quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Mil honras aos novos heróis de nossas campanhas.

Saudações, bravos iniciantes!

Trago-vos hoje um pouco da história sobre os mais novos heróis dos Reinos de Elgalor, um grupo de inexperientes aventureiros que iniciam sua árdua jornada para deixar sua marca no mundo, sete anos após o término da saga que está sendo narrada nas Crônicas de Elgalor.

Aproveito e convido todos vós, aventureiros iniciantes a contar um pouco sobre vossas contendas e feitos neste pergaminho.

Elenna Aldalen (elfa ladina): Uma jovem alto-elfa advinda do grande reino de Sindhar, Elenna é uma ladina, treinada para encontrar e recuperar artefatos élficos que foram perdidos ou roubados de seu povo. Devido ao fato de ter passado toda sua vida dentro de um reino élfico de caráter isolacionista, ela tem grandes dificuldades em compreender muitas das ações de seus companheiros humanos, mas tenta ser tolerante sempre que consegue.

Ashard, o Austero (humano monge): Outrora um rei rico e poderoso, Ashard abdicou de todo o luxo e conforto, fez um voto de pobreza e partiu em uma viagem de auto conhecimento longe de seu antigo reino. Apesar da aparência ameaçadora, de um grande homem negro com tatuagens no rosto, Ashard é um homem pacífico e extremamente sábio.

Maya, a Valente (humana guerreira): Maya é uma guerreira corajosa e audaz seguidora de Kord, o Deus da Força. Sempre disposta a ser a primeira a entrar no campo de batalha, Maya se mostrou uma guerreira bastante talentosa, mas muito impulsiva para os padrões dos não combatentes do grupo.

Jake Evermore (bardo humano): Filho de um poderoso e rígido artista marcial seguidor de Oyama Flagelo das Feras, Jake fugiu de casa para não ter que se tornar um monge, pois era fisicamente fraco e odiava confrontos físicos. Durante suas viagens, encontrou um clérigo andarilho de Fharlanghn, que o presenteou com um bandolin e o versou nas artes dos bardos. Após algum tempo de prática, Jake se tornou um talentoso bardo, e seguiu sozinho em busca de fama, aventuras e riqueza.

Mabu, a Feroz (meio orc bárbara): Irmã mais nova de Bulma, a Destruidora, Mabu decidiu se aventurar e procurar por sua irmã, que não via há sete anos. Ouvindo muitas histórias sobre os grandes feitos de Bulma, Mabu decidiu que seria tão poderosa quanto a irmã, e passou a trabalhar como mercenária caçando orcs e criaturas selvagens. De todos os tipos e tamanhos.

Kevin, o Andarilho (humano clérigo): clérigo de Boccob, o deus da magia, Kevin é um clérigo talentoso, mas extremamente preguiçoso, que busca sempre conforto e pouco trabalho onde quer que esteja. Alguns em seu grupo até questionam o fato dele ser um clérigo, já que seus conhecimentos acerca de religião são nulos, e ele demonstra grande perícia nas artes da enganação. Como Jake, Kevin faz questão de se manter longe do combate sempre que possível, mas quando o grupo enfrenta mortos-vivos, seu valor se torna realmente evidente.

Siegfried, o Justo (humano paladino): Jovem paladino de uma ordem devota de Heironeous, o deus da Justiça, Siegfried é calado e normalmente rejeita o manto da liderança. Contudo, ele se mostrou mais de uma vez um combatente competente, e sempre que o grupo enfrenta inimigos muito poderosos, é sua voz que impulsiona todos a lutar com bravura e valor, não importando o perigo ou os riscos que se defrontem.

Aldo, o Caçador (humano ranger): Treinado pelos elfos silvestres, Aldo é um competente rastreador e grande arqueiro, que extermina criaturas malignas em áreas selvagens próximas a pequenas comunidades humanas. Seu animal de companhia é uma pantera que ele criara desde filhote, e juntos eles já abateram nas sombras inúmeros goblins e orcs.

6 comentários:

  1. Rhorvals Alhanadel, o Ciclone de Aço13 de outubro de 2010 23:52

    Que bons olhos os vejam, jovens aventureiros. Isso me lembra de quando sai de casa para ver o mundo, só com um arco longo, uma espada élfica rústica, uma adaga, um corselete de couro batido, uma mochila com suprimentos e trás mudas de roupa.
    (Off: Quando a campanha termina vocês não sentem uma certa tristeza? Quero dizer acabou e agora os personagens se tornarão NPCS e essas coisas.)

    ResponderExcluir
  2. Que Corellon, Pelor e todos os deuses do bem os saúdem, jovens e bravos aventureiros!

    Este é o curso natural de nossas vidas, nobre Rhorvals. Eu seguirei com meu curso de existência e darei lugar para que meu alter-ego agora dê vida à jovem Elenna.

    (Realmente bate uma tristeza quando a aventura acaba... sinto falta da Astreya e de todos os companheiros e NPCs das Crônicas de Elgalor... mas o mais bacana é relacionar essas histórias e ver vários personagens reaparecendo!)

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Vocês compensaram os humanos dessa vez. Faltou um mago e oito pessoas na mesa é muita gente.
    Finalmente mais um herói negro.
    Nem sempre é bom encontrar os personagens depois quando eles viram npcs, Astreya.
    Quando começamos a nossa campanha atual das aventuras prontas. Eu jogava com um ranger humano chamado Dorian, só que depois que terminamos a Forja da Fúria ele e o Rhorvals foram lutar numa guerra contra o Grande Reino (Damasca). Pelo mais puro azar encontramos o Vardalon (meu antigo personagem), e pensamos que ele deixaria a gente ir embora. Ele matou o meu Ranger e só não matou o Rhorvals porque ele viu uma marca de nascença que ele herdou da Cereane.

    ResponderExcluir
  4. Um grupo deveras equilibrado, amigo Odin. E quem serão os jogadores que os irão interpretar?

    ResponderExcluir
  5. Bem vindo a todos os novos aventureiros. Espero poder ver suas fábulas em breve!

    ResponderExcluir
  6. O início de novas sagas. Um momento empolgante. Que sejam todos bem sucedidos em suas empreitadas.

    ResponderExcluir