domingo, 24 de abril de 2016

Hall of Heroes: Lancelot Tower

Saudações, nobres almas!
Convosco, mais uma história de outro grande herói de nossas mesas de jogo: Desta vez, temos a interessante saga de um guerreiro justo e poderoso, Lancelot Tower, criado e interpretado por nosso irmão de armas Eduardo.
Caso desejem ver vossos personagens imortalizados nos Salões de Valhalla, basta enviar sua história a meus corvos (odin.halls@gmail.com).
Boa leitura!
A história de Lancelot Tower se confunde com a de sua divindade. Vindo de família humilde na parte rural de uma cidade, o jovem Lancelot Tower ouvia seu pai contar histórias dos grandes Paladinos de Tyr, deus da justiça que onde passava, o mal sucumbia. Seu pai, um pequeno agricultor sempre sonhou em ver seu filho tornar-se um lorde senhor de terras e não um guerreiro. Mas Lancelot não queria essa vida, queria tornar-se um dos grandes servos de Tyr (mesmo sem ter visto um). Quando atingiu a idade mínima (na verdade 1 ano antes devido seu tamanho), alistou-se no exército de um grande reino, para assim, aprender o ofício de lutar que tanto sonhara e lá sua devoção por Tyr aumentou, visto que existia uma grande igreja devota a Tyr na cidade (além de outros deuses).
  Lancelot sempre destacou-se pela sua força extraordinária que ninguém entendia, era mais forte que um Orc (e dos grandes!) e mesmo com essa força toda, ele era muito veloz e habilidoso. Logo destacou-se e antes mesmo de ir para a primeira guerra, foi chamado para fazer parte de uma tropa de elite, devido sua absurda habilidade. Assim que acabou seu longo treinamento, ele não seguiu carreira militar, pois sua alma era de aventureiro. Apesar de ter que servir no exército pelo dobro do tempo que treinou, seu capitão viu que ele poderia ir muito mais longe e o dispensou. Juntou com um amigo de infância, hoje um outro valoroso guerreiro, foram procurar um clérigo, afinal, o que seria de 2 guerreiros sem um clérigo? Mas este não poderia ser qualquer um, teria que ser um clérigo de Tyr, o deus mais poderoso de todo panteão (pelo menos assim ele enxergava) e encontrou um sacerdote de Tyr, na mesma idade deles, novato na igreja da cidade.
  Juntos, eles começaram e logo chegaram mais aventureiros e seu grupo se completou com 3 guerreiros, 1 clérigo, 1 mago e 1 ladrão (um grupo perfeito para as aventuras mais arriscadas, todos novatos, habilidosos e orgulhosos). Lancelot, logo que conseguiu ouro suficiente, comprou uma armadura de batalha, e por cima usava uma roupa que levava um grande símbolo de Tyr, assim como seu enorme escudo. Ele poderia facilmente usar uma espada de duas mãos, mas preferia usar sua espada longa, para que pudesse mostrar para seu inimigo a última coisa que iriam ver na vida, o símbolo de Tyr pitado em seu grande escudo.
  Lancelot durante as aventuras, se comportava como se fosse um Paladino de Tyr e se o visse por um breve momento, com certeza você o confundiria com um. O clérigo do grupo não se importava com isso, pelo contrário, ele gostava de ter um fiel seguidor que por vezes, pedia seus conselhos sobre o que Tyr acharia sobre tal feito. Lancelot também gostava de ter um verdadeiro Clérigo de Tyr em seu grupo, fazia com que se sentisse próximo de dua divindade.
  Um Lancelot veterano, após mais de 10 anos de aventuras, tinha uma aparência que começava com cabelos ligeiramente grisalhos e olhos vermelhos, que quando entra em batalha, ficam brancos como de um cego (Alguns dizem que devido sua lealdade a Tyr, sua aparência incrivelmente ficou parecida com a dessa divindade e os olhos brancos são alusão a sua divindade ser cega), pedras mágicas voando em volta de sí, espadas que flamejavam e davam medo até mesmo em seguidores de Tyr de pouca fé (imaginem em seus inimigos!). Ele continuava fiel a sua ideologia, mas o poder o tornou um tanto arrogante, só ouvia seguidores de Tyr mais poderosos que ele (o que era quase impossível) e seu amigo clérigo que o trazia de volta a realidade vez ou outra.
Após mais de 20 anos de aventuras, mesmo com alguns de seus amigos tendo morrido em sua longa jornada, ele continuou de pé.  Um Lancelot de cabelos e barba longos e brancos construiu um castelo que tem cerca 500 soldados prontos para defendê-lo. Seus soldados são absurdamente leais ao mesmo, e os que não eram seguidores de Tyr, passaram a ser. Seu castelo tem uma grande igreja de Tyr dentro, onde o chefe dela é seu antigo amigo clérigo. Em volta do castelo vivem camponeses felizes sobre a proteção de Tyr (ou seria de Lancelot?).
 Hoje em dia, após mais alguns longos anos de aventuras, ele vive como um senhor de terras justo, como seu pai sempre sonhou. Conhecido agora como Lorde Lancelot apesar de ter tido várias mulheres, nunca se casou e não tem filhos. Ninguém sabe a idade exata de Lancelot hoje, alguns dizem que ele entrou no exército mais de 40 anos atrás (incrivelmente documentos comprovam isso), mas ele aparenta ter 40 anos (apesar da longa barba e cabelos brancos) enquanto seu velho amigo clérigo aparenta ter 60 anos ou mais. Ninguém entende como isso acontece mas hoje Lancelot não tem mais olhos vermelhos ficam brancos o tempo todo, apesar disso, ele enxerga normalmente, pelo menos todos que estiveram com ele, dizem isso.
Todos que moram nas terras do velho Lancelot Tower dizem que ele é muito justo e adoram ele. No inverno rigoroso, dizem que ele ajuda com comida e outros suprimentos. Pessoas mais próximas dizem que ele aguarda ansiosamente o dia que Tyr vai lhe chamar, mas que isso deve demorar, pois o velho Lancelot parece não envelhecer...

