domingo, 13 de junho de 2010

Contos de Asgard 13: O Monge

Por Genkaku

Nas distantes terras do oriente vivia um homem
Um valente e disciplinado guerreiro
Apesar de forte não gostava de combater
Quando combatia não usava qualquer arma
Seus punhos aliados a sua técnica e espírito eram capazes de perfurar armaduras e rachar escudos...
Ainda sim era um entusiasta da paz

“Rogo para que chegue o dia em que os homens resolverão seus conflitos sem violência e morte"

Por seu modo de viver e sua disciplina as pessoas o chamavam de monge.
E então o mal que assolava o mundo alcançou sua terra.
Desespero, morte e destruição trazidos pelos agentes das trevas.
E então o nobre guerreiro lutou
Com uma ferocidade e fúria nunca vistas até então
Os inimigos foram expulsos de suas terras
E o nome Oulan O Monge ficou conhecido por todos no oriente.

5 comentários:

  1. Este humilde escaldo fica contente em ter seu conto narrado em teus sagrados salões

    ResponderExcluir
  2. Vossos nobres trabalhos sempre encontrarão as portas dos Salões de Valhalla abertas, bravos amigos.

    ResponderExcluir
  3. Oyama o flagelo das feras15 de junho de 2010 15:04

    Salve o grande monge Oulan, que as lendas dos grandes monges guerreiros atravessem as montanhas do norte e gere grunhidos das feras mais distantes e obscuras da terra

    ResponderExcluir