segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Blades & Magic: Magias

MAGIA EM BLADES & MAGIC

A magia em Blades & Magic é um poder consideravelmente raro e difícil de se controlar, mas que é capaz de produzir os mais maravilhosos e terríveis efeitos.

Dois atributos são importantes para a conjuração de magias:




Presença, que define a quantidade de Mana e Intelecto, que define a dificuldade de resistência de certas magias e que permite que um conjurador aprenda novas magias. Para conjurar magias, um teste da perícia Magia deve ser realizado.

MANA
A quantidade de poder mágico de um personagem conjurador é calculado pelo seu valor de Mana, a energia mágica que permeia todo o universo e se manifesta das mais diferentes formas. O valor inicial de mana de um personagem é:

MANA INICIAL: 3 vezes o Ajuste de Presença do personagem conjurador

Desta forma, quanto maior for a Presença de um conjurador, maior será a quantidade de poder mágico a sua disposição.

CONJURANDO MAGIAS
Para conjurar magias, é necessário um teste da perícia Magia. A dificuldade do teste é:

CONJURAÇÃO DE MAGIAS: 6 + custo de mana da magia

Caso o personagem esteja engajado em combate corpo-a-corpo, independente de ter recebido dano ou não, a dificuldade do teste da perícia Magia aumenta:

CONJURAÇÃO DE MAGIAS EM COMBATE: 10 + custo de mana da magia

Cada personagem conjurador já começa com a perícia Magia, recebendo 4 graduações iniciais nela.

DIFICULDADE DE RESISTÊNCIA DAS MAGIAS
Seu Intelecto determina o quão difícil é resistir aos efeitos de suas magias. A dificuldade de resistência das magias é calculada da seguinte forma:

DIFICULDADE DE RESISTÊNCIA: 6 + Ajuste de Intelecto.

Assim, quanto maior for o Intelecto de um conjurador, mais difícil será resistir a suas magias.

RESISTINDO AOS EFEITOS DE MAGIAS
A resistência que cada magia permite para anular seus efeitos está descrita na magia e varia de acordo com aquilo que ela atinge; magias que afetem a mente permitem um teste de resistência de Presença (encantamentos) ou de Intelecto (ilusões). Magias que afetem o corpo de um indivíduo permitem um teste de resistência de Físico. Magias de raio ou ataques em área permitem um teste de resistência de Agilidade.

Há magias que não admitem nenhum teste de resistência, como a magia Rajada Arcana, por exemplo.

APRENDENDO NOVAS MAGIAS
Existem cinco círculos de magias em Blades & Magic; do círculo 0 ao círculo 4. Um conjurador iniciante começa sua carreira escolhendo 4 magias do círculo 0 e 2 magias do círculo 1 que pertençam a sua lista de magias.

Para aprender novas magias, ele gasta Pontos de Experiência. Contudo, certas magias possuem alguns requisitos, como um certo valor do Intelecto e graduações na perícia Magia. 

14 comentários:

  1. Muito bom, so acho que talves teria sido melhor apresentar as pericias antes de apresentar as magias, mas deu pra entender muito bem.
    Espero ter um pdf em breve.
    XD

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, nobres irmãos.

    E não te preocupes, Medieval Tales, pois no livro as perícias realmente aparecem primeiro; Falarei sobre elas no próximo pergaminho!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns por mais esse trabalho, nobre Odin, fico muito contente por ver tantos debates saudáveis e sem brigas para que o Blades & Magic fique cada vez melhor. Vida longa ao Halls of Valhalla e a Odin!

    ResponderExcluir
  4. Muito bom mesmo, grande Odin! Acho que vai se encaixar muito bem com as adaptações vindouras.

    ResponderExcluir
  5. Bom quanto as pericias serem antes ou depois, se realmente elas não forem graduadas e sim algo que conceda apenas um bônus ou demonstre o que vc faz, sem tanta necessidade numérica, então é totalmente plausível(é eu sou do time que tá enjoado de pericia com graduação, não sou old school nem nada mas acho ótimo as pericias serem habilidades de classe do ladino, o que torna ele um ladino, quando sua principal habilidade é o ataque furtivo estilo 3.X ele é mais um assassino), agora eu espero ver uma classe e raça...

    ResponderExcluir
  6. Ponto de vista interessante esse do Falcão... concordo com a história de graduação na perícia. Embora seja coerente "aumentar o nível da perícia com a prática" acaba sendo sempre a mesma história. Sobe um nível do personagem, sobe um ponto nas suas perícias favoritas e assim vai...

    ResponderExcluir
  7. Obrigado pelo apoio Frodo, eu sei que isso da graduação é o mais condizente, porém acho que o mestre em algo acha sempre novos usos para sua habilidade, e ai entra a pericia mais interpretativa, do tipo o jogador sempre tem de pensar como usará suas pericias, ao invés do mestre apenas olhar uma tabela referencia no livro comparar a ideia do jogador aplicar uma penalidade e dizer rola, joga o dado passa no teste e etc...

    ResponderExcluir
  8. Hum.... vejo que teremos muito a debater em relação às perícias. Apenas para adiantar um pouco, existem pouquíssimas perícias comparado ao que temos em D&D, CODA ou mesmo ASGARD RPG. O guerreiro, por exemplo, possui apenas 2: Vigor (que permite nadar, correr, escalar...) e Cavalgar. Na maioria dos casos, ficará a cargo do mestre definir se o personagem terá bônus ou não em determinados testes baseado na situação ou histórico do personagem.

    Ainda usando o guerreiro como exemplo, no caso de um anão (que vive em montanhas), o mestre poderia lhe conferir um bônus de +2 em testes de Vigor para escalar, mas aplicar uma penalidade de -2 cada vez que o anão precisar nadar.

    ResponderExcluir
  9. acho que vigor deveria ser atletismo ou tolerância, vigor é tão nome de atributo/salvamento...

    ResponderExcluir
  10. Ah, devo ressaltar, que debater neste blog é um grande prazer, todos são muito educados e os pontos de vista sempre bons, os comentários são respondidos e indagados com presteza, o que estimula a continuar comentando!

    Parabenizo e Agradeço a todos comentaristas e visitantes deste blog bem como ao Grande Odin, por manter seus Halls nesta paz e ordem!

    ResponderExcluir
  11. Grato pelos cumprimentos, nobre Falcão. Quanto à perícia, Atletismo soa muito como o esporte, mas Tolerância é realmente um bom nome.

    ResponderExcluir
  12. Hmmm, entendo o que o Falcão colocou, mas acho que vigor dá uma ideia mais adequada do que se quer passar... não sei, tenho a impressão de que tolerância também abarca um significado mais subjetivo (o de ser tolerante com pessoas, comportamentos)...

    ResponderExcluir
  13. Concordo com a Astreya, grande pai.

    E além disso, "vigor" parece ter um impacto mais forte.

    (eu ia falar mais macho, mas não queria ofender as donzelas presentes)

    ResponderExcluir