameaças internas e externas ao povo anão. O protagonista da história é o Ordo, um anão que teve o azar de nascer nas condições "ideias" para ingressar na Ordem da Garra.
    A Ordem do Templo é a fonte de todo conhecimento da cultura anã. Matemáticos, engenheiros, alquimistas, médicos, filósofos, historiadores e muito mais fazem parte dessa ordem. O objetivo deles é preservar o saber da raça, fazer novas descobertas e redescobrir conhecimentos perdidos da raça. Essa é a minha ordem favorita porque gosto desse lado de sábios e aventureiros dos anões, muito similar ao clero de "Dugmaren Manto Brilhante". Aral é o protagonista deles, um sábio anão que parte em uma grande aventura.
    A Ordem do Escudo é a ordem dos guerreiros protetores da raça anã, é a ordem mais tradicional, e que disputa secretamente com a Ordem da Forja pela dominância da raça. O objetivo deles é lutar a guerra dos anões, se dá a entender que eles seriam uma espécie de exercito neutro, devotado a lutar pela raça inteira. A protagonista deles é a anã Tiss, que teve que aprender o caminho das armas para honrar sua família.
    Há uma 5° ordem, que seria dos Errantes, mas não é oficial aos olhos da raça robusta. Essa ordem seria formada pelos expatriados, desonrados e exilados do povo anão, e eles ficam vagando pelo mundo sem se fixar. Oösram é o representante dessa ordem, um antigo general e campeão anão que foi desonrado e condenado a vagar por um mundo hostil. (PS: A capa mais legal é a dele!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gronark, o Senhor da Dor28 de agosto de 2016 20:23

      É tanta coisa que não coube tudo numa única postagem! Vou dar os sites onde se pode fazer download de algumas obras europeias, e não é pirataria porque é como eu disse antes, nós dificilmente veremos essas obras impressas aqui no Brasil

      http://ndrangheta-br.blogspot.com.br/
      http://www.artehqs.com.br/search/label/BD%20Europ%C3%A9ia

      As obras "Vikings-Celtas" que recomendo são: Mjolnir, Konungar, Druidas, Asgard, Durandal - A Marca da Bretanha, Siegfried, Walkyria, Odin, Crepúsculo dos Deuses e Loki.
      Obras de fantasia geral recomendadas são: A Ordem dos Cavaleiros Dragões, O Senhor das Trevas, Escuridão, Orks, Crônicas da Lua Negra, O Bosque das Virgens, Orcs, Os Mestres Inquisidores e Wollodrin (Tem que ler a história "Os 7 Ladrões" para entender o começo de Wollodrin)

      Um fato interessante da série dos "Elfos" é o "nascimento" dos elfos negros. Quando você ler, Odin, faça uma pequena resenha deles.

      Excluir
    2. Salve, Gronark! Se não fosses um maldito senhor do caos, serias o rei dos bardos...

      Consegui encontrar e ler os dois primeiros volumes da série Elfos em inglês e achei muito boa, mas quando vi este tomo dos anões, fiquei muito impressionado. A história é riquíssima, e como dissestes, há uma sólida ambientação por trás de tudo, envolvendo diversas raças de fantasia diferente.

      Agradeço pelas informações que compartilhastes, pois gosto muito de conhecer mais profundamente novas ambientações de fantasia medieval. Foi por isso inclusive que comecei a me interessar pelo mundo de Azeroth.

      Checarei os links e as traduções disponíveis, e certamente falaremos muito destas obras em um futuro próximo. E concordo que não se trata de pirataria porque tais tomos infelizmente não virão para estas terras em forma impressa, e também porque é uma tarefa hercúlea até mesmo tentar encomendá-los (já tentei isto ano passado).

      Excluir
  2. Salve nobre amigo Odin e amigos leitores.

    Realmente fabulosa essa série e Gronark falou com tantos detalhes que fiquei realmente interessado em ler toda essa obra. Sempre gostei da raça élfica, seus mistérios e segredos sobre magias. Existem tantas lendas sobre elfos e principalmente o final de sua vida que dariam vários livros.

    Agora os anões muitos gostam de resumir como mineradores, ferreiros e exímios lutadores. Mas eles são muito mais do que isso, afinal, nem os anões sabe de toda sua cultura, pois muitas foram perdidas com o tempo, em cavernas demolidas ou contra guerras com Elfos nos velhos tempos. Feliz o aventureiro que consegue a difícil amizade de um anão, pois mais leal que esse povo não há. Acho que os anões poderia gerar tantas ou até mais histórias que os famosos Elfos. Essa série realmente está de parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, nobre irmão!

      Esta série foi mesmo uma grata surpresa, e assim como tu, também sempre gostei muito das culturas élficas e anãs. Esta série, em especial, trabalha estas questões muito bem, em um nível de detalhes (e até ogiginalidade) que não deve em nada às grande referências que temos em livros de Forgotten Realms e Greyhawk.

      Em breve, trarei um pergaminho falando mais sobre estes livros, inclusive os dos elfos.

      Excluir