domingo, 6 de junho de 2010

Contos de Asgard 11: O Bardo parte III

Saudações, nobres almas.
Trago-vos nestes Contos de Asgard a bela história de um jovem e promissor bardo, escrita pelo nobre Genkaku, senhor do espaço Sou RPGista

Boa leitura

O bardo estava assustado e desorientado que floresta seria esta?
Onde estaria a vil criatura que o perseguiria?
Os cavaleiros avançavam , tinham sangue nas roupas e ódio nos olhos.
Estavam armados e bradaram um grito de ataque.
O bardo não teve outra escolha.
Deveria tocar a melodia proibida que havia aprendido.
E então uma lágrima escorreu de seus olhos enquanto tocava a ocarina.
Uma triste melodia então ecoou pela floresta.
Logo o som dos perseguidores cessou.
Animais e plantas não mais tinham presença.
Um resplendor dourado tomou conta do local.
E ao abrir os olhos pode perceber, árvores, pequenas plantas, animais e os dois homens.
Todos viraram figura de puro ouro.
O local teria mais ouro que o mais rico dos reis sonharia possuir.
Porém para aquele jovem nada importava.
Pois estaria confinado em uma era distante envolta no caos e destruição sem esperanças de retorno.
Neste momento as palavras de sua mãe eram tudo que consola este jovem bardo.
Trazer alegria e alento as pessoas desta terra, neste período de escuridão...

2 comentários:

  1. Belo conto, este de meu companheiro de profissão... apenas espero que eu possa trazer alegria às pessoas também!

    ResponderExcluir
  2. Ambos são bardos de grande valor, e tenho certeza de que vossas palavras iluminam os corações e espíritos de muitos aventureiros.

    ResponderExcluir