quinta-feira, 19 de maio de 2011

Sorte & Bravura em ASGARD RPG e nos Nove Mundos

Saudações, nobres almas!

Hei de tratar aqui dois pontos muito importantes na mitologia nórdica, e que estarão presentes de forma significante em ASGARD RPG e nos Nove Mundos: a Sorte (também conhecida como Destino) e a Bravura. Ambos os conceitos possuem um papel muito importante dentro do jogo, porque representam importantes ferramentas interpretativas para mestres e jogadores.

TESTES DE SORTE

Testes de sorte são usados para determinar acontecimentos aleatórios sempre que o mestre julgar necessário ou interessante, como descobrir se um grupo de personagens será atacado no meio de uma noite, se um guarda estará olhando para o personagem justo na hora em que ele estiver fazendo algo ilícito, etc. No caso de um teste coletivo, é tirada a média do resultado de todos os participantes. O teste de sorte é feito somando-se o resultado de 3d6 ao ajuste de CARISMA do personagem. Dependendo do resultado, o personagem terá sorte (o destino está ao seu lado) ou azar (o destino está contra ele), como mostra a tabela:

RESULTADO DO TESTE

EFEITO

1 - 5

Muito azar; algo terrível acontece.

5 - 9

Azar; algo ruim acontece.

10 - 11

Normal; nada de especial acontece.

12 - 15

Sorte: algo de bom acontece.

16 – 20+

Muita sorte: algo de muito bom acontece.

O mestre irá determinar o que em uma situação é algo “terrível” ou “muito bom” de acordo com seu julgamento e com a ação do personagem na situação. Estes testes são muito importantes para tornar o jogo mais imprevisível e verossímil dentro da lógica da mitologia nórdica, e pode gerar situações muito interessantes.

PONTOS DE BRAVURA

Os pontos de bravura representam a coragem e capacidade de um herói realizar grandes feitos em situações extremas onde mesmo os mais poderosos e habilidosos estivessem sujeitos ao fracasso. Personagens de todas as raças começam com 2 Pontos de Bravura, exceto os humanos que começam com 3, já que são os mais propensos a grandes surtos de coragem e audácia. Estes pontos são usados em situações decisivas ou difíceis de superar, e ao gastar um deles, o personagem adiciona 1d6 a uma jogada de dados relacionada a um teste de perícia ou teste de resistência. Não é possível usar mais de 1 ponto de bravura em uma mesma rodada a menos que o mestre decida o contrário.

Os Pontos de Bravura são recuperados normalmente a cada nova sessão de jogo, e não se pode acumular pontos de uma sessão para o outra; os Pontos de Bravura que não forem usados simplesmente se perdem. É importante lembrar que apenas indivíduos que possuam níveis em classes de personagens (ou seja, heróis aventureiros) possuem pontos de bravura. Através do aprimoramento Bravura dos Heróis, um personagem pode adquirir mais pontos de bravura.

Sempre que julgar que um personagem é merecedor e que seu esforço é digno, o mestre pode concedê-lo um ponto adicional de bravura. Ao contrário da Sorte, a Bravura não pode ser usada em situações mundanas; geralmente ela é usada em situações de extremo perigo ou em situações de combate.

6 comentários:

  1. (Onde estão os smileys qdo se precisa deles? Queria colocar aquele q faz reverência q aparece no chat aqui...)

    Parabéns, Odin. Regras muito, mas muito interessantes mesmo. Esta era uma das características q mais criticava no sistema de D&D 3.x. A falta de algo para arbitrar o esforço VOLUNTÁRIO e heróico por parte do personagem.

    Isso me lembra bastante a mecânica dos Action Points de Spycraft. E acho q casa perfeitamente com a proposta de Elgalor e Asgard.

    Paralelo a isso, já fui autorizado pelo Telles a resenhar o "Contos de Elgalor"... Q eu ainda só não comprei por ter o status "Pindaíba" aplicado sobre mim no momento. Assim q eu passar no teste contra ele (ou esperar virar o mês, o q vir primeiro), iniciarei tão louvável empreitada.

    ResponderExcluir
  2. Grato por teu elogio e muito obrigado por teu apoio em relação à divulgação das Crônicas de Elgalor, irmão Hayashi! Se eu pudesse, lhe enviaria um livro, mas minha situação financeira é bem semelhante à tua...

    Os Pontos de Bravura foram adaptados da Coragem do sistema Coda usado em Senhor dos Anéis RPG, mas realmente lembra os action points de Spycraft e Eberron; a diferença marcante é que ao contrário do que ocorre nestes dois últimos jogos, os Pontos de Bravura não são usados para realizar feitos fabulosos e por vezes exibicionistas, mas sim feitos de grande valor movidos pela determinação de um verdadeiro herói em uma hora de desesperada necessidade.

    De qualquer modo, fico muito feliz que tenhas apreciado.

    ResponderExcluir
  3. Sempre fui contra action points porque a presmissa deles era criar situações cinematográficas e como disse, Odin, exibicionistas. Porém, os pontos de bravura de Asgard RPG funcionam de forma bem diferente, e como hayashi muito bem definiu, valorizam o esforço heróico voluntário de um personagem. Gostei muito da idéia de usá-los em situação de risco extremo, movido pela necessidade bruta, e não para "fazer bonito".

    A sorte também foi uma idéia muito interessante no campo da interpretação, por que realmente contribui para que haja situações onde alguém, de tão azarado, acha que está amaldiçoado ou coisa assim.

    O melhor é que podemos usar essas regras em qualquer sistema ou cenário.

    E apenas por curiosidade: quando sai o Asgard RPG? Haverá uma versão impressa também?

    ResponderExcluir
  4. Grato por teus cumprimentos, nobre cavaleiro!

    Devido a alguns problemas (os alter-egos dos responsáveis pela arte e diagramação do livro estão deveras ocupados com seus compromissos terrenos), ASGARD RPG deve ser lançado próximo até o dia 10 de junho deste ano no formato PDF como parte da campanha Helping Hand.

    Estou estudando orçamentos para a publicação de uma versão impressa que poderia ser adquirida aqui nos Salões de Valhalla, mas apenas farei isso se conseguir lançar o material a um custo acessível de até R$ 20,00 por exemplar.

    ResponderExcluir
  5. Inclusive se alguém souber de alguma gráfica ou editora pequena que trabalha nessa faixa de preço, para que consigamos lançar a versão impressa sem ter prejuízos, por favor deixe para nós a sugestão.

    ResponderExcluir
  6. Em último caso tentarei o Clube de Autores, mas o valor seria igual ou maior que o das Crônicas de Elgalor, pois por lá acaba encarecendo um pouco ainda...

    ResponderExcluir