sábado, 4 de setembro de 2010

Halls of the Gods: Moradin, o Pai dos anões

Honre seu clã e seus antepassados. Honre seu povo e tudo aquilo que ele representa. Honre seu rei e a lei dos anões. Honre francamente nossos aliados, e esmague impiedosamente nossos inimigos.

- Moradin, o Pai dos Anões

Classe: Guerreiro 25/ Especialista 15/ Clérigo 20
Tendência: Leal e Bom
Posto Divino: 19 (Divindade Maior)
Domínios: Terra, Bem, Proteção e Ordem
Plano Natal: Celéstia


Moradin, o Forjador da Alma, é conhecido também como Pai de Todos, Pai dos Anões e O Criador. Defensor ferrenho do povo anão e de seus rígidos valores, Moradin incita seus filhos e seguidores a lutar sempre com honra e defender ferozmente aquilo que lhes pertence. Seus clérigos ensinam o valor da lealdade, do trabalho duro e da importância da dedicação máxima a tudo aquilo que se faz. Baseados nestes valores, os anões se tornaram uma raça guerreira que prima pela excelência tanto na arte da guerra quanto na fabricação de itens com metal e pedras preciosas.

Moradin ensina que seu povo deve ser resistente como a rocha, e que deve se opor firmemente a tudo aquilo que ameaça a raça dos anões e seus aliados. Assim como Corellon Larethian, Moradin tem fortes desavenças com Gruumsh, o deus dos orcs, e o ódio entre estes dois deuses já eclodiu as mais terríveis guerras entre anões e orcs.

A Fortaleza de Moradin se encontra em Erackinor, no plano de Celéstia. De lá, o Pai dos Anões e sua esposa Berronar observam atentamente tudo aquilo que diz respeito à vida dos anões no plano material. Das forjas sagradas de Erackinor, Moradin determina quando seus guerreiros podem reencarnar para continuar lutando por suas famílias e por seu povo. Muitas vezes, com o consentimento dos guerreiros anões, Moradin envia a alma dos mais poderosos de seus filhos para armas e armaduras de excepcional qualidade durante períodos de guerra.

Assim, é comum que guerreiros tombados escolham transferir suas almas para o machado ou armadura de seu filho mais velho ou irmão, conferindo ao item um incrível poder. Este item passa a ser considerado sagrado por aquele que o carrega, e é honrado e protegido mesmo que a custo da própria vida. Quando a guerra ou contenda termina, a alma retorna em grande honra para Celéstia.

As principais ordens que lutam a serviço de Moradin no plano material são:

Martelos de Moradin: Formada por guerreiros-clérigos e templários anões, que buscam erradicar completamente a presença de orcs, globinóides e gigantes das terras dos anões e de seus aliados. Altamente treinados, mesmo para o padrão dos anões, estes guerreiros entram freqüentemente em confronto com clérigos e emissários de Gruumsh e Erythnul.

Ordem da Bigorna da Luz: Formada basicamente por clérigos e paladinos anões, esta ordem sagrada é dedicada a combater diabos, demônios e avatares de divindades malignas que conseguem entrar no plano material.

13 comentários:

  1. Oyama Flagelo das Feras4 de setembro de 2010 11:33

    Grande honra ao pai dos anões, criador de um povo forte, valoroso e digno de confiança.
    é uma grande honra para mim ser considerado o amigo dos anões e ter convivido com eles durante cinco anos.

    POR MORADIN!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Hargor Martelo de Mitral4 de setembro de 2010 12:38

    Você será sempre bem vindo entre nosso povo, grande Oyama!

    Que por muitos anos orcs caiam perante a fúria de teus punhos e meu martelo.

    POR MORADIN!

    ResponderExcluir
  3. Eis outra divindade merecedora de meu respeito.

    ResponderExcluir
  4. Salve Moradin e o povo anão! Ótimos amigos e guerreiros!

