domingo, 8 de julho de 2012

Um pouco sobre Druidismo e Shamanismo

Thrall, o Guardião dos Elementos,
um dos mais poderosos e sábios
shamans de Azeroth
 Saudações, sábios aventureiros!

Trago-vos aqui uma breve explicação sobre dois conceitos que podem ser muito bem (ou melhor) aproveitados em nossas campanhas: o druidismo e o shamanismo. No mundo de Azeroth estas duas doutrinas são extremamente importantes, e seus adeptos já salvaram o mundo mais vezes até do que as mais nobres ordens de paladinos.

Existem dois sistemas de crenças principais cujos valores estão altamente interligados à natureza: o Druidismo e o Shamanismo. Apesar de possuírem certas diferenças, ambos os sistemas são extremamente semelhantes e convivem em uma relação de harmonia e respeito mútuo; ambos compartilham muitos valores e conceitos básicos, como o animismo, reverência aos ancestrais e a busca por sabedoria e orientação no mundo espiritual. Os druidas veneram a natureza através dos espíritos das plantas, animais e através do Espírito Fundamental do mundo selvagem. Já os shamans, veneram os espíritos através dos quatro elementos fundamentais da natureza: fogo, água, terra e, principalmente, o vento.

Druidas e shamans consideram-se servos que conduzem o poder do próprio universo através de uma relação de enorme respeito para com os espíritos. É interessante notar que os shamans e druidas mais antigos recusam-se a dizer que canalizam seus poderes através de magia, porque para eles, tudo o que fazem são pedidos, que os espíritos de seus ancestrais, da natureza e dos elementos gentilmente optam por atender. É desnecessário dizer que, por mais poderoso que um druida ou shaman seja, ele jamais se auto-proclama como um “mestre” dos espíritos ou do mundo natural; principalmente porque quanto mais experiente é um shaman ou druida, mais noção ele tem de que os poderes que canaliza não são seus, mas sim cedidos a eles pelo próprio universo.

Arqui-druida Malfurion Stormrage, o primeiro
druida mortal do mundo, um dos mais nobres e respeitados
heróis de Azeroth
Em Azeroth e em muitas outras ambientações, druidas e shamans possuem grande respeito pela doutrina que rege a vida de clérigos e paladinos, mas discordam totalmente da posição que seus compatriotas mais ligados ao aspecto divinos assumem. Enquanto druidas e shamans se consideram “receptáculos” por onde o poder dos espíritos e do mundo natural flui, paladinos e clérigos se consideram agentes diretos das forças divinas. Esta divergência de ideologias já causou pequenos conflitos e desavenças, mas estas, felizmente, sempre foram deixadas de lado quando foi necessário unir forças para combater um mal maior.

Em breve, hei de trazer-vos informações mais detalhadas sobre estas duas nobres doutrinas, em pergaminhos que podem ser aproveitados em quaisquer tipos de campanha.

13 comentários:

  1. Os Shamans e druidas de Azeroth são muito legais. Acho tão interessante esse conceito do "pedido". Muito bom o pergaminho, nobre Odin!

    ResponderExcluir
  2. Hohoho... Um pergaminho que me interessa muito, sem dúvida =D...

    Mas que "enfeites" são esses na cabeça de nosso nobre irmão druida?

    ResponderExcluir
  3. Hahaha, sabia que um dia alguém perguntaria sobre isso, nobre druida...

    Os chifres na verdade são um sinal de grande poder entre os druidas em Azeroth. O "Pai" de todos os druidas nesta ambientação é um semi-deus chamado Cenarious (o link para a imagem é: http://www.wowpedia.org/File:Cenarius_Crown_of_the_Heavens_cropped.png?c=1).

    Alguns druidas de notório poder e sabedoria (especialmente entre os elfos noturnos) desenvolvem um par de chifres semelhantes ao de Cenarious, o que, apesar de extremamente estranho para nós, é um símbolo de grande honra dentro dos círculos druídicos. Malfurion, como o primeiro discípulo de Cenarious, possui chifres praticamente idênticos aos do semi-deus.