4 comentários:

  1. Nossa, gostei muito da história desse guerreiro. Parabéns ao Eduardo!

    Vou tentar escrever também a história de um dos meus personagens favoritos, e mandar para seus corvos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tens toda razão, nobre irmão! Este é um personagem muito interessante, e aguardo as histórias dos teus também!

      Excluir
  2. Valeu Sam, aguardo a história do seu personagem!

    O engraçado é que a maioria não deve ter entendido muito bem como Lancelot conseguia essas mudanças mágicas. Na verdade ele usava nada mais do que um Chapéu da Transformação e com isso, mudava as cores de seus olhos para chamar atenção (sim, ele era muito vaidoso e gostava de chamar atenção). Depois de um tempo, quando alguém perguntou se seus olhos vermelhos era para homenagear Tyr, ele passou a lutar com os olhos brancos como cego (isso sim para homenagear a divindade Tyr). Ele tentava ser leal-Bom, mas na vdd era neutro-bom.

    Quanto a idade aparente ou o fato de não envelhecer, não era poção para rejuvenecer ou magia wish. Ele tinha físico de um velho de mais de 60 mesmo, mas usava o chapéu mágico para novamente mudar sua aparência (nesse caso, parecer mais novo). Apesar de velho, sim, ele ainda lutava absurdamente.

    Juntando todas essas transformações, aos seus feitos, a lenda sobre ele era quase tão grande quanto do Drizzt ou outros heróis famosos. Bardos adoravam contar suas lendas e como a maioria dos bardos, acabavam aumentando os seus feitos (que já era enormes).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ora, então este é o segredo por trás das mudanças físicas de Lancelot... muito engenhoso.

      E gostei também do fato dele ser um tanto vaidoso, porque mostra que mesmo homens que são um exemplo de conduta, podem ter peculiaridades não tão nobres.

      Eu sempre gostei de personagens mais velhos e "veteranos" que mantiveram sua integridade mesmo depois de ver tantas coisas ruins (e não falo aqui de diabos e demônios, mas sim de atos cometidos pelos próprios humanos). Lancelot Tower, sem dúvida, é um grande personagem.

      Excluir