    ResponderExcluir
  5. Rhorvals Alhanadel, o Ciclone de Aço4 de setembro de 2010 17:57

    Moradin é um deus sábio e rigoroso, e um bom aliado na luta contra as forças da escuridão.
    Que nossas espadas e arcos sempre lutem ao lado dos machados e martelos dos filhos do Grande Forjador!
    (OFF: Já que o Rafael está fazendo o curso para 3.Sargento e vai ficar até o dia 10 em Santa Maria eu digo uma coisa que descobri.
    Eu descobri lendo as Revistas Dragon, que Moradin é um forte aliado de Hextor! Sim, eu sei que parece loucura, mas verdade. Ele e tanto aliado de Heironeous quanto de Hextor, por causa da origem deles e pela dedicação as forças da ordem e da guerra. Só que ele acha que Hextor é muito obsessivo e implacável na busca por poder, e Heironeous muito compassivo e clemente na hora de lutar contra o mal.)

    ResponderExcluir
  6. Me surpreende que a revista Dragon ou Dungeon retratem Moradin como aliado de Hextor, ou que o pai dos anões julgue Heironeous muito clemente na luta contra o mal. Se pensarmos bem, veremos que é incoerente considerar um deus maligno aliado e julgar outro deus por não ser rigoroso o bastante no combate contra o mal; especialmente se este deus em questão é conhecido entre as divindades como o "campeão do bem" e "arqui-paladino dos deuses".

    Em livros oficiais e compêndios de regras, vemos as divindades de Celestia (Moradin, Heironeous, Yondalla e Bahamut) como aliados muito próximos; Heironeous, Bahamut e Moradin já fizeram alianças fortes para combater as forças de Aqueronte (Hextor e Gruumsh, especificamente) e dos Nove Infernos.

    Moradin não tolera maldade entre seus filhos, e como a maioria esmagadora dos seguidores de Hextor são ordeiros, mas malignos (reflexo da tendência e dogma do deus) acho pouco provável que estas divindades trabalhem juntas. Anões só se aliam a seres em quem confiam plenamente. Com o deus dos anões não seria diferente.

    Com o passar dos anos, os criadores de D&D se esforçaram muito para flexibilizar regras e conceitos muito rígidos, e realmente chegaram ao ponto de colocar Bem e Mal juntos em algumas ocasiões (como no polêmico Conselho das Espadas de Races of Destiny, se não me engano). Particularmente, não concordo com este tipo de inovação por uma série de motivos, mas nada impede que um grupo de jogo crie histórias e personagens excelentes usando estes elementos.

    De qualquer modo, tudo depende das preferências e interesses de cada grupo de jogo.

    ResponderExcluir
  7. Rhorvals Alhanadel, o Ciclone de Aço5 de setembro de 2010 02:04

    (OFF: Você me entendeu errado Odin. Moradin não julga Heironeous ou Hextor, ele é aliado de ambos os deuses porque um é o aspecto bom da guerra e o outro o aspecto maligno.
    Moradin nunca ajudou Heironeous contra Hextor. E eu vou deixar para o Rafael contar contar a historia.
    Odin, você se esqueceu de citar a ordem “A forja da Criação” essa ordem forja e resgata de fortalezas abandonadas às armas, armaduras e outras relíquias mais poderosas do clero de Moradin.
    Em minha opinião o que eles tentaram fazer é transformar Hextor num tipo de deus anti-heroi. Ele é mau (nem tanto assim), mas protege e cuida daqueles que seguem ele. O Rafael depois que voltar e vai contar a historia dos dois deuses irmãos.
    Ouve realmente uma polemica sobre livro Races of Destiny. Receberam uma denúncia que um dos criadores do livro tinha afiliação com neonazistas, por causa do deus dos humanos, Zarus, ser claramente baseado em conceitos nazistas.
    O Conselho das Espadas foi apresentado na Living Greyhawk e depois teve continuações nos fóruns da Wizard. Particularmente acho errado Moradin e Zarus estarem no conselho. Não deveria haver deuses raciais nesse tipo de Ordem.
    Eu gosto do Heironeous, mas o que muitos não sabem é que esse deus tem um pouco de mal nos seguidores dele. Os Cavaleiros do Escudo Sagrado tem um cisma dentro da ordem. Alguns paladinos de Heironeous acreditam que são “mais” paladinos que paladinos de outros deuses como Pelor, Rao, Bahamut e etc.
    Sei que particularmente você não concorda com isso Odin, mas não custa nada citar isso quando falar de ambos os deuses. Da mesma forma que você citou a ajuda que Corellon teve da Sehanine na luta contra Gruumsh.)