    ResponderExcluir
  4. Leonardo Viera Andrade9 de julho de 2012 00:52

    Um belo post, Odin. Eu estou me divertindo muito desde que liberaram os xamãs para os anões . Eu sempre gostei dos anões nômades de Greyhawk e agora posso reproduzir isso parcialmente no wow.

    No circulo druidico de Kharnat conta com druidas, alguns xamãs, uma bruxa e alguns clérigos de divindades naturais. O meu favorito é o Garra Velha, o druida gnoll mais velho de todos, que dava poções mágicas para a gente. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    Juro que vou tentar escrever a continuação das Crônicas do Caçador quando tiver algum tempo, e também apresentar a raça dos predadores (junto com a sua cultura) para D&D.

    Agora vou largar um spooler muito cruel para o Odin. Sei que você gosta do Thrall (e eu também). O nosso amado orc xamã vai morrer no ultimo path da expansão do Mists of Pandaria. Parece que o Thrall vai tentar retomar o controle da Horda e o Garrosh vai matar ele, e isso ira fazer com que a Aliança e a Horda se juntem para o Siege of Orgrimmar.

    ResponderExcluir
  5. Também gostei muito dos anões shaman do clã wildhammer. Apesar de preferir jogar na Horda, fiz questão de jogar um pouco com um shaman anão e com um elfo noturno druida.

    E gostaria mesmo de ver a continuação das Crônicas do Caçador também.

    Quanto ao Thrall, ouvi um boato de que isto iria mesmo acontecer, mas logo em seguida surgiram outras histórias dizendo que para fazer frente à "virada" que a Aliança deu sobre a Horda, especialmente na região dos Barrens, Garrosh comete o mesmo erro do pai, e afunda todo o clã Warsong junto consigo. É neste momento em que Thrall se daria conta de que precisa retornar e assume o controle da Horda, fortemente apoiado por Vol Jin e Baine. Nesta versão da história, o patch terminaria com o filho de Thrall nascendo e Garrosh se tornando uma espécie de "Boss" semelhante a Arthas e Illidan.

    Vejamos o que acontece, mas admito que odiaria se Thrall morresse, da mesma forma que lamentei bastante a morte do bravo Cairne.

    ResponderExcluir
  6. Amanda Silversong9 de julho de 2012 10:38

    NIGHT ELVES RULE!!!!

    Perai!!!! Que história é essa do Thrall morrer??? Ele não pode morrer!!!

    ResponderExcluir
  7. Hahaha, acalma-te lady Silversong...

    A morte de Thrall logo após a vitória dos druidas do Cenarion Circle e dos shamans do Earthen Ring contra as forças de Ragnaros ainda não foi confirmada. Quando Thrall foi dado como perdido até mesmo pelos Aspectos, sua companheira Aggra jurou que o traria de volta.

    Esperemos...

    ResponderExcluir
  8. Muito bom o post, Odin. Agora, sobre Thrall... Sou grande fã dele, mesmo, mas não gostaria de vê-lo como líder da Horda outra vez. O cara virou um personagem do mundo. Ele não tem mais saco ou paciência pra tomar um lado na luta. Acho que depois de tudo que ele viu, entende que estas diferenças são tolas perante a grandesa do todo. E acho que o Garosh também não deveria morrer, pra não virar história repetida mesmo. Acho muito mais bonito se ele simplesmente abdicar do trono e voltar pra Outland. Ele é o um orc de Dreanos e governa como um. Diferente do Thrall que viu a importância da cautela em Azeroth. Seria muito mais interessante ver o Garrosh crescer como personagem, ao inves de simplesmente fazer uma grande burrada, já que é isso que todo mundo espera. Quanto a novo líder da Horda, eu adoro o Vol'jin, mas acho difícil que ele assuma. Em todo caso, poderia ser uma oportunidade pra trazer o Rexxar de volta.

    ResponderExcluir
  9. Sábias palavras, nobre amigo.

