quarta-feira, 2 de junho de 2010

Grandes Heróis de nossa era: Éomer de Rohan

Saudações, bravos cavaleiros.
Trago-vos nestes pergaminhos um pouco da história do nobre e honrado filho de Éomund, o grande Éomer.

Éomer nasceu em 2991 da Terceira Era. Seu pai, Éomund do Folde Oriental, foi um marechal-chefe de Rohan, e sua mãe, Theodwyn, era a irmã do Rei Théoden. Éomer tinha ainda uma irmã mais nova, chamada Éowyn. No ano de 3002, Éomund foi morto enquanto perseguia saqueadores orcs, e, diante da morte do marido, Theodwyn foi tomada por uma grande tristeza, morrendo pouco tempo depois.

Éomer cresceu alto e forte e tornou-se um cavaleiro e guerreiro hábil. Foi nomeado Terceiro Marechal de Rohan, recebendo o posto de 3º Marechal do Folde Oriental, título que anteriormente pertencia a seu pai. Também de seu pai, Éomer herdou a poderosa espada Gúthwinë (“amiga de batalha”). A tropa de Éomer, conhecida como Eored, era uma companhia composta por 120 cavaleiros bem treinados, que protegiam Rohan dos ataques diretos dos orcs de Mordor.

No início da Guerra do Anel, Théoden, o rei de Rohan, era aconselhado por um homem corrupto, chamado Grima Língua de Cobra, que secretamente trabalhava para o poderoso e nefasto mago Saruman de Isengard. Os conselhos de Grima minavam cada vez mais a vontade do nobre rei, até chegar um ponto em que apenas os homens leais a Éomer e ao filho do rei, Théodred, lutavam para proteger Rohan contra as crescentes investidas dos orcs, que agora vinham tanto de Mordor quanto de Isengard. Quando Théodred morreu em uma emboscada, apenas a companhia de Éomer permaneceu lutando, até que Grima finalmente conseguira prender o Marechal.

Quando o rei Théoden foi libertado pelo mago Gandalf, Éomer foi solto e combateu ao lado de seu rei na desesperada Batalha do Abismo de Helm, e posteriormente, ambos foram ao socorro do Reino de Gondor, lutando ferozmente na Batalha dos Campos de Pelennor, onde o nobre Théoden fora morto pelo Rei Bruxo de Angmar, e Éomer foi nomeado o novo rei de Rohan.

Naquele dia, a jovem Éowyn também ganhou renome, pois lutou disfarçada e, quase a custo da própria vida, cumpriu a profecia que culminou na destruição do Rei Bruxo de Angmar, ficando conhecida na Terra dos Cavaleiros como a “Senhora do Braço do Escudo”. Posteriormente, a corajosa irmã de Éomer casou-se com Faramir, o sábio guerreiro de Gondor que era o irmão mais novo do falecido e bravo Boromir.

Éomer tornou-se um grande e sábio rei, e no último ano da Terceira Era, casou-se com Lothíriel, a filha do nobre príncipe Imrahil de Dol Amroth, que havia se tornado um grande irmão de armas de Éomer na Batalha dos Campos de Pelennor.

Durante o reinado de Éomer ficou conhecido como Éadig, “o abençoado”, pois Rohan conheceu uma paz como nunca antes teve, seu povo aumentou em número e suas colheitas e cavalos prosperaram, mas a paz não era completa. Por muitos anos o Rei Elessar de Gondor (como Aragorn agora era conhecido) lutou contra os remanescentes dos povos que serviram a Sauron, o antigo Senhor do Escuro, e assim, Éomer e Imrahil lutaram novamente lado a lado. E para cada lugar em que o Rei Elessar travava uma guerra, o Rei Éomer estava a seu lado, e o trovão da poderosa cavalaria dos Rohirrim foi ouvido até no longínquo leste do mundo durante a Quarta Era do Sol...

4 comentários:

  1. Que belo pergaminho nos trouxe, bravo Odin. Me agrada muito este personagem do grande bardo Tolkien, e fiquei feliz em saber um pouco mais sobre ele, inclusive sobre o que aconteceu após a guerra do anel. Salve o grande Éomer!

    ResponderExcluir
  2. Ragnar Ragnarson2 de junho de 2010 19:50

    Que os Deus protejam o sabío Éomer, o mais bravo e valoroso dos Rohirrim!

    ResponderExcluir
  3. Bela biografia esta do cavaleiro Éomer!

    ResponderExcluir
  4. podiam fazer um filme contando esses romances na telona

    ResponderExcluir