segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Heroes of Asgard: Paladinos

Saudações, nobres almas!

Comecemos os pergaminhos sobre heróis nórdicos tratando dos valentes paladinos, que apesar de um tanto improváveis dentro de um cenário estilo “viking”, podem ser perfeitamente inseridos em uma saga de RPG.

A versão aqui apresentada não aprende magias como o paladino convencional; em vez disso, ele recebe poderes especiais conferidos por certas divindades, que substituem as magias que eles aprenderiam normalmente. Cada um destes poderes pode ser invocado duas vezes por dia (exceto Montaria de Odin), e têm duração de uma rodada/ nível de personagem. Para invocar estes poderes o paladino precisa apenas gritar o nome do deus que deseja chamar. Só é possível invocar um poder por vez.

Luz de Balder (nível 04): A arma do paladino se torna abençoada, e causa 2d6 de dano adicional contra mortos-vivos.

Escudo de Heimdall (nível 08): O paladino recebe um bônus de +4 em sua CA ou Resistência à Magia 10 + metade do nível de paladino.

Resolução de Tyr (nível 12): O paladino se torna imune a qualquer magia ou efeito de controle mental, e recebe os benefícios da magia Visão da Verdade.

Relâmpago de Thor (nível 16): A arma do paladino causa 1d8 de dano adicional de eletricidade, e ignora 5 pontos de qualquer tipo de redução de dano que seu adversário tenha.

Montaria de Odin (nível 20): A montaria do paladino se transforma permanentemente em um poderoso cavalo de guerra pesado de oito patas, recebendo um bônus de +6 em seus valores de Força, Constituição e armadura natural. Além disso, a montaria adquire a capacidade de voar, tendo o mesmo deslocamento em ar que ela normalmente possui em terra. (nível 04): A arma do paladino se torna abençoada, e causa 2d6 de dano adicional contra mortos-vivos.

11 comentários:

  1. Leonardo Viera Andrade5 de novembro de 2010 18:26

    Ficou muito boa a matéria Odin, também nunca gostei de paladinos que usam magia.

    Em minha opinião pessoal, campanhas com um estilo Viking tem um tom mais real, os nórdicos não deveriam ter paladinos.
    Paladinos são um símbolo da cristandade, Os cavaleiros de Carlos Magno enviados por Deus para protegê-lo.
    Uma vez jogamos num cenário da Terra medieval mesmo, só que existiam goblins, orcs e essas coisas, mas também tinha o Rei Ricardo Coração de Leão, Saladino e outras figuras reais. Éra mais parecido com o jogo Knights of Temple II.

    ResponderExcluir
  2. Realmente, os paladinos estão mais ligados às lendas sobre o guerreiro Arthur do século V- VI (que originou as história da távola redonda)e aos cavaleiros pesados de Carlos Magno.

    Em uma campanha de fantasia mais "real", seria mesmo muito improvável a existência de paladinos nórdicos.

    ResponderExcluir
  3. Concordo com sábio Leonardo. Paladinos não deveriam mesmo usar magias.

    Sou nova por aqui egostei muito de vossos Salões, lord Odin. Espero que logo possamos saber mais sobre as Valkírias e sobre as guerreiras de Sif. Antes que me esqueça, desculpe pela baixaria, mas como viste, foi Tchar'zanek quem começou.

    PS: Tchar'zanek, deus ou não você e Zook vão pagar por seus comentários idiotas.

    ResponderExcluir
  4. Tchar'zanek, Deus do Sofrimento e Campeão do Chaos5 de novembro de 2010 21:00

    Ora, ora, ora, o que temos aqui?

    Sonja, A Ruiva, eu sei quem você é! Diga-me como se sentiu quando os bandoleiros atacaram sua casa, mataram sua família e te violaram brutalmente?
    Adorei o gosto de suas lagrimas salgadas de puro ódio que você derramava enquanto era imobilizada e o seu sangue “virgem” escorria pela saia de seu vestido! Sem falar que enquanto esse ato te ocorreria, tu viste a porca que te colocaste no mundo ser degolada como o animal que era!
    Os gritos de sua família, suas lagrimas, as chamas que consumiam seu lar e as risadas dos bandoleiros são um néctar para mim!
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    ResponderExcluir
  5. Belo post Odim!

    Achei interesante a questão dos paladinos não aprenderem magias e sim serem abençoados!

    O que acontece quando um paladino que adora Thor o renega e passa a adorar Loki?

    Abraço

    RPGames Brasil
    http://rpgamesbrasil.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Ele perde seus poderes e as bençãos que os aesires o conferem. Loki entretanto pode garantir-lhe outros poderes, como será descrito futuramente.

    ResponderExcluir
  7. Você é um pedaço de lixo, Tchar'zanek, e quero vê-lo gargalhando quando minha deusa arrancar seus olhos e sua língua suja.

    Claro, que se você tiver coragem de me enfrentar sem seus "poderes divinos" (se é que você realmente os tem) eu mesma vou arrancar suas tripas pelo desrespeito que você demonstrou com Astreya e Selwyna, seu canalha machista.

    ResponderExcluir
  8. Gostei dos níveis substitutos.

    Muito bom mesmo. Você leva jeito com regras, Odin. Coisa em que sou completamente falho, talvez eu venha a lhe importunar com algumas dicas quanto a isso, num futuro próximo!

    Quanto a ideia de um paladino dentro da cultura nórdica, não é tão difícil de se assimilar se você não chama-lo de paladino! O nome já nos trás uma ideia formada. Melhor chamar de campeão dos deuses, ou qualquer outra coisa assim. Gostei principalmente do fato das bençãos não terem limitado-se a um único deus, mostrando alguém que luta pelos aesires de fato.

    ResponderExcluir
  9. Você tem o meu apoio para eviscerar Tchar'Zanek, Sonja! Esse cão tem que aprender de fato qual é o lugar dele.

    E ótimo post, Odin, você realmente leva jeito com regras, como disse o amigo acima.

    ResponderExcluir
  10. Selwyna, a Bruxa da Rosa Negra7 de novembro de 2010 01:37

    Tchar'zanek, criatura insana e maldita! Você não possui direito ou moral para falar sobre o passado das pessoas! Você se diverte ao instigar o sofrimento e agonia aos outros, mas não somos fracas para cairmos em teus jogos sádicos!
    Você tem o meu apoio para estripar esse cão imundo, Sonja!

    Excelente post, Odin! Acho que vou fazer uma paladina na próxima campanha.

    ResponderExcluir
  11. Excelente posto Odin!

    Realmente, a idéia de um "Paladino Viking" soa estranha em um cenário realista, principalmente se nos apegarmos ao esteriótipo do Paladino.

    ResponderExcluir