segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Bladesingers no novo D&D (Oficial)

Saudações, nobres mestres da magia e espada!

Recentemente, no tomo Sword Coast Adventurer´s Guide, diversos novos arquétipos para as classes básicas foram apresentados, como foi mostrado por nosso irmão de armas Diego Bastet neste PORTAL.

Compartilho convosco aqui um de meus favoritos, o Bladesinger, ou Cantor da Espada. Para quem jogava desde a época do AD&D, eles eram uma ordem de elite de guerreiros conjuradores élficos, que dominavam a arte secreta da “canção da espada”. Agora, no novo D&D, eles são um arquétipo dos magos, trazendo uma alternativa muito interessante ao Eldritch Knight, que é um arquétipo do guerreiro.

O que me chamou a atenção, além da óbvia nostalgia, não foi o fato do arquétipo ser mais poderoso do que os outros (honestamente, ele não é), mas foi a maneira criativa e bem feita com que foi adaptada. Sem mais delongas, trago-vos o saudoso Bladesinger, o mais novo arquétipo de Magos para D&D 5e.

Guerra e Canção (Nível 02): Recebe proficiência em uma arma corpo-a-corpo de uma mão, e na perícia Atuação.

Canção da Espada (Nível 02): Duas vezes por descanso curto, quando estiver sem escudo e usando no máximo uma armadura leve, com uma ação bônus o Bladesinger pode iniciar uma Canção da Espada que dura por 1 minuto. Ela acaba antes caso o Bladesinger use armadura mais pesada ou escudo, use as duas mãos para atacar com uma arma ou fique incapacitado. Enquanto nesse estado recebe os seguintes benefícios:
-Bônus para CA igual ao modificador de Inteligência.
-+3m no deslocamento básico.
-Vantagem na perícia Acrobacia.
-Adiciona modificador de INT para resistência de CON para manter magias.

Ataque Extra (Nível 06): O Bladesinger pode fazer um ataque extra quando usa a ação de ataque.

Canção de Defesa (Nível 10): Enquanto Canção da Espada estiver ativa, o Bladesinger pode com uma reação gastar uma magia para reduzir dano de um ataque em 5x nível da magia gasta.

Canção da Vitória (Nível 14): Adiciona modificador de INT para dano de armas corpo-a-corpo quando usando Canção da Espada.

5 comentários:

  1. caraca realmente ficou muito massa ! lembro dele no ad&d e era tipo super apelão hahaha esse parece mais equilibrado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, concordo plenamente, nobre irmão!

      Esta nova versão da classe ficou muito bem feita. Além disso, é bem equilibrada, ao contrário do Bladesinger do saudoso AD&D...

      Excluir
  2. Salve velho e nobre amigo!

    Sinceramente acho que a Wizard deveria se preocupar mais em resgatar os velhos sentidos de um RPG Old School ao invés de ficar inventando moda. Seria melhor começar ajeitando as classes básicas do velho OD&D para depois ajeitar as velhas do AD&D e aí sim começar a colocar as classes mais exóticas.

    Eu por exemplo gostava dos antigos Fighter/Mage, muito comum entre o povo dos Elfos, mas não colocaria ela antes de consertar as classes mais comuns. Eles colocam esses poderes muito deferente quando sobre de um nível para outro (dependendo do nível) o que desequilibra com um nível diretamente abaixo. Isso me lembra muito mais um MMO do que um RPG. Sei que muitos que começaram a jogar RPG próxima de um década, gostam desse conceito, mas acredito que a maioria dos jogadores antigos (e até mesmo alguns novos) preferem o velho conceito Old School, onde nem sempre vence o jogador mais forte. Um ladrão no AD&D era fraco, mas numa aventura Old School, ele tinha mais chances de sobreviver que um guerreiro com espada vorpal...

    Enfim, sem mais delongas, ainda sinto falta do velho AD&D, que sim, tinham milhares de defeitos, mas ainda é a melhor versão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, nobre irmão!

      Muito interessantes vossas observações. Apesar de ter gostado muito do Bladesinger, entendo o que dizes, e concordo que primeiro os problemas de equilíbrio do novo D&D deveriam ser resolvidos para depois novas opções serem criadas. Como disse, gostei muito do Bladesinger, mas entre ter em minha mesa ele ou um ranger minimamente decente, eu optaria por um ranger jogável.

      A questão da disparidade de poder de um nível para outro tem sido um problema grande desde a terceira edição, e agora, em algumas classes realmente se tornou maior; E mais grave, alguns arquétipos e classes inteiras parecem fantásticas à primeira vista, mas quando as analisamos de perto, notamos problemas sérios.

      Como o irmão Elladan descreveu tempos atrás, o guerreiro battle master deveria ser a epítome do guerreiro, mas apesar de todas as manobras e truques, é inferior ao eldritch knight (um "fighter mage"). E se colocarmos um battle master contra um bárbaro berserker, em níveis elevados, ele não tem chance alguma de vitória se ambos estiverem no máximo de suas capacidades.

      E ironicamente, um druida de 20o nível que pertença ao Círculo da Lua derrotaria em combate singular qualquer guerreiro, bárbaro ou paladino de mesmo nível. Aqui, é interessante notar que se a comparação fosse feita no nível 19, o mesmo druida não teria nenhuma chance. Pior: um druida que siga o outro arquétipo oferecido é inferior em termos de combate (sob qualquer critério) a todas as outras classes, com exceção do ranger.

      Isso mostra um desequilíbrio gravíssimo, que se acentua cada vez mais conforme se avança o nível da campanha. E apesar de gostar muito da nova edição, preciso reconhecer que esta é a edição de D&D que mais tem problemas dessa natureza.

      Resumindo: Na minha opinião, trazer os clássicos de volta é algo extremamente positivo se feito da maneira correta (como foi feito com o Bladesinger), mas a prioridade realmente deveria estar em corrigir os problemas que existem sem esperar para lançar um "D&D 5.5"

      Excluir
    2. Elladan, Filho de Elrond12 de novembro de 2015 11:58

      Concordo plenamente com ambos.

      Eu adorei o bladesinger, apesar de achar que a tradição arcana deveria ser exclusiva dos elfos. Mas é inquestionável que antes de trazer novas opções de personagem, a Wizards deveria corrigir os problemas existentes.

      Eu quero ter bladesinger, purple dragon knights e red wizards em meus jogos, mas antes, quero um ranger decente para jogar, coisa que até agora, a Wizards foi completamente incapaz de providenciar por puro descaso.

      Excluir