segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Rangers Beast Masters no novo D&D

Saudações, nobres guardiães!

Como vimos em um pergaminho recente, o ranger do novo D&D resgatou plenamente o conceito da classe desenvolvido na época do AD&D, e recebeu um arquétipo muito interessante que não apareceu nos playtests, o Beast Master (mestre das feras).

Enquanto o arquétipo do caçador mescla poderosas técnicas de combate de ataque, resistência e defesa que tornam o ranger um pesadelo principalmente para hordas de orcs, gnolls e outras criaturas selvagens, o caminho do Beast Master permite ao ranger criar um poderoso elo com um parceiro animal. E ao contrário do que acontecia em D&D 3.5, o animal do ranger está (muito) longe de ser um enfeite. Convosco, as habilidades do Beast Master:

O ranger que segue este caminho pode escolher qualquer animal de tamanho médio e com nível de desafio de até 1/4. Isto engloba criaturas interessantes como lobos, panteras, javalis, carcajus, águias e outros. O animal recebe o bônus de proficiência do ranger em suas jogadas de ataque, dano, classe de armadura, perícias e resistências preferenciais. Os pontos de vida do animal são sempre o máximo ou 4 vezes o nível do ranger; o que for mais alto. Além disso:

No 7º nível, caso o animal não esteja atacando, você pode usar uma ação de reação sua para fazer com que ele realize diversas ações como ajudar um aliado seu em combate, esquivar, se engajar ou desengajar de combate.

No 11º nível, o animal recebe a habilidade de desferir dois ataques por rodada.  

No 15º nível, ele recebe a habilidade de partilhar magias com você; caso ele esteja  até 9 metros do ranger, ele é afetado por qualquer magia que o ranger conjure sobre si.
Abaixo, vemos um resumo das estatísticas de dois dos animais mais usados pela classe: O lobo e a Pantera.

LOBO
PV: 11 (2D8+2)
CA: 13
DESLOCAMENTO: 12 metros
HABILIDADES ESPECIAIS:
- Olfato e Audição aguçados: O lobo recebe Vantagem em testes de Percepção quando um destes dois sentidos estiver envolvido.
- Táticas de Matilha: o lobo recebe Vantagem em todas as suas jogadas de ataque enquanto houver um aliado seu em combate a até 1,5 metros de seu oponente.

AÇÕES:
- Mordida: +7 (2d4+2 de dano por perfuração). Um alvo atingido pela mordida deve ser bem sucedido em um teste de Força dificuldade 11, ou será derrubado.

PANTERA
PV: 13 (3D8)
CA: 12
DESLOCAMENTO: 15 metros
HABILIDADES ESPECIAIS:
- Olfato aguçado: A pantera recebe Vantagem em testes de Percepção quando o olfato estiver envolvido.
- Bote: Se a pantera atacar um alvo pelas costas estando a até 6 metros do mesmo, ele deve ser bem sucedido em um teste de Força dificuldade 12, ou será derrubado. Se derrubar o alvo, a pantera recebe imediatamente um ataque de mordida contra ele.

AÇÕES:
A pantera pode realizar por rodada uma das seguintes ações:
- Mordida: +5 (1d6+2 de dano de perfuração)
- Garra: +4 (1d4+2 de dano de corte)

Como podeis observar, os animais por si mesmos já são bastante mortais considerando aventureiros de baixo nível. 

E com os bônus concedidos por seus mestres, se tornam oponentes respeitáveis mesmo contra oponentes poderosos. 

5 comentários:

  1. Ficou interessante. O lobo tá mais forte ou é impressão minha? A vantagem da Pantera como animal do Ranger seria de atacar com Bote enquanto o Ranger está no combate, além dos pontos de vida que ficaria maior também. mas no combate direto o Lobo tem um dano bem maior, além do bônus melhor de ataque.

    O único ponto fraco seria os pontos de vida, que de início seria alto, mas lá pro nível 11-12, ficaria baixo com o dano das criaturas enfrentadas...

    ResponderExcluir
  2. Sim, também gostei do que foi feito, e o lobo realmente está bem mais forte do que em outras edição do jogo, mas achei muito coerentes as mudanças, especialmente porque na 3a edição, um cachorro de guerra era muito mais forte do que um lobo. A pantera tem perícias melhores, e é mais eficiente para se esconder e realizar ataques surpresa. Sem contar que ela pode, toda rodada, se posicionar corretamente a aplicar o bote se houver mais alguém lutando contra eu oponente. Para rangers mais furtivos, a pantera seria um companheiro melhor, mas para rangers que se lançam mais rapidamente no combate, o lobo realmente é superior.

    Quanto aos pontos de vida, concordo que são um pouco baixos; eu nivelaria os mesmos como é feito com a cura pelas mãos do paladino (nível de classe X 5). Porém, mesmo um pouco baixos em níveis mais elevados, os pontos de vida ainda são suficientes para que o animal cumpra seu papel secundário de ajudante, pois agora não há mais combos ou feats que aumentem insanamente o dano de personagens e criaturas, e além disso, todos desferem menos ataques por rodada. Outro ponto interessante é que itens mágicos agora são bem mais raros e menos poderosos, o que é corretíssimo porque ajuda a valorizar personagens e monstros pelo que são, e não pelo que carregam.

    Um exemplo: Na terceira edição, um bárbaro de 20o nível mataria facilmente o companheiro animal de um ranger usando apenas dois de seus quatro ataques graças ao talento ataque poderoso. Agora, um bárbaro de mesmo nível desferiria 2 ataques causando em média 1d12 +10 de dano, o que permitiria ao animal (que ligado a um ranger de 20o nível teria 80 pontos de vida) sobreviver a duas rodadas mesmo que fosse atingido, o que não seria mais totalmente garantido, e ainda causar um dano respeitável.

    O que entendi é que a intenção deste companheiro animal não é se lançar sozinho contra inimigos enquanto o ranger dispara flechas de uma distância segura (como ocorre com os "rangers" de MMOs). Ele é um suporte efetivo em combate, mas não assumirá combates pelo ranger, e acho isto muito bom. O ranger é um homem de armas, e como tal, capaz de se garantir bem em situações de combate.

    ResponderExcluir
  3. Desculpe, pois vi errado. Eu tinha visto que os pontos de vida seria o máximo ou o nível do ranger, ou seja, um Ranger de níver 12 seria 12pv. Realmente 4x o nível do Ranger, não é tão baixo não (ficaria com 48).

    Agora quanto a comparar com o D&D 3.x eu não comparo, pois não gostei dele. Eu comparo normalmente com o AD&D, e que mesmo assim nesse caso, também ficou melhor. Comparando nesse caso com os seguidores do Ranger...

    ResponderExcluir
  4. Só para complementar. Esses animais (principalmente o lobo) no 1º são extremamente fortes, melhor até do que o próprio Ranger na maioria das vezes. Mas claro que isso vai diminuindo conforme passa de nível...

    Enfim, ficou muito bem bolado.

    ResponderExcluir
  5. Sim, os pontos de vida são o máximo do animal ou o quádruplo do nível do ranger; assim, o companheiro de um ranger de 20o nível teria 80 pontos de vida. Não é o bastante para enfrentar um dragão, e acho que os pontos de vida poderiam ser um pouco mais altos, mas já é algo bem respeitável e condizente com o papel que ele desempenha.

    De fato, ficou muito bom mesmo.

    ResponderExcluir