quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Rangers "guerreiros" de AD&D

Houve uma época na qual rangers eram implacáveis
mestres de armas, verdadeiros "guerreiros" do
mundo natural.
Saudações, bravos guardiães!

Rangers são conhecidos como caçadores lendários, e a maioria atua de forma independente ou dentro de uma ordem focada em proteger certas regiões ou comunidades mais afastadas da civilização. Extremamente ligados à natureza, são rastreadores natos e inimigos jurados das forças sombrias. 

Em muitos locais eles são conhecidos como guardiões ou até mesmo fantasmas, dado a seu ímpeto de proteger regiões selvagens e simplesmente “desaparecer” na escuridão quando seu trabalho está encerrado. É muito comum que grupos de rangers se aventurem em locais completamente inóspitos e perigosos para monitorar as atividades de criaturas malignas e exterminá-las antes que elas possam causar mal a pessoas inocentes.

Nota: Nos últimos anos, os rangers passaram por diversas modificações, tornando a classe um misto entre ladino, guerreiro e druida. Os rangers aqui apresentados remetem ao modelo original do ranger, concebido no antigo AD&D, onde a classe era uma especialização do guerreiro, e tinha como grandes heróis Aragorn e Drizzt Do Úrden. Os rangers neste cenário são exatamente como os da Terra-Média de Tolkien; combatentes temíveis com grande ligação com o mundo natural, e que, apesar de mestres na arte da camuflagem, não possuem habilidades ladinas como base de Reflexos alta ou Evasão. Este ranger não possui magias, mas assim como no antigo AD&D, ele era um (verdadeiro) mestre no combate com duas armas.


INFORMAÇÕES DE JOGO

• Perícias, pontos de perícia, proficiência com armas e armaduras: Exatamente como mostrado no Livro do Jogador 3.5, exceto:

• Dado de Vida: d10

Ranger
Nível
Bônus Base de Ataque
Fortitude
Reflexos
Vontade
Especial
1
+1
+2
+0
+0
Rastrear, 1º Inimigo Favorito, Empatia com a Natureza.

2
+2
+3
+0
+0
Combater com Duas Armas, Ambidestria*

3
+3
+3
+1
+1
Tolerância

4
+4
+4
+1
+1
Companheiro Animal*

5
+5
+4
+1
+1
2º Inimigo Favorito

6
+6/+1
+5
+2
+2
Combater com Duas Armas Aprimorado, Defesa com Duas Armas* +1

7
+7/+2
+5
+2
+2
Caminho da Floresta

8
+8/+3
+6
+2
+2
Rastreador Eficaz

9
+9/+4
+6
+3
+3


10
+10/+5
+7
+3
+3
3º Inimigo Favorito, Defesa com Duas Armas* +2

11
+11/+6/+1
+7
+3
+3
Combater com Duas Armas Superior, Ambidestria Aprimorada *

12
+12/+7/+2
+8
+4
+4


13
+13/+8/+3
+8
+4
+4


14
+14/+9/+4
+9
+4
+4
Defesa com Duas Armas* +3

15
+15/+10/+5
+9
+5
+5
4º Inimigo Favorito

16
+16/+11/+6/+1
+10
+5
+5


17
+17/+12/+7/+2
+10
+5
+5


18
+18/+13/+8/+3
+11
+6
+6
Defesa com Duas Armas* +4

19
+19/+14/+9/+4
+11
+6
+6
Destruir Inimigo Favorito*

20
+20/+15/+10/+5
+12
+6
+6
5º Inimigo Favorito, Combater com Duas Armas Perfeito


Obs: As Habilidades especiais que aparecem sem asteriscos são idênticas ao que é mostrado no Livro do Jogador ou outros suplementos oficiais.


Descrição das novas habilidades:

Ambidestria: O ranger é um mestre no combate com duas armas, e como tal, sabe como lutar com as duas mãos com a mesma eficiência. Desta forma, o ranger pode usar seu modificador total de força com a mão inábil, e não sofre nenhuma penalidade adicional ao usar o talento Ataque Poderoso com a arma carregada na mão inábil.

Companheiro Animal: O ranger adquire um companheiro animal, da mesma forma que um druida de 3 níveis inferior. Deste modo, um ranger de 4º nível pode ter um companheiro animal de 1º, nível, um ranger de 10º nível poderia ter um companheiro animal de no máximo 7º nível, e assim por diante.

Defesa com Duas Armas: O Ranger recebe um bônus de escudo em sua CA sempre que lutar empunhando uma arma em cada mão. Este bônus não é válido para ataques naturais ou ataques desarmados.

Ambidestria Aprimorada: O ranger é capaz de lutar usando uma arma média em cada mão, sofrendo apenas a penalidade de -2 nas jogadas de acerto.

Destruir Inimigo Favorito:  Os ataques do  ranger causam um dano adicional de +2d6 contra um de seus inimigos favoritos. Uma vez selecionado seu inimigo "mais odiado", o ranger não pode voltar atrás em sua escolha.