    Em minha humilde opinião, personagens como Thrall e Malfurion estão "acima" dos jogos de poder e das disputas que em alguns casos chegam a ser até infantis entre a Aliança e a Horda. Apesar de desejar que Thrall retornasse à liderança da Horda, especialmente pelo significado simbólico que seu regresso traria, concordo que por conta de suas responsabilidades e sabedoria, ele se tornou mais um "personagem do mundo mesmo". O próprio Malfurion abdicou de qualquer posição de liderança dentro da Aliança para cuidar dos assuntos realmente importantes do mundo, e por mais de uma vez se declarou neutro nos conflitos entre Horda e Aliança (pois tinha coisas mais importantes a fazer). É coerente, realmente, que este tipo de disputa fique nas mãos de personagens como o rei Varian, por exemplo.

    Quanto a Garrosh, concordo que seria mais interessante que ele abdicasse ao poder e voltasse para Outland. Ele, assim como seu pai, é um grande guerreiro que incorpora (no bom e mau sentido) toda a filosofia do clã Warsong, que é bem diferente dos Frostwolves de Thrall. Durante uma missão, tive a oportunidade de ver Garrosh eliminando um de seus próprios generais por este ter lançado uma ataque em massa contra uma floresta onde os elfos noturnos treinavam seus druidas iniciantes. Lembro que, quando o general disse a Garrosh que atacou porque estava apenas cumprindo com seu dever, Garrosh ficou enfurecido e disse "Eu mandei matar inocentes? Eu mandei matar mulheres e crianças? Está dizendo que eu sou um assassino? Um covarde?"

    Enfim, Garrosh não é um bom líder, mas certamente é um guerreiro que merece mais respeito, e que não deveria mesmo ser tratado de repente como um vilão.

    E eu gostaria MUITO de ver Rexxar voltar.

    ResponderExcluir
  10. Lembrou MUITO bem, Odin! Essa missão que você citou é uma das minhas preferidas. Na verdade é uma série de missões onde você até vira general das forças locais. E quando o Garrosh mata esse líder ai nós podemos ver uma mudança muito grande no personagem. Se você comparar esse Garrosh com o do final do Wrath of the Lich King, que ataca o Varyan feito um louco, já se percebe um crescimento no personagem. Eles tem que seguir isso, mostrando que a experiência dele como líder da Horda o deixou realmente mais sábio. Ele encarna tudo aquilo que um orc de Dreanor deve ser e, infelizmente, não o lugar dele em Azeroth.

    Conhecendo o personagem a gente imagina que é bem difícil que o Rexxar aceitasse a liderança da Horda, na campanha do Frozen Throne já é difícil convencê-lo a ser o Campeão da Horda! Mas é um personagem bom mesmo.

    Ao meu ver, a Horda é um daqueles grupos que merece dois líderes. Um de guerra e um de paz, como muitas tribos nativo americanas.

    ResponderExcluir
  11. Esta seria uma ideia interessante mesmo... um shaman que lideraria durante tempos de paz e um guerreiro que assumiria o comando em tempos de guerra. O que eu achava realmente impressionante em Thrall, Cairne e até mesmo no nobre Baine, é que eles conseguiam juntar ambos os papéis por conta de suas personalidades.

    E realmente, Rexxar jamais aceitaria a liderança da Horda, mas seria um excelente general de campo e campeão.

    ResponderExcluir
  12. Leonardo Viera Andrade9 de julho de 2012 19:40

    O Thrall morrer é muito possível de acontecer, já que ápice dele foi o Cataclisma. E tudo aponta para a morte dele. O Garrosh e Thrall tem que terminar o duelo que começaram, e que ficou inacabada quando as forças do Flagelo invadiram Orgrimmar. Nessa luta o próprio Thrall iria perder, mas na hora em que o Garroh iria desferir o golpe final, as forças do Rei Lich atacaram. Também tem o fato do personagem ser respeitado tanto na Horda quanto pela Aliança, e a morte dele, a meu ver, seria o único catalisador que juntaria a Horda e a Aliança.

