domingo, 25 de março de 2012

Raças nos Nove Mundos: Elfos da Luz

Em termos espirituais, os Elfos da Luz são uma das raças mais avançadas dos Nove Mundos. Ao longo de suas extensas vidas, cultivam com paciência e determinação a arte da magia e da espada, sempre mantendo grande contato e respeito com a natureza e com o mundo natural.

Os elfos da luz, mas do que qualquer outra raça, se deram conta do impacto negativo que sentimentos como raiva, ódio e medo causam dentro de um indivíduo, e por extensão, a tudo ao seu redor. Por esta razão, independente do papel que o elfo desempenhe em sua sociedade, ele cultiva uma forte consciência de que não importa a situação, uma pessoa jamais deve se deixar levar por estes sentimentos. Guerreiros, magos, clérigos, druidas e rangers aprendem desde muito cedo a controlar suas emoções e não se deixar dominar por elas. Para membros de outras raças, os elfos da luz parecem por vezes frios e distantes, o que geralmente é um engano. Os elfos da luz repudiam a frieza ou desânimo, que para eles são sinais de fraqueza ou “falta de alma”. Para um elfo da luz, o equilíbrio mental e espiritual é algo extremamente importante, algo que deve ser cultivado durante todos os dias de suas vidas.

Em Alfheim, o Grande Reino dos Elfos, existem diversos bosques e árvores sagradas, que simbolizam aspectos muito importantes dentro da cultura élfica. Todos os casamentos entre elfos e batismos de novas crianças são realizados nestes locais. Na verdade, a união entre homens e mulheres é algo extremamente importante e sagrado na cultura dos elfos da luz, pois cada um deles tem apenas um único companheiro para toda a vida. O processo de união normalmente começa quando um homem e mulher demonstram sentir afinidade um pelo outro.

Depois de algum tempo de convívio (este período pode levar de meses a décadas), o homem pede a mão da mulher em casamento, e se a mulher aceitar, no início da próxima primavera é realizado o casamento dos dois. Após o casamento, o casal consuma sua união em um local sagrado a escolha da mulher. Neste momento, elfo e elfa se ligam física e espiritualmente, de forma que daquele momento em diante, nada mais pode separá-los. Uma elfa se oferece a apenas um homem durante toda sua vida, e este, em sinal de gratidão e respeito pela grande dádiva que recebera, é totalmente fiel a ela, neste e no outro mundo.

Sempre que uma nova criança nasce, ela é levada até um local considerado sagrado pela mãe e pelo pai. O casal chega no local sagrado quando a lua atinge seu ápice no céu, e permanece lá até que o primeiro raio de sol surja no horizonte. Junto com a luz do novo dia, surgem os espíritos que habitam o vento e as árvores. Os espíritos do vento sussurram nos ouvidos da mãe conselhos sobre o que aquela nova alma mais precisa aprender para se tornar saudável e forte. Para o pai, os espíritos das árvores revelam quais as maiores aptidões que aquela nova criança desenvolverá na vida. Os pais agradecem então aos espíritos e assumem o compromisso de zelar pela segurança e felicidade da criança que lhes foi dada.

Desta forma, a criança é orientada desde muito cedo pelos pais, e quando atinge cerca de 10 anos, passa a freqüentar mestres e outros tutores para aprender mais sobre a rica cultura de seu povo. Desde esta idade, os elfos já começam a receber algum tipo de treinamento de acordo com aquilo que foi dito ao pai; muitos se tornam guerreiros ou rangers, outros clérigos ou druidas e alguns outros se tornam escaldos ou magos. Todos estes caminhos são igualmente respeitados e valorizados dentro da sociedade élfica, e podem ser seguidos por membros de ambos os sexos.

Os elfos da luz vivem em um sistema monárquico, onde um rei (geralmente um guerreiro ou ranger) governa aconselhado por um conselho formado por clérigos, druidas, magos e escaldos. No entanto, não há diferenças hierárquicas ou castas entre os elfos; todos os cidadãos, do mais simples ao mais poderoso, são tratados de forma igual, uma vez que a própria natureza não faz distinção ou elege “favoritos”.

Como aventureiros, os elfos são conhecidos como indivíduos calmos, serenos e extremamente comprometidos. Seus homens de armas desenvolvem técnicas extremamente eficientes usando um estilo próprio de combate com duas armas e arquearia lapidados por séculos de treinamento, e os conjuradores da raça são respeitados por seu grande poder e sabedoria. Mas uma coisa que todos os elfos partilham, independente de sua classe, é uma vontade ferrenha de proteger a natureza e o mundo natural, não apenas dentro de seus territórios, mas em todo o mundo conhecido.

12 comentários:

  1. Que maravilha! Adorei a cultura e a união dos elfos da luz.

    ResponderExcluir
  2. Tolkieniano, bem escrito, e interessante. Extremamente prolífero a ideias tanto seguindo o mainstream qto invertendo-o. Muito interessante mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Grato pelos comentários e elogios, nobres amigos!

    ResponderExcluir
  4. Bem queria pedir que comentasse tambem a respeito dos outros ceus que existem em alfeheim

    ResponderExcluir
  5. Bem queria pedir que comentasse tambem a respeito dos outros ceus que existem em alfeheim

    ResponderExcluir
  6. Bem queria pedir que comentasse tambem a respeito dos outros ceus que existem em alfeheim

    ResponderExcluir
  7. Bem queria pedir que comentasse tambem a respeito dos outros ceus que existem em alfeheim

    ResponderExcluir
  8. Bem queria pedir que comentasse tambem a respeito dos outros ceus que existem em alfeheim

    ResponderExcluir
  9. Bem queria pedir que comentasse tambem a respeito dos outros ceus que existem em alfeheim

    ResponderExcluir
  10. @Milene: Nossa, você quer mesmo saber sobre os outros céus que existem em "alfeheim"!

    ResponderExcluir
  11. ñ sei como mas gostaria de convidar vc senhor dos deuses "odin" para nos visitar em nosso clã em sherwood dungeon teleport1 join29 clã dos crows.esperamos por sua magestosa visita. obrigada! red sonja

    ResponderExcluir
  12. Hahaha, atenderei teu(s) pedido(s), nobre Milene!

    E será uma honra conhecer melhor teu bravo clã, Red Sonja! Infelizmente estou com pouco tempo para me engajar em masmorras virtuais, mas farei o possível.

    ResponderExcluir