domingo, 3 de outubro de 2010

Palavras de Honra e Sabedoria

“Um verdadeiro guerreiro não se enfurece por pouco, e tem absoluto controle sobre sua fúria. Ele a libera como um tornado apenas no momento certo, pois sabe que se enfurecer por tolices e viver apegado à raiva é como carregar na mão nua um pedaço de carvão em brasa com o objetivo de arremessá-lo quando alguém surgir; o único que sairia realmente queimado seria ele próprio.”

5 comentários:

  1. Rhorvals Alhanadel, o Ciclone de Aço3 de outubro de 2010 12:55

    Nobres palavras, lorde Odin. A fúria sem sentido torna o individuo cego ao que acontece ao seu redor. Um verdadeiro guerreiro não nega suas emoções, mas as mantém sob controle, e pode haver graves conseqüências se deixar que a raiva suba a cabeça. Tanto para os outros quanto para si mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom. É você mesmo que escreve?

    ResponderExcluir
  3. @Rhorvals Alhanadel: E um ponto importante é que, em geral, por agir na fúria, não se consegue medir a consequência dos atós, tendo de lidar depois com a angustia de ter machucado (emocionalmente ou fisicamente) alguém, e que, independente de como ocorrera esse processo, semelhante ao tempo, é irrevessível, ou seja, você o carregará para sempre, assim como também, quem você despejou sua fúria.

    ResponderExcluir
  4. Tchar'zanek, Deus do Sofrimento e Campeão do Chaos3 de outubro de 2010 13:06

    Tudo isso não passa de mentiras e calunias! Um guerreiro de verdade se entrega ao ódio e a raiva sem se importar com moralidade ou conseqüências. Somente assim ele pode sentir o verdadeiro prazer do combate e da matança.
    MATE, MATE, MATE, MATE, MATE MAIS E CONTINUE MATANDO!! Isso é o verdadeiro sentido do combate.
    O filho MESTIÇO de uma TRAIDORA IMUNDA e de UM AÇOUGUEIRO PROFANO não possui direito algum de falar como é que um verdadeiro guerreiro deve agir.

    ResponderExcluir
  5. Selwyna, a Bruxa da Rosa Negra4 de outubro de 2010 19:59

    Sábias palavras, grandioso Odin. Por experiência própria sei o que acontece quando se acumula tanto rancor e ódio no coração. Mas graças à bondade e misericórdia de nobres pessoas ganhei uma segunda chance, e encontrei um grande amor.
    Tchar'zanek, cão imundo e desprezível! Tu não tens moral e nem o direito de ofender meu pai. Ele sim é um guerreiro nobre e honrado, diferente de ti que mata por esporte e diversão. Que tua alma sofra pela eternidade no abismo da loucura!

    ResponderExcluir