domingo, 2 de setembro de 2012

Grandes Batalhas de nossa Era: A guerra dos anões e dos orcs.


Saudações, bravos guerreiros!

Inauguro esta série de pergaminhos, que há de mostrar algumas das maiores batalhas já travadas em universos de fantasia medieval.

O que vos trago a seguir é a história de uma das mais sangrentas batalhas já ocorridas na Terceira Era da Terra-Média; a guerra entre anões e orcs.

“A Guerra dos Anões e Orcs foi uma grande guerra travada entre as duas raças, e começou quando o idoso rei anão exilado Thrór, herdeiro de Durin, tentou retomar sozinho o reino de Moria e foi assassinado por Azog o Orc em 2790 da Terceira Era. Após covardemente enviar vários de seus guerreiros contra Thrór para enfraquecer o rei anão, Azog assassinou-o em combate homem contra homem quando Thrór mal conseguia permanecer de pé.

Além disso, Azog marcou seu próprio nome na cabeça decepada do Anão - resto do corpo foi cortado em pedaços e dado aos corvos. Azog regozijou-se sobre este ato e não só impediu os anões de recuperar cabeça de Thrór, como ofensivamente enviou um saco de dinheiro como "pagamento" pela cabeça do rei anão, evidentemente contando em detalhes o ritual de esquartejamento e decapitação.

De 2790 à 2793 da Terceira Era, os Barbas-longas (descendentes de Durin) responderam ao insulto reunindo suas forças, pedindo que todas as casas dos anões se preparassem para marchar .Em 2793 os exércitos combinados dos Anões atacaram, destruindo e exterminando um por um todos os fortes orcs nas Montanhas da Névoa, desde o Monte Gundabad ao norte até o pico de Methedras no sul.

A maior parte da guerra foi travada no subsolo, nas minas de grande e túneis das Montanhas Sombrias, onde Anões eram virtualmente imbatíveis em combate. A guerra foi considerado terrível, com nenhum dos dois lados mostrando qualquer misericórdia. Apesar de estarem em número muito inferior, os Anões tinham a vantagem, graças ao seu talento para a guerra, suas armas superiores e principalmente devido à grande fúria que os acometia por causa da zombaria de Azog.

A guerra chegou ao clímax em T.A. 2799, quando uma batalha final foi travada no vale de fora dos portões leste de Moria, a batalha de Nanduhirion ou Azanulbizar como os anões chamavam-na. Os rumos desta batalha estavam inicialmente contra os anões, pois os orcs tinham o terreno elevado e um número quase quatro vezes maior; para completar, a batalha aconteceu em campo aberto, em um dia escuro de inverno onde não havia sol algum para incomodar os orcs.

A maré da batalha mudou completamente quando um último contingente de guerreiros anões das Colinas de Ferro, liderado por Grór, chegou para reforçar as fileiras dos anões. Azog foi morto em combate singular por Dáin Ironfoot, que após a batalha arrancou a cabeça de Azog e pregou-a em uma lança, com a bolsa de dinheiro enfiada na boca do orc. Contam os registros que nesta batalha mais da metade dos anões envolvidos foram mortos ou gravemente feridos, mas a perda dos orcs foi mais expressiva; foram contados 10 mil corpos de orcs no vale ao fim da batalha. Foi neste dia inclusive que Thorin ganhou seu apelido de Escudo de Carvalho, pois quando estava no final d seu vigor e já sem sua arma, o anão pegou um ramo de carvalho e com ele continuou lutando contra seus inimigos.”

Saldo: Cerca de metade dos guerreiros anões do clã Barbas Longas perdeu a vida no confronto, e o pseudo reino de Azog foi destruído junto com o rei orc e 10.000 de seus guerreiros.

Vitória: Anões.

5 comentários:

  1. Muito bom, Odin! Salve os anões por sua vitória, embora tenham tido tantas perdas...

    ResponderExcluir
  2. Grande história, Odin. Eu só conheço as histórias da Terra-Média até o fim da Sociedade do Anel. Qual é a fonte deste relato?

    ResponderExcluir
  3. Esta história foi contada de forma fragmentada um pouco no Silmarillion e um pouco nos Contos Inacabados, nobre José.

    ResponderExcluir
  4. Ah, vlw. Eu num tive tempo de ler esses ainda.

    ResponderExcluir
  5. parabens pela sua historia Odin!!!!!

    ResponderExcluir