terça-feira, 7 de agosto de 2012

O ritual de nascimento de um druida.

Saudações, nobres almas!

Trago-vos aqui mais uma nobre contribuição de nosso irmão druídico Lassë Ciryatan. Desta vez o sábio druida, nos explica como se dá o ritual de nascimento de um druida élfico.

"Muitas pessoas crêem que o nascimento de um Druida é idêntico ao de qualquer elfo, mas nem em todas as crenças isto é um fato. Para algumas tribos, uma série de rituais deve ser feita para que assim, a mãe natureza “gere” um novo Druida. Abaixo demonstro a forma de nascimento de um Druida da Estrela do Sul, e todos os processos necessários para garantir que este seja um filho de nossa causa, abençoado por todos os espíritos da floresta.
Alguns fatos para o melhor entendimento:
·         -Ninguém deve tocar a criança, até o momento de conduzi-la para seu primeiro banho (ou purificação), que se dá alguns momentos após o parto.
·         -A missão do pai e dos parentes neste momento é de provir proteção para que a mãe gere seu filho. Mas estes não devem nunca entrar em contato com a mãe e a criança, mesmo em algum perigo pressentido.
·         -No caso de algum perigo, os membros da tribo devem enviar os animais da floresta, e em um caso raro, de extremo perigo, em que não haja outra maneira a não ser adentrá-la, devem entrar apenas os que possuem a capacidade de transmutação sob a forma animal, pois a única pessoa que a criança deve ver em seu ritual, sobre a forma élfica é a mãe.

Ritual:
Para o parto, a mãe deve andar nua e procurar uma árvore anciã, geralmente um Carvalho, que possua a flor vermelha ou prateada (Carvalhos estes que recebem toda a energia dos antigos druidas quando enterrados em seus pés, onde a flor vermelha guarda o espírito de um grande elementalista, e a flor prateada o espírito de um grande guerreiro). Ao encontrá-la, a genitora deve acocar-se ao lado de uma grande raiz, fazer uma “ninho de folhas” e assim partejar seu filho, deixando que este caia direto sobre a cama, sem tocá-lo.
Isto se dá ao fato de nossa crença, o primeiro toque no corpo de um recém nascido deve ser dado pela natureza. O cordão de ligação (Umbilical para os povos livres) não pode ser cortado por acessórios forjados, como facas, adagas e espadas, ele deve ser cortado pela mordida ou pela garra de algum animal da floresta, assim, a primeira arma que conhecerá será um irmão da natureza.

Neste momento, o pai da criança será informado pelos espíritos da natureza, o nome desejado pelos antigos vagantes (almas dos druidas que já se despediram deste mundo), e este então, aguardará o retorno de sua mulher e filho para seu lado.

Após este rito, e o primeiro choro da criança, esta será pela primeira vez pega pela mãe, onde deve ser levada para ser banhada em água corrente, (rio ou sanga), para que sua primeira purificação seja feita pela natureza. Após este banho, a criança deve ser seca apenas utilizando-se folhas secas e palhadas, colhidas próximas ao local do parto. Em sua primeira noite, a criança deve dormir sobre as folhas da árvore anciã, nua, para que assim seu primeiro abrigo seja provido pela natureza, e seu primeiro sono velado pela mãe Lua.
Só então no segundo dia, a mãe pode pegar seu filho e retornar para sua tribo, onde apresentará o mais novo irmão a todos os senhores anciões, e após para seu pai, que segurará seu filho nos braços pela primeira vez, e assim batizará a criança com seu nome transcendente, conforme lhe segredou a floresta no momento de seu nascimento. "

- O ritual de nascimento de um Druida, na crença dos Inquisidores do Sul.

4 comentários:

  1. Nossa! Muito legal a postagem. Eu sempre gostei dos elfos e, quando comecei a jogar D&D, passei a gostar de druidas também. Acho muito legal essa relação deles com a natureza.

    ResponderExcluir
  2. O texto é muito bom mesmo! Eu nunca consegui jogar com uma druida, mesmo quando tentei, mas acho uma classe legal.

    ResponderExcluir
  3. Também gosto muito da relação dos druidas e elfos com a natureza. E este texto por nosso nobre irmão druida ficou realmente muito interessante.

    ResponderExcluir
  4. Mas que belo conto...

    Hohoho meus nobres amigos... por favor me digam, quem não gosta de Druidas? Nossa coragem e sabedoria é lendária, assim como nossa modéstia...=P

    ResponderExcluir