quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Anões de Tolkien para D&D 3

Saudações, bravos guerreiros!

Após vermos nestes Salões as estatísticas de jogo dos elfos de Tolkien, trago agora as estatísticas de jogo dos anões da Terra-Média:

Traços raciais dos Anões
• +2 em Força e Constituição e -2 em Destreza e Carisma. Os anões da Terra-Média são fortes e robustos, mas lentos e taciturnos.
• Tamanho médio.
• Deslocamento básico: 6m.
• Visão no Escuro
• Ligação com pedras: como descrito no Livro do Jogador.
• +2 de bônus racial em testes de Fortitude contra magias e veneno.
• +1 de bônus de racial nas jogadas de ataque contra orcs e goblinóides.
• +2 e de bônus racial nos testes de avaliação e ofícios relacionados a metal ou pedra.
• +4 de bônus de esquiva contra Trolls, Gigantes e Dragões*.
• +4 de bônus de moral em testes de Vontade contra magias e efeitos de ação mental.
• Maestria com Armaduras: Anões não têm seu deslocamento reduzido por usar armaduras médias ou pesadas.
• Estabilidade: como descrito no Livro do Jogador.
• Resistência a Fogo: anões são bastante resistentes a fogo. Eles recebem redução de dano 5 contra fogo mágico ou natural.  Esta redução de dano aumenta para 10 no 10º nível e 15 no 20º nível do personagem.*
• Classe favorecida: Guerreiro.

* Durante as grandes guerras que ocorreram na Primeira Era da Terra Média, os anões foram usados como linha de frente contra dragões, pois “seus corpos eram capazes de suportar o calor melhor do que qualquer outra raça, e seus machados eram capazes de atravessar até mesmo as mais resistentes couraças dos dragões”.

Desvantagens

Apesar de mais poderosos do que os anões “convencionais”, os anões de Tolkien possuem algumas desvantagens:

• -4 de penalidade em todos os testes de Carisma ou perícias para lidar com animais e criaturas tipo planta. Esta penalidade se aplica inclusive a testes de Cavalgar.
• Independente da classe de personagem escolhida, anões não recebem proficiência gratuita com arcos (mas podem adquiri-la normalmente). Para combate à distância, eles normalmente usam bestas ou machados de arremesso.
• -4 de penalidade em todos os testes de Furtividade e Esconder-se. Quando precisam realizar missões mais furtivas e discretas, anões normalmente contratam o serviço de outras raças (como quando Thorin Escudo de Carvalho procurou pela ajuda do hobbit Bilbo).
• Anões são incapazes de utilizar a magia arcana ou magias provindas da natureza.

11 comentários:

  1. Eu curti bastante. Acho justa a perda de destreza para os anões. A nota sobre eles estarem mais acostumados com o uso de bestas é realmente coesa, mas eu acho as bestas tão horríveis em jogos de RPG. Elas não passam nem um pouco a ideia da evolução que foi, em termos de guerra, quando foram verdadeiramente desenvolvidas. E como os anões são engenheiros natos, me parece plausível que desenvolvam bons equipamentos. Voto por uma reformulação nas bestas, Odin!

    ResponderExcluir
  2. Hahahahaah sabia que iria barrar o uso de magias arcanas pelos anões!! Só porque fiz o pobre Makar. Mas de resto ficou bem legal.

    ResponderExcluir
  3. Nobre Aramil, se encontrares um anão no Silmarillion que use magias arcanas, eu retiro a restrição aqui e dou um belo bônus de xp para o "pobre" Makar...

    Grande J Neves, as bestas são realmente ruins se comparadas aos arcos em termos de regras, concordo contigo. Porém, pelo que li sobre o tema (meu conhecimento no assunto é infinitamente menor do que o teu, já que és um especialista em história), as bestas foram revolucionárias principalmente por serem mais fáceis de usar; enquanto se levava anos para treinar um bom arqueiro, em poucos meses era possível formar um bom atirador de besta.

    Corrija-me se eu estiver errado, mas os arcos atingiam distâncias maiores e inclusive tinham uma potência (dano) maior do que as primeiras bestas. Isto explicaria as estatísticas ruins que temos em D&D para elas.

    Contudo, acredito que por volta do século VI foi criada a besta "pesada", que era capaz de perfurar um peitoral de aço. Estas, realmente, poderiam mesmo passar por uma reformulação...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Odin, as bestas causam mais dano que um arco e atingem distâncias maiores, pois ela não estão limitadas a força de quem as arma, mas à potência da própria besta. Isso dependerá da envergadura que o arco da besta foi projetado para alcançar.

      Excluir
    2. Muito obrigado pela informação, nobre druida!

      Excluir
  4. Paz! Não estou reclamando, grande Odin, mas por esse raciocínio somente os Maiar e alguns elfos poderosos poderiam usar magias arcanas :)

    ResponderExcluir
  5. Hahaha, tens toda razão neste ponto, Aramil. E não te preocupes, pois sei que não estavas reclamando, nobre amigo.

    ResponderExcluir
  6. POR MORADIN/AULË!!!

    Muito boa adaptação, Odin. Ficou ainda melhor do que a do Senhor dos Anéis D20, que já era excelente!

    E que história é essa de anão mago?!

    ResponderExcluir
  7. Hahaha, trata-se de um personagem feito pelo alter-ego de Aramil, Warrior of Ice. Um anão renegado, sem barba (e sem muito futuro) chamado Makar...

    Graças à habilidade rara do alter-ego de Aramil em jogar com magos, Makar não está sendo uma completa desgraça no grupo, e em uma ocasião até mesmo salvou todos os seus companheiros da morte nas mãos de um bárbaro orc chamado Mão Negra.

    ResponderExcluir
  8. Quanto aos anões fazerem magias, não vi nenhuma menção em nenhum pergaminho escrito por Tolkien. Entretanto, a maestria com que os anões fazem os objetos, as armas e armaduras poderia ser tratado como um toque mágico que só os anões saberiam dar.

    ResponderExcluir