terça-feira, 22 de abril de 2014

O Senhor dos Anéis e AD&D: "Clérigos"

Os "clérigos" na Terra-Média não são evangelistas, e seu poder vem não
da fé, mas da sabedoria adquirida com os Valar. 
Saudações, sábios conjuradores!

Começando nossa adaptação de O Senhor dos Anéis para AD&D, trago-vos um pergaminho sobre os “clérigos” do cenário.

De início, imaginei que todos os conjuradores do cenário que não tivessem ligação com os Istari (os 5 Magos) seriam bardos, uma vez que a magia do verbo e da canção é diversas vezes mencionada, especialmente em O Silmarillion.

Contudo, lendo algumas passagens deste nobre tomo que narravam a chegada dos primeiros elfos a Valinor e como os Valar (seres divinos) lhes ensinaram a arte da espada e da magia, notei que alguns elfos se enquadrariam bem na classe do clérigo, não como evangelistas, mas como grandes sábios ligados a magias de cura e proteção, ensinadas a eles por seres superiores. Diferente do que acontece com os clérigos convencionais, que agem como representantes de seus deuses e dogmas, os "clérigos" da Terra-Média empenham-se em compartilhar sua sabedoria e poder com outros inimigos jurados da sombra. Sua convicção e seu poder advêm da sabedoria que adquiriram por meio dos Valar, e não de sua fé neles. 

Sendo assim, os “clérigos” da Terra-Média são na verdade elfos (mais especificamente, os Eldar e seus descendentes) que tiveram contato direto ou indireto com a sabedoria e poder dos Valar, aprendendo a utilizar uma forma de magia muito parecida com a empregada pelos próprios Istari. Na Terra-Média, estes elfos são normalmente conhecidos como sábios ou mestres do conhecimento. Estes conjuradores são muito raros na 3ª Era, e estão quase que completamente concentrados em Valfenda.

CLÉRIGOS EM REGRAS PARA AD&D

Em termos de regras, eles são exatamente como os clérigos do Livro do Jogador AD&D, exceto por:

Habilidades Exigidas: Sabedoria 15, Carisma 15.
Pré-requisitos: Sabedoria e Carisma.
Raças: Elfos*

* Apenas os elfos de Valfenda ou aqueles que tiveram contato com os Valar; isto exclui os elfos da Floresta das Trevas e a maioria dos elfos de Lórien).

Armas Permitidas: Os mestres do conhecimento de sexo masculino são proficientes com a espada longa e outras armas disponíveis normalmente aos clérigos. As elfas que não pertencem à sub raça dos elfos silvestres, não recebem treinamento marcial, e por isso podem usar apenas cajados, o bordão ou a maça leve.


MagiasOs "clérigos" da Terra-Média não recebem acesso às seguintes Esferas: Astral, Criação, Convocação e Necromancia. Além disso, eles também não recebem nenhum tipo de Poderes Concedidos, uma vez que não representam ativamente nenhuma divindade ou mito específico.


 “CLÉRIGOS” (OU MESTRES DO CONHECIMENTO) DE RENOME:

- Elrond (elfo, tendência bondosa, Clr nível 14).
- Galadriel (elfa, tendência ordeira, Clr nível 15).

* Os níveis destes personagens são tremendamente altos por causa do tempo de vida e feitos de ambos; Elrond nasceu na Segunda Era e antes de fundar Valfenda, foi o porta estandarte de Gil Galad, o último rei guerreiro dos elfos, participando ativamente em incontáveis guerras, como a guerra da Última Aliança. Galadriel, apesar de não ter um envolvimento tão grande com os problemas do mundo, chegou a conhecer Valinor e é uma elfa da Primeira Era, tendo enfrentado indiretamente confrontos terríveis nos muitos anos em que Morgoth praticamente governou a Terra-Média.


Nota: Os clérigos foram adicionados na correção que fiz no pergaminho sobre as classes.

7 comentários:

  1. Mto bom, espero q continue assim!!!

    ResponderExcluir
  2. Mto bom, espero q continue assim!!!

    ResponderExcluir
  3. Grato, misterioso amigo! Fico feliz que tenhas apreciado!

    ResponderExcluir
  4. Elladan,Filho de Elrond25 de abril de 2014 10:13

    Ótimo trabalho. É impressionante como é simples e elegante fazer uma adaptação dessas usando o AD&D como base. No caso do clérigo, as Esferas ajudam muito, porque se fossemos usar D&D 3.5 como sistema base, seriam necessários muitos ajustes, e o resultado final não ficaria nem de longe tão bom.

    E gostei muito da inserção desta classes no mix da Terra Média. No primeiro post, eu ia até sugerir que o clérigo fosse acrescentado, mas não imaginei como colocar a ideia de forma boa no papel. Da maneira como você descreveu, ficou excelente, e muito claro que personagens de peso como Elrond e lady Galadriel se enquadrariam perfeitamente na classe. Parabéns!

    Por fim, não poderia concordar mais com os níveis escolhidos para estes amados personagens. Ambos fazem parte do Conselho Branco, e até mesmo Gandalf e Saruman prestam certa reverência a eles, especialmente no caso de lady Galadriel.

    Continue assim!

    ResponderExcluir
  5. Grato, nobre irmão!

    O "clérigo" realmente poderia ser acrescentado às classes disponíveis na Terra-Média, bastando apenas uma pequena adaptação de conceito. Em termos de regras, o AD&D é realmente muito mais fácil e apropriado para se usar neste caso do que outras edições do jogo.

    Elrond é um personagem extremamente importante na história da Terra-Média, e seus feitos justificam mesmo seu nível bastante elevado, Galadriel, por outro lado, teve participações muito mais modestas e menos perigosas nos eventos que ocorreram em Arda, mas é extremamente antiga, e Tolkien sempre a descrevia como portadora de grande poder.

    ResponderExcluir