sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Favored Souls no novo D&D (Oficial)

Saudações, escolhidos aventureiros!

Muitos aqui devem se lembrar, especialmente da época de D&D 3ª edição, dos “Favored Souls” (Escolhido dos Deuses), aventureiros que, escolhidos pelos próprios deuses como seus agentes diretos, podiam conjurar magias divinas de forma semelhante a um feiticeiro, que conjura magias arcanas. Ou seja: conjuração de magias por meio de intuição e um dom natural, não treinamento.

Na nova versão de D&D, este conceito não é mais uma classe independente, mas sim, um dos arquétipos disponíveis para a classe Feiticeiro. Pode parecer estranho de início, mas considerando a forma como o Escolhido dos Deuses conjura suas magias e adquire seus poderes, a ideia é realmente plausível. O resultado é uma combinação muito interessante de conjurador arcano e divino. Suas habilidades são:

Escolhido dos Deuses (nível 01): Escolha um domínio de Clérigo; você recebe como magias adicionais as magias do domínio à sua lista de magias conhecidas nos níveis apropriados.

Proficiência Bônus (nível 01): Armas simples, escudos e armaduras leves e médias.

Ataque Extra (nível 06): O Feiticeiro pode realizar um ataque adicional quando usa a ação de Ataque.

Asas Divinas (nível 14): Com uma ação bônus, você pode criar ou dispensar asas que lhe garantem deslocamento de vôo igual ao seu deslocamento em terra.

Poder do Escolhido (nível 18): Quando conjura uma magia de sua lista de Escolhido dos Deuses, você recupera Pontos de Vida igual a nível da magia + modificador de Carisma.

Escolhendo com cuidado a divindade e o domínio clerical, este pode ser um personagem muito interessante para ser ter em uma campanha, tanto como jogador quanto como NPC.

2 comentários:

  1. Salve velho e nobre amigo!

    Engraçado pois sua descrição do Favored Souls vai bem parecido com o que penso do Paladino do AD&D. Como já discutimos aqui, sempre tive essa visão do Paladino ser escolhido pelo seu Deus, apesar de não necessariamente ter nascido para isso (outros sim, vai saber...) mas em um dado momento, recebeu esse chamado e tem uma chama de seu Deus queimando dentro dele, aceite ele ou não. O que no fundo, sempre achei que o Clérigo tem uma inveja do Paladino, pois ao contrário do Escolhido, ele teve que estudar e seguir a regra da Igreja para que tenha seus poderes, enquanto o velho Palada tira onda em usar suas magias naturalmente (vide sua aura ou outros poderes por exemplo).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, nobre irmão!

      Eu não havia refletido sobre isto, mas realmente há uma forte semelhança entre o Favored Soul e o Paladino; ambos são "escolhidos" pelos deuses para desempenhar determinadas funções, diferente do clérigo, que primeiro se cloca à serviço da divindade, para depois passar a adquirir poderes e pequenos favores.

      Acho que a principal diferença entre um favored soul e um paladino é que o primeiro é escolhido para representar o deus e seus ideais, enquanto o segundo é escolhido pelo deus para lutar por justiça.

      Mas não nego que, se eu fosse um clérigo, teria um pouco de "inveja branca" de ambos...

      Excluir