sexta-feira, 2 de julho de 2010

Crônicas Finais das Guerras de Asgard


Saudações, deuses e mortais.

Eu sou Selin, a Norne encarregada por Odin de vos trazer o desfecho final das Guerras de Asgard. Recomendo que ouçam a Canção das Guerras de Asgard enquanto lêem este pergaminho.

“ Quando se deu conta que o poder de Gronark advinha do Deus Monstro Cthulhu, e que este estava para ser libertado, Odin entendeu que mesmo destruindo ambos, os nove mundos seriam consumidos pelas chamas do confronto contra Cthulhu. Buscando mais uma vez a sabedoria ancestral, o senhor de Asgard viajou a até o coração dos mundos, a Árvore Sagrada Yyggdrasil, onde o tempo e o espaço fluem de maneira completamente diferente.

Odin empunhou Gungnir e enterrou lâmina da poderosa lança no próprio ventre, cravando-a com força no tronco de Yggdrasil. Uma vez mais, Odin se prendeu à Árvore Sagrada em busca de sabedoria e conhecimento. Para mortais e deuses, o senhor de Asgard desaparecera por sete horas, mas a verdade é que Odin permaneceu sangrando preso à Yggdrasil, por sete dias e sete noites.

Ao final da sétima hora para os povos dos nove mundos e ao final do sétimo dia para Odin, o senhor de Asgard voltara, com o conhecimento sobre uma nova Runa mágica, que lacraria o Poço dos Horrores onde Cthulhu dormia e ainda impediria que o poder do Deus Monstro chegasse a Gronark. Além disso, Odin descobrira mais um ardil, referente à identidade do faraó lich Malak Zar’Kaj III.

Em grande agonia, Odin enviara Laguel, o Guardião Dourado de Pelor, em uma missão em Kamaro, e ensinara o segredo da Runa a Nubling Erkenwald e à princesa Selwyna.

Escoltados por Balder e Thor, Nubling e Selwyna se dirigiram ao Poço dos Horrores, onde o martelo do Deus do Trovão e a espada do Deus da Nobreza esmagaram os montros que guardavam o Poço. Verdadeiros pesadelos, que enlouqueceriam qualquer mortal. Erkenwald e Selwyna então realizaram juntos o feitiço da Runa e lacraram o Poço dos Horrores, que, segundo uma profecia realizada pela jovem feiticeira, permaneceria selado até o dia do Ragnarok.

No deserto de Kamaro, o rei lich Malak Zar’Kaj III, autodenominado Filho do Sol, uniu seu seguidores para revelar que repudiava a loucura de Gronark em tentar libertar Chthulho e que iria abandonar a guerra. Por intermédio de seu mais fiel seguidor, o sultão Abdul Nar’Vhaj, o rei lich propôs a paz ao povo de Kamaro, contanto que eles se unissem ao povo de Abdul Nar’Vhaj, e ambos recriassem o Antigo Império de Ahn’ Qiraj, que seria conduzido pelo próprio rei lich.

No meio das negociações, Laguel, o Guardião Dourado de Pelor surgiu dos céus e atacou o Lich, que alegava não mais desejar lutar. Ignorando os apelos de Malak Zar’Kaj III e de seus súditos, que já se preparavam para atacar o arcanjo, Laguel lançou sobre o Rei Lich uma poderosa rajada de luz azul que emanara de sua espada. Ao ser atingido, o rei lich gritou, e sua verdadeira forma fora revelada.

Malak Zar’Kaj III, na verdade era Loki.

O ardil da criação do Antigo Império de Ahn’ Qiraj se fazia claro para todos; desde o início, Loki pretendia dominar Asgard, e se esta tentativa fosse de alguma forma frustrada, ele teria um grande império em Midgard para governar. Se tudo saísse bem, o Deus da Trapaça seria um senhor dos Deuses e mortais.
Laguel guardou sua espada e disse que, em nome de Odin, Loki estava banido de Asgard até o dia do Ragnarok. Com grande ódio nos olhos, mas temendo pela própria vida, Loki desapareceu das areias de Kamaro.

