domingo, 21 de novembro de 2010

Provérbios do Norte

"O campo de batalha é um lugar de guerreiros. Portanto, aquele que nele implora por misericórdia é um covarde que merece morrer e ser livrado da vergonha da própria existência. Guarda tua misericórdia para aquele que implora por uma espada."

5 comentários:

  1. Um provérbio com cara de Conan, nobre Odin...!

    ResponderExcluir
  2. Que coisa mais "Get of Fenrirs", Odin!

    ...

    Que comentário óbvio, Hayashi.

    ¬¬'

    Ótimo provérbio. Embora eu não tenha tido muitas chances de colocá-lo em prática. Raras são guerras em q tenho entrado, mais ainda os meus adversário, q dirá os q venço. XD

    ResponderExcluir
  3. Rhorvals Alhanadel, o Ciclone de Aço22 de novembro de 2010 16:15

    Uma vez o meu Alter-ego leu em uma revista que oferecer misericórdia para um Viking é uma ofensa mortal, pois a pessoa que tivesse clemência estaria negando a entrada da pessoa ao Valhalla.

    Isso me lembra um trecho do 4 volume das Crônicas Saxônicas*, quando um irmão Sigefrid trai seu irmão Erik por causa de cobiça. Não muito mais tarde Sigefrid é capturado por Uhtred e esse poupa a vida dele para depois ... vou colocar o que acontece aqui embaixo.

    Fui para perto de Sigefrid. Olhei-o, sem ouvir seus
    insultos. Olhei o cadáver de Erik e pensei que aquele era
    um homem que eu poderia ter amado, ao lado de quem
    poderia ter lutado, que poderia ter conhecido como um
    irmão, então olhei o rosto de Osferth, tão parecido com o
    do pai.
    — Uma vez eu lhe disse que não se ganhava reputação
    matando um aleijado.
    — Sim, senhor — respondeu ele.
    — Eu estava errado. Mate-o.
    — Me dê minha espada! — exigiu Sigefrid.
    Osferth hesitou enquanto eu olhava de novo para o
    norueguês.
    — Vou passar minha vida além da morte no castelo
    de Odin — falei. — E lá vou festejar com seu irmão, e
    nem ele nem eu queremos sua companhia.
    — Me dê minha espada! — Agora Sigefrid estava
    implorando. Ele estendeu a mão para o punho de Espalha-
    Medo, mas chutei sua mão para longe do cadáver de
    Erik.
    — Mate-o — falei a Osferth.

    *Ninguém pode interpretar um Viking se não ler essa saga!

    ResponderExcluir
  4. Concordo com os demais. Ótimo provérbio!

    ResponderExcluir
  5. Conan sobre ODIN?????...não é CROM? seu barbaro de araque!

    ResponderExcluir