    ResponderExcluir
  8. Eu realmente me esqueci da Forja da Criação, por esta se tratar de uma ordem que não busca necessariamente combater os inimigos dos anões como os Martelos de Moradin ou a Ordem da Bigorna da Luz. Ainda assim, esta é a maior ordem ligada à Moradin, e deve mesmo ser citada. Obrigado por me lembrar.

    Não quis dizer que Moradin julga Heironeous, mas seus métodos, tomando como base o comentário que você postou, caro amigo.

    Moradin sempre combateu ao lado de Heironeous, desde antes da criação dos nove infernos (em Fiendsh Codex: Tyrants of Nine Hells, temos uma história interessante sobre isto). Li certa vez que ambos empreenderam uma pesada campanha contra as forças de Aqueronte, o que colocou Moradin e Heironeous contra Gruumsh e Hextor. Não houve confronto direto entre os deuses, mas as forças de Moradin e Heironeous marcharam juntas contra as de Hextor e Gruumsh, que se aliaram temporariamente na ocasião.

    Li também que o Conselho das Espadas foi uma ordem que causou tanto problema que um comunicado oficial dos organizadores do Living Greyhawk "aconselharam" todos os jogadores a ignorar sua existência, principalmente por causa da história absurda de Zaros. O “deus dos humanos” foi simplesmente extirpado oficialmente da cosmologia do cenário pouco depois de ser criado por conta das acusações que você mencionou.

    Existe más interpretações dentro da Igreja de qualquer deus (a Igreja de St. Cuthbert é o caso mais evidente). Obviamente, Heironeous não seria exceção. Realmente existem paladinos dentro de sua ordem que se consideram superiores por servirem ao Arqui Paladino dos deuses.

    O único ponto em que respeitosamente discordo de ti é no que diz respeito à tentativa dos criadores do jogo de tornar Hextor um anti-herói. Em "Complete Champion", da mesma forma que eles retratam seguidores não malignos de Hextor, fazem o mesmo com seguidores de Nerull, Gruumsh, Vecna e Erythnul (!!!). Isto faz parte de uma idéia que começou com o cenário Eberron onde o mal e o bem não são claramente definidos.

    A idéia dos criadores do jogo foi deixar a linha que separa bem e mal menos clara, assumindo que poderia existir escuridão mesmo dentro de ordens essencialmente boas (como os shadowstrikers de Pelor) e luz mesmo em ordens essencialmente malignas (no mesmo livro eles citam uma regra que permite que clérigos de Hextor façam a “conversão espontânea” usando magias do domínio da guerra).

    Ainda assim nada impede que Hextor ou qualquer um dos outros deuses malignos sejam retratados como anti heróis em nossas campanhas se isto nos agradar.

    (Em OFF: Realmente, sou um jogador e mestre bastante “chato e puritano” que acha importante que haja referências claras sobre bem e mal e um jogo como D&D, que é jogado por muitos adolescentes. Ainda assim, os Salões de Valhalla não existem para expor a minha opinião como verdade a ser seguida. Cada um pode (e deve) criar suas histórias como julgar melhor, e agradeço todos aqueles que compartilham seus pontos de vista aqui.)

    ResponderExcluir
  9. Burne Travers, Inquisidor de St. Cuthbert5 de setembro de 2010 16:21

    Moradin é um grande e honrado aliado das forças da ordem e da justiça. Pai de uma raça nobre, robusta e ordeira.
    (Em OFF: Não sabia dessa denuncia que a Wizard teve sobre incentivar o nazismo. Mas mesmo assim você vai citar Zarus no Halls of Gods, Odin? Quando eu interpretei o Clérigo de Zarus, vocês não notaram o nome dele Adolf Hirveng uma clara analogia a Adolf Hitler?)

    ResponderExcluir
  10. Selwyna, a Bruxa da Rosa Negra5 de setembro de 2010 20:11

    Nunca estive em uma cidadela anã, mas dizem que as forjas dos templos de Moradin são algo impressionante de se ver.

    ResponderExcluir
  11. olha tenho um pj que ja vei pegar segundo nivel da classe de prestigio "martelo de moradin" e no segundo nv vc imbui a habilidade "ruína dos globinoides" no martelo ... ai que ta, n tem em lugar nenhum nos livros falando dessa habilidade, nem no forgotthen defensores da fé, olhei em itens magicos com essa habilidade, magia de todos os livros, jogador mestre, jogador de faerun, forgotthen, em lugar nenhum eu acho, alguem da uma luz???

    ResponderExcluir