Annastrel Anathar e o sultão Abdul Nar’Vhaj se reuniram e chegaram a um acordo de paz em poucas horas. A princesa Selwyna profetizara que Loki voltaria a trazer problemas para deuses e mortais, mas que a aliança feia entre os povos do deserto seria forte, perduraria até o Ragnarok.

De volta a Asgard, Odin reuniu suas últimas forças e conferiu a seus Enherjar a Benção Suprema de Odin, a absoluta fúria dos Berserkers, que poderia levar todos os enherjar à morte, mas que conferiria a eles um imenso poder.

Assim, motivados pela benção de Odin e pelas canções de batalha de Astreya, os Enherjar lutaram. Eles sangravam e tinham seus ossos quebrados, mas urravam como animais selvagens imunes à dor e ao medo, e mataram tudo e todos que encontravam em seu caminho. A benção de Odin impedia que eles atacassem uns aos outros, mas foram vários os cavalos, pedras e casas que sentiram a fúria dos machados dos guerreiros de Valhalla. Entre eles, se destacaram Ragnar Ragnarson, Ubirajara, Oyama, Aldharon, Krull e Mnar, que mataram brutalmente quase cinqüenta inimigos antes de tombar de exaustão.

As forças da Horda, que começaram em número muito superior estavam sendo dizimadas. Gronark, mesmo sem seu poder “divino” matara muitos Enherjar e qualquer um de seus seguidores que ameaçasse desertar. Todavia, em meio à matança, sentiu a terrível e esmagadora presença de Vardalon, e quando se virou, foi ferozmente golpeado pela espada do Campeão de Hextor.Erythnull, contudo, não perderia assim seu mais poderoso eficiente seguidor. Antes que a espada de Vardalon o atingisse novamente, Gronark fora transportado magicamente por seu satisfeito patrono de volta a Pandemônio.

Sem seu líder, os membros da Horda começaram uma deserção em massa, onde a maioria que conseguiu escapar dos furiosos Enherjar fora morta por Vardalon e suas Legiões Imperiais.

Assim terminara a guerra. A Horda destruída, Gronark sem poderes divinos e Loki banido para sempre. A vitória, contudo, não fora comemorada nos Salões dos Deuses, pois viera com um amargo preço. Mais da metade dos Enherjar de Asgard pereceram e o Reino Dourado fora praticamente destruído durante os sete dias de guerra.

Odin, o Senhor de Asgard, perdera muito sangue em Yggdrasil e quase toda sua energia vital para criar a Runa que ensinara à Erkenwald e Selwyna. Quase morto, o monarca entrou em um estado de coma auto-induzido, o Sono de Odin para se recuperar. Asgard seria agora governada por Thor até que Odin despertasse. Segundo a jovem Selwyna, isto se daria ao final de mais sete dias e sete noites.

Os reinos de Midgard também foram deveras afetados pelas Guerras de Asgard, mas esta é uma história para outras crônicas ...”

15 comentários:

  1. Canção da vitória amarga do Clérigo

    Resistimos o quanto pudemos;
    Matamos quantos quisemos;
    Defendemos e perecemos
    e no fim então vencemos,
    com dor
    e com sangue
    e com morte nos fartamos!

    ResponderExcluir
  2. Alter-ego Mortal de Odin2 de julho de 2010 09:05

    Bela oração, nobre clérigo!

    Grandes amigos, após sete dias de morte, sangue e destruição, chegamos ao fim das Guerras de Asgard.

    Gostaria de agradecer a todos os nossos Irmãos de Armas que participaram da guerra, aos (malditos ) Funkeiros que votaram contra Asgard e a todos vocês que empunharam as armas e palavras de seus nobres personagens nesta grande contenda. Acredito que, entre espadadas e machadadas criamos juntos uma bela história, integramos vários blogs e até fizemos alguns amigos.

    Quero aproveitar e dar os parabéns a Leonardo Viera (Gronark) por seu aniversário, a Rafael Silveira (Nubling Erkenwald e Malak Zar’Kaj III) pelo ótimo fechamento de semestre em direito e a Adriana Silveira (Selwyna) por conseguir jogar e conviver com tantos rapazes. Astreya sabe como isso pode ser difícil às vezes.

