domingo, 29 de julho de 2012

Monges em Azeroth

Saudações, sábios guerreiros!

Como alguns de vós já sabem, o caminho do monge foi inserido no universo mítico de Azeroth recentemente. Como é de costume no cenário, foi criado um conjunto de valores e princípios para contextualizar melhor a classe, algo que infelizmente nem sempre vemos em nossos amados livros de RPG.

De qualquer modo, os monges em Azeroth são indivíduos compenetrados que buscam dedicar-se de corpo e alma a todas as tarefas que se engajam, sempre vivendo o presente da forma mais plena possível, sem se levar pela nostalgia do passado ou pelo medo do futuro. Todos eles possuem tendência boa, e buscam, da melhor forma possível, promover o bem maior. Todavia, o caminho para bem maior é trilhado de maneiras muito diferentes, através das filosofias de dois mestres chamados Huojin e Tushui.

Trago-vos aqui uma idéia geral sobre estes dois caminhos filosóficos e modos de vida, que podem enriquecer muito o histórico e interpretação de nossos monges, independente do cenário que usamos.

CAMINHO DE HUOJIN

De acordo com a filosofia de Huojin, a falta de ação é a maior injustiça que um homem de bom coração pode cometer; “para que o mal triunfe, basta apenas que um homem de bem cruze os braços”. Segundo este caminho, não há vergonha em errar quando se está lutando por uma causa nobre, como defender seu lar e seus entes queridos. Nestes casos, deve-se agir de forma enfática e decisiva, por mais altos que sejam os custos.

O caminho de Huojin é marcado por decisões práticas e decisivas. Seus seguidores entendem que a moral e ideais não são exatamente absolutos, e que em certos casos, podem mudar de acordo com as circunstâncias. Justamente por isso, os adeptos deste caminho devem se manter flexíveis em sua maneira de pensar e sempre observar com atenção e sem preconceitos tudo a seu redor, pois só assim serão capazes de agir em pró do bem maior.


CAMINHO DE TUSHUI

O caminho de Tushui encoraja seus adeptos a viverem uma vida honrosa e venerável através da prática da meditação, treinamento rigoroso e alta convicção moral. Segundo esta doutrina, a disciplina e a virtude jamais são guerras vencidas; são na verdade batalhas, travadas diariamente dentro de nós.

Para os adeptos deste caminho, valores são totalmente imutáveis, e devem ser preservados a todo custo. Em todas as ocasiões existe um caminho correto e um errado, e todos devem se empenhar em seguir o caminho reto, mesmo que isso signifique auto-sacrifício e perdas dolorosas. De acordo com Tushui, o bem e o mal são conceitos claros e definidos, mas que só podem ser verdadeiramente percebidos por aqueles cujas mentes estão devidamente limpas e preparadas.



* Com a permissão do mestre do jogo, seria impossível permitir que monges adeptos da filosofia de Huojin possuíssem tendência Caótico- Boa.

Um comentário:

  1. Gosto muito da classe dos Monges... Na verdade, considero a classe uma das mais legais...

    Uma grande dica, Odin =D...

    ResponderExcluir