6 comentários:

  1. Muito bom o post, parece que esqueceram que o ranger deve ser um bom combatente também. Sendo minha classe favorita no AD&D, os rangers INFELIZMENTE estão cada vez mais parecidos com ladinos nas novas edições chegando ao absurdo de se tornar uma especialização de ladino no Old Dragon (pra mim a única bola fora do velhor dragão). Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Salve, nobre David!

    Concordo plenamente contigo. O papel inicial do ranger é como combatente, assim como Aragorn, Faramir, Drizzt e tantos outros. É lamentável que atualmente esta classe esteja sendo transformada em uma especialização do ladino. O que realmente, é um absurdo.

    E também concordo que o único ponto questionável em Old Dragon foi retratar a classe como uma especialização do ladino, quando no AD&D o ranger era claramente uma especialização do guerreiro.

    Abraço e que bons ventos o acompanhem, nobre guardião!

    ResponderExcluir
  3. Concordo com todos amigos que comentaram antes de mim. Realmente foi uma bola fora colocar o Ranger cada vez mais ladino nessas novas ediçoes e pior ainda foi o Old Dragon q se diz Old Schol colocar o Ranger como especializaçao do ladino, chega a ser revoltante, pois eu adorei o Old Dragon e vou fazer uma campanha nele, mas vou fazer um ranger mais guerreiro, como era no nosso bom e velho AD&D...

    As classes q mais gostava no antigo AD&D era Mago, Ranger e Druida, talvez por isso tenha ficado revoltado com essa descaracterizaçao do Ranger, pois para mim seria como colocar o Druida como Arcano ao inves de magias divinas.

    ResponderExcluir
  4. Sábias palavras, nobre Eduardo. E sejas bem vindo aos Salões de Valhalla.

    Realmente, foi uma tolice generalizada esta transformação do ranger em uma espécie de "ladino das florestas" que ocorreu nos últimos anos. Tanto que quando mencionamos o ranger como uma especialização dos guerreiros, os mais jovens estranham. A classe foi completamente descaracterizada, o que é realmente uma pena.

    Em minhas campanhas faço questão em usar os "verdadeiros" rangers, independente destes serem especializados no arco ou nas espadas (apesar de preferir as espadas). Ranger são hábeis combatentes e guardiães do mundo natural, e não ladinos com algumas magias básicas de druida.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns vc pelo post, achei excelente! Não jogo RPG há alguns anos, mas após alguns anos sem jogar, esse ano comecei a ler sobre as histórias e blogs old school e percebi que me perdi nessas edições novas do D&D e que na verdade, após várias mudanças o melhor RPG q existiu foi o AD&D (pelo menos para a maioria de minha geração).

    Sei que muitos jogadores novos vão achar loucura, mas o que importa? Sou de outra geração mesmo, onde o ambiente era mais importante do que regras para tudo ou preocupações para balancear as classes! Época do Tagmar com aquela caixa, onde era o único RPG em português que iniciou vários brasileiros no RPG e depois o D&D da grow, que também joguei, pois eu na verdade iniciei como jogador no AD&D ainda em inglês, mas mestrei o D&D da Grow por ser em português.

    Quando lançou o AD&D em português foi uma coisa louca, ainda mais depois do Forgotten em português! Sempre gostei também do Dark Sun e para minha surpresa estão traduzindo vários suplementos dele num site... Lembro de ficar folheando livros do AD&D em inglês, com seus zilhões de suplementos, mesmo não sabendo muito de inglês...

    Enfim, a ideia Old School foi muito boa! A ideia do Old Dragon também achei ótima, mas poderiam pegar mais do AD&D e menos do antigo D&D na minha opinião, como no caso das classes. Claro que eles queriam simplificar, já que a ideia é essa e quem quisesse usaria os suplementos ou criariam as próprias regras para complementar. Só que o lance da especialização de classe foi meio que um tiro no pé, seria melhor colocar apenas as 4 classes básicas no livro de regras e depois fazer um suplemento com as outras classes conhecidas como o Ranger citado no post, além do Druida (Druida mesmo, desde o início, sem ser o que larga a armadura e vira natureba como foi proposto).

    Quem sabe alguém (ou eu mesmo, sabe-se lá) não faça um suplemento só com as classes como ranger, druida, paladino, bardo, sendo que desde o início eles sendo o q realmente são, e claro, Ranger como homem de arma e não como um ladino. Drizzt (meu segundo personagem favorito do Forgotten, após Elminster) deve estar doido para matar um q falou q ranger é um ladino rsrs.

    Enfim, estou de volta e acompanhando alguns blogs e esse aqui foi um dos q gostei e estou acompanhando com certeza.

    ResponderExcluir
  6. Sejas bem vindo aso Salões de Valhalla, nobre guerreiro de eras antigas!

    Concordo com absolutamente tudo o que dissestes, e ao ver teu comentário e os dos demais aventureiros acima, fiquei feliz em ver que há bem mais pessoas que se incomodam com o "ranger ladino" de hoje em dia. Salvo o que temos no mais recente Pathfinder RPG, o único ranger verdadeiramente fiel à essência da classe é justamente aquele presente em nosso amado AD&D e no sistema CODA de O Senhor dos Anéis.

    E também acredito que Drizzt e Aragorn estão indignados com esta situação. Esperemos que com D&D 5a edição isto seja corrigido.

    ResponderExcluir