    Espero poder ver todos vocês novamente nestes Salões brandindo suas espadas, lanças e machados. Que Mnar, Ragnarson, Krull, Ubirajara, Aldharon, Nubling, Gronark, Oráculo, Selwyna, Orrusk, Vardalon, Oyama, Astreya e tantos outros ainda tenham muitas histórias para contar.

    Espero que tenham se divertido, e que os Deuses da Guerra estejam sempre convosco!

    Grande abraço a todos!

    ResponderExcluir
  3. Olá, pessoal! Como sugerido por Loki (eu) no Salão dos valentes eu me apresento. A propósito, também fiz o papel do herói brasileiro Ubirajara, O Senhor da Lança.

    Um grande abraço a todos e, mais uma vez, parabéns pela iniciativa, Odin! Foi muito divertido mesmo!

    E espere pelo retorno de Loki! E sempre Ubirajara estará ao seu lado para uma boa peleja!

    Muitas boas aventuras a todos!

    ResponderExcluir
  4. Essa vai pra vc, Astreya

    Canção final (?) de Loki:(Parodiando Roberto Carlos)

    Quando eu estou aqui
    Eu vejo os meus pv's sumindo
    Olhando ao meu redor
    Eu vejo o grupo se extinguindo

    Se lutei ou se corri
    O importante é que este nível eu subiiii!!

    Ah, ah, ah, ah,...
    Nos encontramos em outra batalha, brother Odin!

    ResponderExcluir
  5. Hahahaha! Uma boa paródia, Loki!!! Hahahaha!

    Apresento-me por inteiro nestes salões: Eu Astreya, Lenora, sumo-sacerdotisa de Corellon, Elisa, clériga de Pelor, Mística Louca (baseada em pessoas da vida real que conheci), e ainda outras que deixei por estes salões... São todas personagens que me divertiram e ainda me divertem muito, graças a estes salões.

    Obrigada por tudo, pessoal! Foi muito divertido lutar com vocês!

    ResponderExcluir
  6. Selwyna A Bruxa da Rosa Negra2 de julho de 2010 14:32

    Bem, isso é meio triste, mas Asgard a de se reerguer das cinzas, mas a vida e o tempo são feitos de ciclos, o império a de crescer e a guerra não será mais travada por reinos e sim por planetas, mas sempre devemos nos lembrar de apreciar ao máximo esses períodos de paz.
    http://www.youtube.com/watch?v=0cWnuxLbc34&feature=related
    http://www.youtube.com/watch?v=Yu4ABhVd28U&feature=channel
    Eu me diverti muito, talvez interprete a bela Ranger élfica Verraine também.

    ResponderExcluir
  7. Gronark Deus do Sofrimento e Canibalismo2 de julho de 2010 14:45

    Eu vivo, e ainda sou imortal e um deus menor por causa da Ambrosia posso conceder poderes clericais aqueles que me seguem, a alma de todos aqueles que devorei, ou que foram sacrificados em meu nome. HAHAHAHAHAHAHA
    Me diverti muito, e Hargul ira voltar.

    ResponderExcluir
  8. Nubling Erkenwald2 de julho de 2010 14:52

    Foi realmente uma grande aventura, me diverti muito, espero que os heróis e vilões criados aqui apareçam nas Crônicas de Elgalor em breve.
    E Odin eu acho que o império existiu e que Loki avia tomado o lugar do faraó, para liderar uma revolta, e quem sabe no fundo das Terras Sombrias, o Filho do Sol não esteja esperando ?
    Por Favor não destrua Ahn’ Qiraj e Faraó Lich Malak Zar’Kaj III O Filho do Sol, tenho planos para ele.

    ResponderExcluir
  9. Vardalon Algoz Sombrio de Hextor2 de julho de 2010 15:10

    Agora com o fim da guerra restaurarei meu Império, mas lhes mostrarei como as legiões rubras de Damasca, o Império de Hextor aniquilaram a horda de Gronark e também a vitoria dos Anões de Darakar.
    http://www.youtube.com/watch?v=MiWD4C9QhFE&feature=related Império
    http://www.youtube.com/watch?v=wTGzTKnlB8o&feature=related Anões
    Foi realmente uma grande aventura, todos se divertiram e interagiram, tomara que você volte logo Odin.

