terça-feira, 11 de maio de 2010

Povos e Culturas: Anões, os Senhores da Guerra

“Força por números é caótica, desorganizada e frágil. Um pequeno batalhão bem treinado e disciplinado pode facilmente destroçar um exército inimigo cinco vezes maior. A verdadeira força está na qualidade, não na quantidade. Como meu povo já provou. Como nossos inimigos já sentiram. Sim, somos um povo teimoso e orgulhoso. Porém, acima de tudo, somos um povo feito para a guerra.”
- Balderk I, Grande Rei dos anões.

Saudações, bravos guerreiros

Como todos já sabem, os anões são um povo honrado e vigoroso, que se sobressai na arte da forja e na arte da guerra. Trago-vos um pouco sobre a filosofia de guerra destes senhores da forja e do aço. Que os sábios princípios deste bravo e nobre povo auxilie a ti e a teus irmãos de armas no campo de batalha.

1) Conheça teu real poder, e o de vossos irmãos de armas: Um guerreiro treinado é totalmente confiante. Contudo, a confiança verdadeira jamais surge de ilusões de superioridade ou da ignorância. Ela advém do conhecimento profundo sobre aquilo que tu podes e aquilo que tu não podes fazer. Quando um grupo de guerreiros adquire isso, eles podem começar a se considerar uma equipe.

2) Conheça vossos inimigos: Na maioria das vezes, é possível conhecer a fundo contra o que se está lutando. Meu povo mantém há séculos registros detalhados sobre gigantes, orcs e até goblins, e este conhecimento é totalmente incorporado tanto no treinamento de nossos guerreiros quanto em nossas táticas de guerra. Conhecimento bem aplicado pode ser mais poderoso do que mil lanças.

3) Gaste recursos, não soldados: Espadas, machados, flechas e escudos são facilmente substituídos; a vida de um bom guerreiro não. É preferível gastar mil flechas e perder mil escudos para matar um único gigante do que perder um irmão de armas.

4) Lute com um propósito unificado: Quando todos deixam de lado sua individualidade, e se unem em prol de um propósito maior, uma força avassaladora é produzida. Dois guerreiros anões lutando separadamente são capazes de matar vinte orcs, mas lutando juntos, os mesmos dois guerreiros matarão seguramente mais de cinqüenta orcs.

5) Combata em unidades pequenas e bem treinadas: Um grupo pequeno de guerreiros bem treinados e bem equipados é muito mais eficiente do que uma massa de soldados correndo e gritando, que será rapidamente destroçada por flechas ou magias. Como já foi dito antes, dez guerreiros disciplinados lutando juntos serão muito superiores a cem soldados dispersos no campo de batalha.

6) Esteja sempre pronto para lutar: A vigília constante é um preço pequeno a se pagar pela liberdade e pelas vidas de nossas famílias. Deves sempre estar com as armas e armaduras prontas, com teu corpo bem treinado e tua mente forte e resoluta. Sempre.

7) Destrua os inimigos mais fortes primeiro: Abata sempre os líderes e inimigos mais fortes antes. Com isso, os mais fracos perderão o foco e muitos podem simplesmente fugir. Com os ogros mortos, os orcs dispersarão e os goblins fugirão.

8) Lute e viva como um verdadeiro guerreiro: Combata com honra, dignidade e disciplina. Honre teu clã e teus ancestrais no campo de batalha. Que teu escudo proteja ferozmente teus irmãos, e que teu machado destrua implacavelmente teus inimigos.


Dwarves of Ered-Luin

6 comentários:

  1. Exelente Post, gostei muito dessas descrições feitas.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Realmente, tua descrição dos anões acompanhada da citação do grande Rei Balderk é inspiradora, bom Odin.

    ResponderExcluir
  3. Muito legal o post!! Os aliados do Calor da forja irão gostar mais ainda rs. Muito interessante o vídeo tb!

    ResponderExcluir
  4. Deveras...

    Os bravos guerreiros do Calor da Forja hão de testemunhar a veracidade destas palavras.

    ResponderExcluir
  5. Ragnar Ragnarosn13 de maio de 2010 20:09

    Por experiência pessoal, eu posso afirmar que não existe nada melhor do que lutar ao lado de um anão. Eles são os melhores companheiros que se pode ter no seu flanco.

    E, pelos deuses!, eles fazem a melhor cerveja algum dia há de existir!

    ResponderExcluir
  6. Sábias e verdadeiras palavras, bravo guerreiro...

    ResponderExcluir