terça-feira, 25 de maio de 2010

Grandes Sagas de nossa era: Clash of the Titans

Saudações, nobres almas

Trago-vos nestes pergaminhos uma breve resenha sobre esta bela narrativa que está sendo mostrada em vários reinos de Midgard.

A saga de Perseu, apesar de possuir falhas sérias em relação a referências mitológicas, é muito bem contada, e praticamente todos os bravos guerreiros que acompanham o herói em sua jornada possuem personalidades e funções bem definidas durante todo o curso da aventura. Os Deuses são extremamente bem caracterizados, assim como todos os cenários visitados pelos heróis.

Os combates contra os poderosos monstros mitológicos que se deparam com o grupo de aventureiros é intenso e muito bem executado, mostrando um realismo triste, mas verossímil; em combates desta natureza, alguns bravos guerreiros inevitavelmente tombam, por mais bem treinados que sejam.

A relação entre os Deuses e mortais, aspecto muito importante na trama, é desenvolvido com clareza. Os Deuses, mostrados como seres sábios, porém caprichosos ao extremo, não compreendem a humanidade, muitas vezes cometendo atrocidades imperdoáveis. Os mortais, apesar de freqüentemente oprimirem uns aos outros, chegando a sacrificar inocentes apenas para garantir sua sobrevivência, tentam se libertar da opressão dos Deuses, o que eclode uma grande guerra e uma perigosa disputa pelo poder supremo. É interessante notar que Zeus, apesar de todo-poderoso, retira sua energia da devoção e amor dos mortais, enquanto Hades, o senhor do submundo, retira seu poder do medo e da raiva que existe dentro do coração dos homens.

Apesar das imprecisões mitológicas comprometem consideravelmente o enredo e a verossimilhança da trama, e o fato da saga ser contada em um período de tempo um tanto curto, esta é uma história bem feita, e que todo aventureiro deve conhecer. Para aqueles que ainda não assistiram ao espetáculo, deixo presente minha recomendação e as imagens captadas pelos aguçados olhos de meus corvos.

Por fim, convido todos que acompanharam tal saga a expressar, de maneira respeitosa, vossas preciosas opiniões.

14 comentários:

  1. O filme é muito ruim, a história é rasa e em muitos momentos forçada demais, os combates que deveriam ser o ponto alto do filme deixam a desejar, tirando apenas o combate da medusa, já o combate final contra o kraken e seu papai Hades é brochante.
    Em resumo, o filme deixa a muito a desejar em desenvolvimento de trama e situações onde é perceptivel a forçação de barra para que a históra sigua em frente.

    ResponderExcluir
  2. A história poderia se aprofundar mais em diversos pontos, e o combate com o Kraken (qu na verdade é uma cria de Poseidon, não de Hades)realmente poderia ter sido melhor trabalhado.

    Contudo, os outros combates (especialmente o da medusa) são bons, e não há nenhuma luta tola apenas para preencher o tempo ou matar personagens insignificantes (marca de um filme verdadeiramente ruim). Apesar de Perseu ser um personagem um tanto superficial, vários outros (como Drago, Zeus e Hades) são realmente muito bons.
    Na minha opinião, houve problemas no enredo e na edição, mas ainda assim, Fúria de Titãs é um bom filme, especialmente para "aventureiros" como nós.

    ResponderExcluir
  3. Eu não sou conhecedor profundo da mitologia e por isso achei um filme ótimo. Principalmente por ter sido tão dinâmico. Essa "correria" toda mostrou o esforço épico de um cara (Perseu) que até então nem sabia que era um semi-deus. Mostou que o destino de um grande herói independe de sua própria vontade.

    ResponderExcluir
  4. Complementando: Além de ter sido um "colírio" para os olhos e uma sinfonia para os ouvidos. Achei ótima toda a parte artística: fotografia, efeitos especiais, efeitos sonoros e trilha sonora.

    ResponderExcluir
  5. Acredito que apesar das incongruências mitológicas, foi um bom filme. Lembro-me de adorar a versão antiga deste filme quando menor, e achei que esta nova versão foi um bom espetáculo. Temos de nos lembrar também que em lendas mitológicas geralmente os "combates" com monstros e resolução de problemas é descrita de maneira simples (pelo menos daquilo que eu já li e sei, como uma barda que possui conhecimentos históricos sobre Midgard um tanto humildes). Então, acho que neste aspecto o filme seguiu um estilo de narração que não é tão diferente das lendas antigas. Visualmente foi impecável, e a trilha sonora realmente foi ótima. Destaque para as aparições de Hades com suas "asas" negras!

    ResponderExcluir
  6. Não gostei, não empolgou, não motivou, não trouxe nada novo. Infelizmente.

    ResponderExcluir
  7. O Filme é bastante ruim...

    Não achei digno de ser chamado de "Grande Saga" e nem ter um post nos Salões de Valhallas,nem em outro site/blog.

