sábado, 30 de agosto de 2014

Paladinos no novo D&D: Juramento dos Antigos e da Vingança

Saudações, nobres heróis!

Finalizando nossa análise do paladino do novo D&D em termos interpretativos, trago-vos aqui os paladinos do Juramento dos Antigos e do Juramento da Vingança.

JURAMENTO DOS ANTIGOS

Tendência mais comum: Neutro e Bom

O juramento dos antigos remete ao tempo da “Fé Antiga” e à origem dos círculos druídicos. Fortemente ligados à natureza e ao equilíbrio do mundo natural, estes que foram os primeiros paladinos não conferem importância aos preceitos da Ordem ou do Caos; apenas aos preceitos do Bem. Eles lutam não exatamente pela causa da honra e justiça como os paladinos da devoção; contudo, eles combatem com igual determinação as forças do mal para preservar a luz e a bondade no mundo. Seus principais preceitos são:
Nutra a Luz: Através de atos de bondade e misericórdia, acenda a esperança por onde quer que passe, banindo todas as forças da escuridão e do desespero.
Proteja a Luz: Onde há bondade, beleza e amor, onde a vida flua, seja um bastião de defesa contra a escuridão e a maldade que se permitidas, obliterarão a luz no mundo.
Preserve sua própria Luz: Ilumine-se no riso, na música, na arte e nas formas simples e naturais de beleza. Se você permitir que a luz morra em você, não poderá protegê-la no mundo.
Seja a Luz: Que sua alegria e coragem iluminem todos aqueles que vivem em desespero. Que sua luz brilhe em todos os seus atos.
Como podemos notar, os paladinos que seguem o Juramento dos Antigos possuem uma herança muito forte da cultura élfica, e é muito provável que a maioria dos paladinos que seguem este caminho sejam elfos ou indivíduos fortemente ligados a este nobre povo.

JURAMENTO DA VINGANÇA

Tendência mais comum: Leal e Neutro

Os paladinos que seguem este caminho não são meros justiceiros ou “inquisidores”. Eles são indivíduos altamente comprometidos em trazer justiça por meio do princípio da retribuição. Aqueles que causaram grande mal ao mundo e a inocentes precisam ser punidos, tanto por conta das vítimas que fizeram quanto para que não façam novas vítimas. 

Este é o pensamento do paladino que segue o Juramento da Vingança: Justiça acima de tudo, mesmo que isto signifique sujar o próprio coração. Esta ética e visão rígida rendem a estes paladinos as alcunhas de cavaleiros cinzentos ou mesmo cavaleiros negros. Os preceitos deste Juramento são:


Combata o mal maior: Se precisar escolher entre combater o mal menor ou seus inimigos jurados, escolha sempre o maior dos males.
Sem misericórdia com os corrompidos: Inimigos comuns podem obter minha compaixão eventualmente, mas meus inimigos jurados não.
Por quaisquer meios necessários: Minhas convicções morais não podem jamais comprometer a busca pelo extermínio de meus inimigos.
Retribuição: Se meus inimigos causam mal ao mundo, é porque eu falhei em detê-los. Por isso, é meu dever ajudar aqueles que sofreram com isto.
Ao contrário do que parecia nas primeiras informações disponíveis sobre este Juramento, o paladino da vingança não é apenas um “tolo revoltado” ou um bárbaro de armadura completa. Mesmo não gostando muito da idéia de chamar estes indivíduos de paladinos, os personagens em si inegavelmente têm conteúdo.

Assim, o paladino de forma geral é extremamente comprometido com sua visão de justiça acima de tudo, até dos deuses. Poderíamos definir os três juramentos resumidamente da seguinte forma:
- DEVOÇÃO: Altamente comprometidos com os valores da honra e cavalaria, estes paladinos são ligados aos deuses do bem e da ordem.
- ANTIGOS: Comprometidos com o bem acima de tudo, estes paladinos são altamente ligados com a natureza e com os valores da cultura élfica.
- VINGANÇA: Fortemente ligados ao princípio da retribuição, estes paladinos não poupam esforços para punir aqueles que causam o mal no mundo. Mesmo que isto signifique comprometer a própria alma.


Por fim, conforme o livro do jogador, no livro do mestre teremos um 4º tipo de paladino, o “OathBreaker” (quebrador de juramentos), um paladino que, por uma razão ou outra, traiu o juramento que fez.

4 comentários:

  1. Achei interessante essas 2 classes, mas eu não chamaria elas de Paladinos. Ficaria melhor se colocasse por exemplo o Paladino de Juramento Antigo como por exemplo Cruzado (inclusive parece mesmo a classe com este nome do jogo Diablo III). O outro poderia chamar de Templário por exemplo.

    Creio que desse modo, ficaria bem mais claro e não deturparia a classe que sempre foi o Paladino, que é leal e bom!

    ResponderExcluir
  2. Sim, depois de ler o livro do jogador, concordo contigo, nobre amigo. No início, pensei que o Juramento dos Antigos representaria um tipo de paladino mais focado em tradições de honra e justiça, e uma ligação secundária com a natureza. Contudo, este enfoque maior na justiça e honra remete ao paladino da Devoção, que na verdade, é exatamente o mesmo paladino que tínhamos no AD&D e no início da 3a edição; o paladino leal e bom que segue um ideal de justiça e segue os deuses que representam isto, sem se ligar diretamente à Igrejas ou reinos.

    Em minhas campanhas pretendo usar todos os juramentos, mas paladinos mesmo serão os do juramento da Devoção. Os que seguem o juramento da Vingança podem ser chamados cavaleiros cinzentos ou cruzados (eles se parecem muito com os cruzados de Diablo 3). Já o juramento dos antigos, por ter um forte elo com a natureza, poderiam ser os cavaleiros verdes, cavaleiros druídicos, cavaleiros andantes, etc...

    ResponderExcluir
  3. http://rpgista.com.br/2009/01/28/para-o-inferno-com-os-paladinos-bonzinhos/

    ResponderExcluir