segunda-feira, 19 de março de 2012

Raças dos Nove Mundos: Cultura dos Aesires

Saudações, bravos guerreiros!

Trago-vos aqui um pouco sobre a cultura e valores dos Aesires no cenário Os Nove Mundos.

Os aesires valorizam a honra acima de tudo em suas vidas; para eles, este conceito é na verdade a essência de suas vidas. Em primeiro lugar, deve-se honrar o clã e seus ancestrais. Depois disso, vem a honra pessoal do aesir. Para um aesir, sua honra e sua palavra são infinitamente mais valiosas do que suas vidas. Em condições normais, se um aesir precisar escolher entre morrer com honra e se esconder ou fugir para poupar a própria vida, ele certamente escolhe a primeira opção, muitas vezes com um sorriso no rosto.

Além da honra, os aesires valorizam muito a lealdade. Um ditado comum entre eles diz que a mulher perfeita é uma mulher inteligente, forte e totalmente leal a seu companheiro e a seu clã. Na sociedade aesir, a mulher tem permissão para pedir divórcio e até mesmo se engajar em um duelo até a morte para vingar ofensas ou preservar sua honra. Para um homem aesir, é uma grande vergonha ser deixado por sua esposa, e por conta disso, os que se casam tendem a ser muito fieis a suas mulheres.

Outro conceito muito valorizado pelos aesires é a força. Não apenas a força física, mas também a força espiritual. Os guerreiros somente são considerados homens ou mulheres aos olhos seus clãs quando demonstram possuir corpos e espíritos verdadeiramente fortes. Isto normalmente é medido dentro do campo de batalha, mas em tempos de paz, são feitos diversos ritos de passagem onde os jovens são rigorosamente testados, para então serem considerados homens e mulheres aesires.

Quando uma criança nasce, é feita uma grande cerimônia que envolve todo o clã. A mãe carrega no colo o bebê e entra em um pequeno riacho ou lago, onde o pai da criança está à espera. Ali, a mãe entrega o bebê ao pai, e o pai ergue a criança aos céus, clamando aquele como seu filho ou filha, e pede pela benção de todo o clã. Após isso, o líder do clã segura o bebê e grita aos quatro ventos que aquela criança está, a partir daquele momento, sob a proteção de todos os membros daquele clã. Depois, o shaman mais velho do clã pega a criança e a ergue novamente no alto, pedindo pela proteção dos espíritos e de todos os ancestrais do recém nascido. Por fim, o shaman abençoa a criança, que agora é reconhecida como parte ao clã, e a entrega de volta a sua mãe.

Outras características da cultura dos aesires:

• Aesires se preocupam muito mais com a sobrevivência do que com estética ou valores artísticos.

• Aesires prestam grande reverência aos seus sábios e a seus ancestrais.

• Aesires não se desculpam por erros cometidos e nunca esperam desculpas de ninguém. Para eles, o que realmente vale são as ações da pessoa no presente. O arrependimento para um aesir deve sempre ser demonstrado através de ações, e não de palavras.

• Aesires valorizam muito mais o valor do que a esperteza em todos os aspectos de suas vidas.

9 comentários:

  1. Já disse mais de uma vez e não custa repetir, essa parte mais social e de detalhamento dos povos é o mais me agrada em cenários novos. Confirmo que o trabalho com Nove Mundos e Elgalor, nesse sentido, tem sido excelente. Quem não fica com vontade de jogar com um destes depois de ler o texto?

    ResponderExcluir
  2. Nossa, quando eu li a parte sobre o nascimento das crianças deu vontade até de chorar. Eu mostrei para minha namorada e ela concordou que quando tivermos um filho vamos fazer algo assim no batismo.

    Eu estou jogando com um shaman aesir no meu grupo de rpg, e concordo totalmente com o J Neves IV. Estas descrições dão um ar incrível para os personagens e para as campanhas!

    O único problema é que quando eu vejo estas coisas penso que nasci na época, lugar e agora, na raça errada... Mas isso não é nada que uma boa partida de rpg não resolva!

    ResponderExcluir
  3. Grato pelos elogios, nobres irmãos. Devo dizer que parte deste texto foi baseado na cultura dos orcs de Azeroth, cujos costumes por sua vez se assemelham muito à cultura nórdica.

    Warrior of Ice, acredito que todos os jogadores de rpg com temática Fantasia Medieval passam, em menor ou maior grau, pelo mesmo problema que mencionastes...

    ResponderExcluir
  4. ADORO TUDO QUE VC ESCREVE,POIS AMO A TERRA MEDIA.LENDO SEU BLOG É QUE CRIEI MUITAS DAS MINHAS POSTAGENS,OBRIGADA!!

    PARABÉNS!!♥ RED SONJA-CROWS

    ResponderExcluir
  5. SOU EDITORA DE MAIS UM BLOG QUE É O SITIE OFICIAL NO BRASIL DO JOGO DE RPG SHERWOOD DUNGEON.

    http://sherwooddungeon-brasil.blogspot.com.br/2012/03/noticia-quente-sobre-os-clas.html

    DA UMA OLHADA LÁ!BJOS RED SONJA-CROWS

    ResponderExcluir
  6. Sejas bem vinda aos Salões de Valhalla, brava guerreira!

    Fico feliz em saber que os pergaminhos aqui presentes ajudaram-na em teu nobre blog.

    Certamente hei de conferir o Sherwood Dungeon.

    ResponderExcluir
  7. Ficou mesmo muito legal, Odin. Também quero fazer um batismo desse com nossa futura criança!

    ResponderExcluir
  8. Seria mesmo interessante, lady Astreya!

    Infelizmente, precisamos ainda encontrar um clã e um shaman...

    ResponderExcluir
  9. Embora eu não jogue RPG encontrei esse blog e está sendo de grande ajuda para uma pesquisa para o meu livro. Muito Obrigado e Meus parabéns.

    ResponderExcluir