    "Não sei se era o site que escreveu a sinopse errada,mas a sinopse está muito errada,olha só:

    A trama segue Perseus, um deus criado como homem que precisa proteger a sua família de Hades, um perigoso vilão do submundo. Sem nada a perder, Perseus se une a voluntários e dá início a uma guerra contra Hades, antes que ele tome o poder de Zeus e a acabe com a Terra. Durante a jornada, Perseus precisa combater demônios e feras. O único jeito de Perseus sobreviver será ele aceitar que é um deus e decidir como será o seu próprio destino."

    Um deus não é criado,não é?
    Se ele nasceu(ou foi criado)como homem é um homem.
    E Hades não é maligno,só tem raiva de Zeus.

    Se vocês quiserem acessar:
    http://www.cinemaemcena.com.br/ficha_filme.aspx?id_filme=6144&aba=detalhe

    Adeus

    ResponderExcluir
  8. Perseus é um semi deus, filho de Zeus com uma Mortal, mas que foi criado como homem e acreditava nisso. Quando descobriu que era um semideus, relutou bastante assumir seu posto, uma vez que a morte de sua família se deu através da fúria dos deuses (Hades no caso). Entretanto seu chamado foi mais forte e é justamente isso que achei interessante no filme. A transformação de um homem que odiava os deuses em um semideus sem haver modificações profundas em sua personalidade e seus valores...

    ResponderExcluir
  9. Frodo tem razão.

    A sinópse que o bravo Alok leu realmente não estava nada precisa, mas Perseu era mesmo um semi-deus, que, por não ter consciência disto, e por nunca precisar de seu poder para salvar a PRÓPRIA vida, viveu como um simples mortal, até o início da contenda.
    Quanto a Hades, ele era de fato malígno, tanto que se alimentava do ódio e medo dos mortais.

    Por fim, concordo novamente com Frodo, pois é realmente um fato interessante Perseu ter "evoluido" para a condição de semi-deus sem deixar de ser o homem que era.
    Isto, na minha opinião, é o comportamento de um verdadeiro guerreiro e herói, e apenas por este fato, acredito que esta história (apesar das imperfeições) mereça estar entre as Grandes Sagas de Odin.

    ResponderExcluir
  10. Embora eu realmente estivesse esperando mais do filme, acredito que seja melhor do que muitos filmes que saíram no cinema ultimamente com a temática aventuresca (apesar de deixar realmente a desejar e ser incongruente em algumas partes). Quanto à incongruência de que falei, irritou-me um pouco a personalidade mal-humorada de Perseu e o fato de que ele se nega a utilizar as armas dos deuses até o final do filme com o pretexto de vencer as batalhas como humano, mas acaba as utilizando mesmo assim, depois que vários companheiros tombaram em parte por culpa de sua teimosia. Ainda assim, gostei bastante de seus companheiros, mesmo que não tenha havido tempo de desenvolvê-los tanto como personagens, mas em filmes de ação isso é comum e acredito que eles tenham ficado bem caracterizados mesmo com o curto tempo que tiveram em tela. Acredito que valeu sim a tentativa do filme, que não se colocou como grande épico ou filme bombástico em suas estratégias de marketing desde o começo, ao contrário do recente "Alice", esse sim extremamente propagado pela mídia como grande sensação e um fiasco deveras grande, na minha humilde opinião, pois propôs desde o começo ser uma coisa que não foi, ficando ainda mais raso com suas tentativas de exprimir profundidade aos personagens ou à própria história da protagonista, que contou com um fim exageradamente forçado. Pelo menos acredito que "Fúria de Titãs" se mostrou fiel àquilo que propôs ser, com um enredo dinâmico (embora gostaria de que o filme tivesse tido mais tempo...)

    ResponderExcluir
  11. Ainda assim acredito que seja melhor sair do cinema com um "gostinho de quero mais" do que enjoado e cansado de um filme tedioso...

    ResponderExcluir
  12. Ah, você está certo, deveras!

    ResponderExcluir
  13. Com toda essa discussão interessante em torno desta saga mitológica, acabei indo pesquisar em cancioneiros para tirar uma dúvida que me incomodava: Perseus na verdade casa-se com Andrômeda, após salvá-la como aconteceu no filme. Bem que a presença da imortal Io havia me incomodado um pouco, pois não me lembrava dela no filme antigo... acho que pelo menos isso teria sido mais interessante se mantido como na lenda e no filme original. Achei a presença de Io um pouco dispensável, e acho que teria sido melhor e mais coerente se Perseu tivesse se apaixonado por Andrômeda, mas mesmo assim gostei do filme.

    ResponderExcluir
  14. Nada impede de ele brigar com Io agora e ficar com Andrômeda...nós não sabemos o que ira acontecer rss

    ResponderExcluir