sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Monges Guerreiros

Saudações, nobres aventureiros!

Compartilharei aqui convosco algumas “regras da casa” usadas nas campanhas do mundo de Elgalor. O que trago não são alterações que visam tornar classes mais poderosas, apenas mais direcionadas para um determinado propósito que pode geralmente ser adaptado a diferentes cenários.

As alterações são bastante simples, e acredito que muitos entre vós já fizestes algo semelhante: algumas habilidades de classe são substituídas por outras com o objetivo de caracterizar melhor o personagem, mesmo que isto signifique perder um pouco de poder.

Trago-vos hoje os “Monges Guerreiros”, monges menos sábios e contemplativos e mais voltados para o combate e a arte da guerra; Apesar de disciplinados, eles tendem a ser impulsivos e dedicam totalmente suas vidas ao aprimoramento de suas habilidades de combate, dando pouca ou nenhuma importância para a elevação espiritual e aquisição de uma maior compreensão do universo. Aqueles entre vós que acompanham as Crônicas de Elgalor no Cancioneiro de Astreya vão rapidamente associar esta classe ao bravo Oyama Flagelo das Feras.

CLASSE: MONGE

Nível 03
Habilidade original: Mente Tranqüila
Habilidade substituta: Foco em Arma (ataque desarmado)

Nível 12
Habilidade original: Passo Etéreo
Habilidade substituta: Especialização em Arma (ataque desarmado)

Nível 17
Habilidade original: Corpo Atemporal e Idiomas do Sol e da Lua
Habilidade substituta: Vitalidade Maior* e Foco em Arma Superior (Ataque desarmado)

Nível 19
Habilidade original: Corpo Vazio
Habilidade substituta: Redução de dano 2/_

Nível 20
Habilidade original: Auto Perfeição
Habilidade substituta: Especialização em Arma Superior (Ataque desarmado)


* Vitalidade Maior: 3 pontos de vida + 1pv adicional por nível

Sintam-se à vontade para expor suas opiniões e compartilhar algumas de vossas próprias Regras da Casa.

2 comentários:

  1. Tchar'zanek, Deus do Sofrimento e Campeão do Chaos2 de outubro de 2010 09:55

    Voltei do Reino Distante, Velho caolho! (Finalmente acabaram as provas e fui até bem)
    Eu, Gronark, agora fui re-batizado por Yog-Sothoth, o antigo criador do aspecto do Chaos!
    Que a destruição e a loucura tomem tudo e a todos!
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
    (Essa modificação parece uma que li na Dragon uma vez, o Chaos Monk.
    É exatamente o que você descreveu. Não é espiritualizado, mas é muito focado em combate. Só que ele não ganha especialização em arma.
    Só acho errado os monges não terem esquiva sobrenatural. Quem viu os filmes do Bruce Lee nota que ele luta sozinho contra vários adversários e nem é flanqueado.
    Isso me lembra quando eu fiz um monge o Rhanzo, o Tigre Branco do Norte. Usuário do Hokuto Shin-Ken (Esse estilo mesmo), em comum Punho Divino da Estrela do Norte.)

    ResponderExcluir
  2. Por incrível que pareça, estou aliviado.

    Quando li o nome Tchar'zanek, pensei: Mal tenho tempo de me manifestar em Valhalla por conta da @#@!*# dos compromissos em Midgard e mais um maldito desgraçado filho de mil pais surge para me atormentar com infindáveis ameaças grotescas e discursos ideológicos insanos sobre a natureza superior do caos absoluto...

    Felizmente, era "apenas" você, Gronark.

    Concordo com o que dissestes sobre a esquiva sobrenatural; particularmente, eu tiraria vários poderes do monge se eu tivesse criado a classe, mas esta seria uma habilidade que eu certamente colocaria.

    ResponderExcluir