    Quanto ao novo líder da Horda, o Thrall está fora de questão, já que quando ele abdicou da liderança no Cataclisma, a produção da Blizzard afirmou que ele não voltaria a ser Chefe de Guerra. Isso gera três candidatos a líder:

    1º Vol’Jin; O Troll fez aquele juramento que vai pegar o Garrosh no momento que ele estiver sozinho e todo ferrado, mas não acredito que ele se torne Chefe de Guerra. Ele é mais do tipo de personagem “sombra” e conselheiro do que líder de uma facção inteira;

    2º Rexxar; O Mok’Nathal é personagem querido da velha guarda e para tristeza de muitos, ele simplesmente virou um personagem completamente sem carisma no wow. Acredito que ele volte a Azeroth para vingar o Cairne e o Thrall (o que reforça ainda mais sua morte) ao lado do Rokhan e do Chen, apara reviver o grupo lendário do Frozen Throne. Já ele como líder da Horda, acredito que não seria uma boa, pois mataria a essência do personagem como caçador e nômade que prefere as matas a liderança de uma facção importante;

    3º Varok Saurfang; O maior, e mais velho, guerreiro da Horda! Esse personagem é simplesmente fantástico! Ele lutou as guerras da Horda, se arrepende de tudo que ele fez quando os bruxos comandavam a Horda, e é amado e respeitado até na Aliança.
    Ele chegou a comandar tanto a Horda quanto a Aliança como Comandante Supremo na 2º Guerra das Areias Movediças em Ahn'Qiraj.
    Saurfang também fez uma ameaça ao Garrosh de que caso ele comece uma guerra com a Aliança, o próprio Saurfang disse na cara dele que o mataria, e o Garrosh tem medo dele!
    Depois da morte do filho dele no Portão da Ira, o Varok entrou em depressão, e se não fosse esse fato, o Thrall entregaria para ele a liderança da Horda, ou para o filho dele se estivesse vivo.
    Acredito que com a morte do Thrall, o Varok saia da depressão e vá cumprir o juramento, e também é um personagem que a Aliança seguiria (o que reforça ainda mais a morte do Thrall).
    O Saurfang também é o único guerreiro da Horda que é capaz de enfrentar o Garrosh em Mak’Gora e vencer. Acredito que no final da luta com o Garrosh, esse irá desafiar alguém da Horda para Mak’Gora e ninguém vai ter força para enfrentar o Garrosh em combate individual, já que esse matou o Thrall, ai é que o Varok vai surgir e aceitar o desafio. Após ganhar o duelo, o Saurfang se tornará o líder da Horda.

    ResponderExcluir
  13. Teoria interessante, amigo Leonardo, mas ainda não estou convencido que Thrall irá tombar(não descarto a possibilidade, porque como bem dissestes, é algo possível); a Blizzard já havia feito um comunicado oficial anunciando a volta dele ao posto de warchief logo quando começaram a divulgar informações sobre o Cerco a Ogrimmar. Quanto ao duelo dele com Garrosh a impressão que tive lendo sobre isso e assistindo o vídeo (nunca cheguei nesta parte do jogo) é que a luta estava bem disputada, e no momento em que Garrosh conseguiu uma vantagem significativa, a luta foi interrompida com um relâmpago de Thrall.

    Gosto muito de Vol'Jin, mas não creio que ele assumiria o controle da Horda pelo mesmo motivo que acho que Rexxar não o faria; esta posição não condiz muito com o esteriótipo criado para os personagens. Mas eu gostaria muito de ver Rexxar de volta.

    Concordo que Saurfang, assim como Rexxar, seria capaz de derrotar Garrosh em combate singular, mas acho que SE um Mak’Gora ocorresse, teríamos que considerar também Baine Bloodhoof, que é considerado hoje como o mais poderoso guerreiro Tauren (recomendo que leiam o conto "As our fathers before us"; é excelente). No conto, Baine confronta Garrosh, e só recusa o desafio do orc porque se convenceu que ele não sabia sobre o machado envenenado que matou Cairne, e porque pretendia honrar o desejo de seu pai em manter a Horda unida. Em minha humilde opinião, Baine tem motivos de sobra para lutar com Garrosh caso este se corrompa, e é perfeitamente capaz de enfrentá-lo.

    Contudo, acho que o Mak'Gora não acontecerá porque a blizzard já avisou no wowinsider que "Era hora de nosso Warchief voltar" e que "Garrosh seria o vilão final que os jogadores enfrentariam em mop".

    Enfim, em breve, saberemos o que o destino aguarda para a Horda...

    ResponderExcluir