sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Meio Orcs em D&D 5ª Edição

Saudações, ferozes guerreiros!

Trago-vos aqui informações sobre os meio orcs em D&D 5ª Edição

Os meio orcs em D&D 5, de forma semelhante aos meio elfos, são vistos como seres bastante raros. Contudo, os meio orcs são ainda mais raros do que meio elfos, e geralmente não são tão bem recebidos (ou ao menos tolerados) quanto eles.

Agressivos e geralmente reclusos, os meio orcs geralmente vivem em regiões selvagens e inóspitas, sendo muitas vezes poderosos bárbaros, rangers e guerreiros. Eles podem viver com outros de sua raça em pequenas tribos ou clãs, mas muitos optam por uma existência nômade.


Em termos de regras, os meio orcs de D&D 5 são bastante poderosos.




TRAÇOS RACIAIS

Modificadores de Habilidade: Meio orcs recebem um bônus de +2 em Força e +1 em Constituição.
Tamanho: Médio.
Deslocamento: 9 metros.
Visão no Escuro.
Ameaçador: Meio orcs têm Vantagem em testes de Intimidar.
Idiomas: Meio orcs sabem falar, ler e escrever Comum e Orc.

10 comentários:

  1. Meio-Orc: Tipo um orc, só q sem nada da cintura pra baixo...

    ResponderExcluir
  2. Só faltou uma coisa: Vantagem são todos híbridos.

    ResponderExcluir
  3. Hahaha. Vendo os meio-orcs recebendo +2 em Força e +1 em Constituição, imagino como estejam os orcs de D&D 5ed.

    Nossos heróis terão muito trabalho...

    ResponderExcluir
  4. Sábias palavras, Odin! Os Orcs de D&D Next são ferozes e perigosos! Se na terceira edição, um guerreiro de primeiro nível poderia matar um orc, agora apenas um grupo de aventureiros de terceiro nível pode dar conta de uma dessas criaturas. Se for um chefe orc então, a coisa fica ainda mais complicada. Imagine um monstruoso guerreiro varrendo o campo de batalha, dilacerando carne e quebrando ossos com seu perigoso machado de duas mãos, cujo grito de guerra gutural e terrível pode inspirar outros orcs a causarem ainda mais destruição! Nada menos que uma criatura de ND 5, ou seja, um grupo de orcs seria algo que até mesmo alguns aventureiros experientes poderiam temer!!

    Mas, particularmente, eu não acho o Meio-Orc tão forte quanto assim... Eles podem parecer até um tantinho fortes se comparados as outras raças apenas em seus atributos, mas ganham muito menos vantagens se comparados a outras raças. Para mim, na verdade, com certeza a raça mais poderosa é o Dragonborn!

    ResponderExcluir
  5. Achei bem legal mesmo, e orc tem de ser forte, pois era tipo bucha de canhão.. oh apareceu uns 10 orcs o quê vocês fazem?, matamos todos pequenos grupo 4. Era muito fácil mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Acho que voltaremos a rezar por Goblins depois dessa... Hehehehe!

    ResponderExcluir
  7. Realmente, nobres amigos!

    Também sou a favor de ter monstros mais fortes, que realmente coloquem medo no coração dos aventureiros. Era mesmo frustrante quando um único personagem combatente de décimo nível consegui matar cerca de 40 orcs em combate direto sem perder metade de seus Pvs.

    O que temos agora é algo mais próximo de O Senhor dos Anéis; quem quiser enfrentar um bando de orcs treinados precisará estar muito bem preparado.

    E grande Gaborn, tens razão: os Dragonborns são mesmo os mais poderosos; mas como foram apresentados apenas na quarta edição e o jogo está voltando a uma temática mais "clássica", acabei os deixando de lado neste Salões.

    ResponderExcluir
  8. Os Dragonborns surgiram na terceira edição, na verdade! Eles surgiram ali nos anos finais da 3,5, em 2006, no livro Races of the Dragon. Eles eram criaturas à serviço de Bahamut. Um aventureiro que se dedicasse ao combate de dragões malignos poderia se colocar à disposição de Bahamut e renascer na forma de um Dragonborn, deixando para trás sua antiga raça e história para servir aos desígnios do Senhor dos Dragões Metálicos. Eles foram inclusos nos livros básicos da quarta edição justamente por serem extremamente populares entre os jogadores.

    ResponderExcluir
  9. Tens razão... em Races of the Dragon eles eram acólitos de Bahamut, e tinham um background muito interessante. Eu demorei para conseguir ter acesso a este livro, e como só o li em 2008, acabei associando a raça à 4a edição.

    Apesar de gostar do conceito da raça sempre tive ressalvas a seu uso como raça jogadora; não apenas pelo nível de poder deles, mas porque é requerido muito trabalho em um cenário para fazer com que "homens dragão" não sejam estranhos em tavernas ou cidades humanas, quando nem mesmo elfos e anões são tão comuns de se ver. Mas isso não significa de forma alguma que a raça seja ruim; nos cenários em que mestro, ela seria apenas incomum demais para que um jogador a utilizasse.

    Mas estás certo; eles realmente foram idealizados na terceira edição do jogo, e não na quarta como eu havia dito. Grato pela correção, nobre guerreiro!

    ResponderExcluir