    ResponderExcluir
  10. Thor, o Deus do Trovão2 de julho de 2010 18:34

    Meu pai há de retornar dentro de sete dias, bravo Vardalon.

    Jovem Selwyna, tua participação, seja como a Bruxa da Rosa Negra ou como a ranger Verraine é muito apreciada nos Salões de meu pai. Tu e Asteya são as únicas representantes femininas dentro destes Salões de guerreiros, e vossas presenças são, respeitosamente, muito bem vindas.

    Nobre Erkenwald, teus conselhos e tua sabedoria jamais serão esquecidos, e não te preocupes, pois Balder descobrira que Faraó Lich Malak Zar’Kaj III está, de fato nas Terras Sombrias. E dou minha palavra, em nome de meu pai, que todos vós serão dignamente registrados nas crônicas de Elgalor. Peço apenas um pouco de paciência.

    GRONARK! Tenho contas a acertar contigo, verme das profundesas! Tu pagarás pelo que fizeste à Asgard. Aproveita tua imortalidade enquanto podes, pois quando eu tiver cumprido minhas obrigações como governante temporário de Asgard, hei de caçá-lo até os confins de Pandemônio!

    ResponderExcluir
  11. Amigos,

    Foi muito punk essa aventura.

    Vou criar um grupo no msn pra galera manter o contato e trocar idéia.

    me add aê: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=11808155781239621311

    E me visitem aqui:

    http://acasadahorda.blogspot.com/

    e aqui

    http://snowballsrpg.blogspot.com/

    Valeu seus fanfarrões, até a próxima.

    ResponderExcluir
  12. Mnar:
    -Um Copo daguá, alguem me dê um copo daguá? Bardo cadê você.

    Bardo cego:
    -Aqui Mnar, embaixo dessa mesa e ai acabou? Vencemos?

    Mnar:
    -Acho que sim até o grandão de um olho só ta dormindo, acho que vencemos, não vejo mais bicho pra matar.

    Bardo cego:
    -Eu sabia!



    Muito legal pessoal gostei da coisa todo. Parabéns a todos!

    ResponderExcluir
  13. Ragnar Ragnarson2 de julho de 2010 22:43

    Há, mais uma guerra chega ao fim! Brindemos por aqueles que pereceram em batalha!

    Gronark: Aproveite enquanto eu estou debilitado para fazer as orações ao seu Deus, pois, assim que eu estiver eu condições de lutar, eu hei de vigar todos os insultos que você dirigiu a mim e a minha familia!

    ResponderExcluir
  14. Oyama Flagelo das Feras2 de julho de 2010 23:20

    Algumas costelas quebradas e inúmeros cortes depois, a horda finalmente foi posta em seu devido lugar. Agora é hora dos sobreviventes se recuperarem pois os salões dourados não podem ter seus portões fragilizados para a entrada dos fracos aproveitadores.

    Em tempos de paz o mau se fortalece, por isso os defensores de Valhalla nunca estão em paz.

    Eu Gleyson, interprete de Oyama me diverti bastante com esse verdadeiro festival de interpretações, parabéns a todos e que os blogs que participaram continuem na ativa por um longo tempo.

    ResponderExcluir
  15. Thor, o Deus do Trovão3 de julho de 2010 00:00

    Como diria meu pai, "torno minhas tuas palavras", amigo Oyama.

    Ragnarson, lembras quando fizemos uma competição amigável antes da guerra? Pois disputemos mais uma vez para ver o que há de partir Gronark ao meio: Mjolnir ou tua espada.

    Em nome do Alter-ego Mortal de meu pai, agradeço-te, Sérgio "Orrusk" Cunha, por ajudar a reunir tão nefasta Horda de inimigos desprezíveis para confrontar os defensores de Asgard nesta épica contenda.

    Obrigado a todos pela participação, e quando o tempo e o trabalho em Midgard nos permitir,que cruzemos nossas espadas, machados, lanças e punhos uma vez mais...

    ResponderExcluir