terça-feira, 26 de junho de 2012

Elgalor: A Era dos Orcs (Prelúdio)

Meu nome é Ashard. Outrora, fui um poderoso rei que abdicou de seu trono e família em busca da verdadeira sabedoria. Fiz um voto de pobreza, me tornei um monge guerreiro e usei meu punho e meu discernimento para trazer um pouco de justiça aos mais desfavorecidos, enquanto aprendia com cada pessoa que cruzava meu caminho. Após cometer junto a meus companheiros um terrível erro de julgamento, morri nas mãos de criaturas nefastas, e no além vida, passei a realizar uma penitência, prestando serviços às forças celestiais como mensageiro, conselheiro de mortais e como guerreiro.

Minha história, no entanto, não é importante. O importante é que não fomos atentos e astutos o bastante, e agora, muitos hão de pagar por nossa falta de vigília.



Elgalor passou recentemente por um período de grande turbulência e mudança. Durante 20 anos, os mortais se viram sem a sabedoria e o poder de muitos de seus deuses, muitos aparatos mágicos perderam seu poder, o uso da magia arcana se tornou instável e os maiores heróis do mundo foram consideravelmente enfraquecidos. Há pouco tempo atrás, um grupo de nobres heróis conseguiu realizar o que parecia impossível: Trazer a essência divina das divindades menores e intermediárias de volta ao mundo dos mortais. Mas isso, como vimos mais tarde, teve um preço terrível.

Em ruínas obscuras que antigamente faziam parte do Grande Reino dos anões, estes heróis travaram uma luta desesperada contra um arqui-demônio dos “Dias Antigos”, um que estava presente no evento no qual o mundo foi “refeito”. Seu nome era Sagra’nel, o Corruptor. Pelo que descobrimos mais tarde, foi feito um ritual extremamente longo e complexo para colocar o demônio naquele local, um ritual que de início, já abriu uma pequena “fenda” no tecido de nossa realidade. O responsável por isso foi um poderoso arqui-mago totalmente desconhecido, que barganhou com o demônio para obter um misterioso artefato. Depois de ter conseguido o que queria, o arqui-mago conduziu os heróis até o salão onde o demônio estava, e explicou-os que se Sagra’nel fosse destruído ali, antes do amanhecer do próximo dia, os deuses seriam capazes de novamente canalizar seu poder ao mundo dos mortais, se assim desejassem. Contudo, se os heróis fossem derrotados, o demônio consumiria suas almas, recuperaria seu verdadeiro poder e se libertaria, trazendo uma era de caos e morte absolutamente sem precedentes.

Até poucos dias atrás, não sabíamos o que o arqui-mago havia barganhado com o demônio, ou o que ele pretendia. O fato é que os heróis, com imensa coragem e resolução, foram capazes de derrotar e banir o poderoso demônio após uma batalha titânica que ferio mortalmente todos eles e tirou a vida de três integrantes do grupo.

No dia seguinte ao embate, os mortais já podiam sentir o poder de seus deuses os banhando novamente. Com o passar dos meses, clérigos e paladinos recuperaram seus poderes e com isso, ajudaram a salvar reinos que pareciam condenados à destruição. Os grandes heróis de Elgalor também gradativamente recuperaram seu antigo poder e habilidade. Obtendo um maior controle sobre a energia mágica do mundo, arcanos e clérigos começaram lentamente a criar novos itens, armas e armaduras imbuídos de magia.  Tirando o fato dos dragões ainda estarem muito mais poderosos do que antes, tudo começou a voltar ao normal.

Mas então, exatos 13 meses passados da destruição de Sagra’nel ficou claro o que o arqui-mago pretendia...

5 comentários:

  1. AAAH, eu sei quem é esse arquimago maldito!! Pelos Deuses... essa há de ser um vilão extremamente difícil de se enfrentar...

    ResponderExcluir
  2. Hmmm... E o que será que pretendia tão ardiloso arqui-mago?

    ResponderExcluir
  3. Hahaha, eles já estão chegando...

    ResponderExcluir